quinta-feira, outubro 16

A caixa dourada


Há algum tempo atrás, uma mãe zangou-se com o seu filho de 5 anos por estragar um rolo de fita dourada, que tinha por fim decorar uma caixa colocada sob a Árvore de Natal. Na manhã seguinte à noite de Natal, o menino trouxe a caixa e entregou-a à mãe dizendo: "Isto é para ti, mamã". A mãe ficou embaraçada pela reacção precipitada, mas quando viu que a caixa estava vazia comentou rispidamente com o filho:
"Não sabes que quando se dá um presente a alguém é suposto que haja alguma coisa dentro do pacote?"
O menino olhou-a em lágrimas e disse: "Oh, não está vazia, eu soprei lá para dentro, até ficar cheia de beijos". A mãe ficou arrasada. Ajoelhou-se e pediu perdão pela rispidez irracional, abraçando-o com ternura.
Pouco tempo depois, um acidente tirou a vida ao menino, e a mãe guardou a caixa dourada perto da sua cama. Sempre que estava deprimida ou tinha problemas, abria a caixa e imaginariamente tirava um beijo e lembrava o amor que a criança colocou lá.
Na verdade, cada um de nós já recebeu uma caixa dourada repleta de amor da nossa família e amigos....
Não há maior tesouro do que consegui-lo...

(autor desconhecido)

24 Comentários:

Às 16 outubro, 2008 01:03 , Blogger Betty Branco Martins disse...

.querido Peter




________uma doçura



ternura



uma




belíssima


lição de amor__________...






beijO_____

 
Às 16 outubro, 2008 04:28 , Blogger o que me vier à real gana disse...

Eivado de emoção; pleno de sentimento...excelente!


P.S. peter, acabo de linkar o seu blog tb.
Abraço

 
Às 16 outubro, 2008 09:51 , Blogger lusitano disse...

Emocional como sou e embora já conhecendo a história não pude deixar de sentir um frémito no coração.

Obrigado!

Às vezes andamos tão distraidos que nem nos lembramos dos beijos silenciosos que nos dão os que nos amam.

 
Às 16 outubro, 2008 10:56 , Blogger Peter disse...

Betty

Já andava farto de materialismo.

Bom fds que se aproxima.

 
Às 16 outubro, 2008 10:58 , Blogger Peter disse...

o que me vier à real gana

Obrigado pela "linkação", já lá vou espreitar. :)

 
Às 16 outubro, 2008 11:04 , Blogger Peter disse...

lusitano

É. Eu até já a tinha publicado aqui no blog.
O blog já estava com economia a mais e eu precisava de sonhar. Assim ou procurava no espaço ou aqui na Terra. Optei por procurar aqui o amor e a ternura neste belo conto pelos vistos por demais conhecido.

Abraço, pois já fazes parte da "casa".

 
Às 16 outubro, 2008 11:07 , Blogger Peter disse...

o que me der na real gana

E em 1º lugar, não fizeste por menos!

Obrigado, abraço.

 
Às 16 outubro, 2008 11:31 , Blogger lusitano disse...

Peter

Obrigado pelo acolhimento.

Acabo de te "linkar" nas minhas "Politiquices".

Abraço

 
Às 16 outubro, 2008 11:36 , Blogger Blondewithaphd disse...

Já as recebemos, já as perdemos, já nos esquecemos delas, já as guardámos e até já as deitámos fora por vezes. São tantas as caixas douradas...

 
Às 16 outubro, 2008 14:05 , Blogger Peter disse...

blondewithaphd

Mas guardaste algumas, não guardaste?

 
Às 16 outubro, 2008 15:42 , Blogger Ant disse...

então não estavas a falar de economia?
mania de entender tudo ao contrário...
;))

abraço e muitas prendas

 
Às 16 outubro, 2008 15:46 , Blogger vbm disse...

Lembra-me o poema
de Eugénio de Andrade:


«Hoje roubei todas as rosas dos jardins
e cheguei ao pé de ti de mãos vazias.»


:)

 
Às 16 outubro, 2008 19:09 , Blogger Meg disse...

Peter,

Não conhecia o conto e se era para comover aé às lágrimas... conseguiste.
Como somos tantas vezes cegos e estupidamente insensíveis!

Obrigada por este "abanão".

Um abraço

 
Às 16 outubro, 2008 19:11 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

não conhecia e deixou-me de peito apertado, estivestes muito bem.

 
Às 16 outubro, 2008 20:44 , Blogger sagher disse...

cego é todo aquele que nao quer ver

 
Às 16 outubro, 2008 22:27 , Blogger Peter disse...

ant

Quem sabe de Economia é o vbm.

Abraço amigo.

 
Às 16 outubro, 2008 22:33 , Blogger Peter disse...

vbm

Não queres substituir a resenha sobre o João Salgueiro por um poema do Eugénio de Andrade? Podia ser esse, do qual publicaste os dois versos.
Depois diz quando queres publicar.

Abraço amigo.

 
Às 16 outubro, 2008 22:38 , Blogger Peter disse...

Meg

O que vale é existirem pessoas como tu que ainda se comovem com um conto de blog.
Também tive a sorte de encontrar no Google uma bonita imagem.

 
Às 16 outubro, 2008 22:39 , Blogger Peter disse...

Obrigado Tiago, tens sempre uma palavra de estímulo.

 
Às 16 outubro, 2008 22:41 , Blogger Peter disse...

sagher

Os brasileiros inundam-nos com contos e pps de muito bom nível.

 
Às 16 outubro, 2008 22:58 , Blogger stériuéré disse...

Olha, conversa de xaxa este blog não tem nada ( no bom sentido). Li este blog que encontrei não sei onde mas , fiquei muito contente de o ter encontrado. Achei a tua conversa de xaxa um espectáculo. Esta história infelizmente tem de muito real, e cada vez é mais certo que os pais pela forçada falta e tempo, não conseguem dar a merecida atenção aos seus filhos.Se quiseres visitar o meu pequeno blog ficaria muito contente.
Parabéns pelo maravilhoso blog.Repetirei a visita de certeza e se não te importares irei colocá-lo no meu .

 
Às 17 outubro, 2008 00:50 , Blogger Peter disse...

stériuéré

Tem um belíssimo texto de crítica social no seu blog, que vai passar a constar dos n/links.
Agradeço as suas palavras amáveis que são sempre um incentivo. Acho que considerar o "conversas de xaxa" com honras de quadro dos melhores é (desculpe) exagerado.

Já é 6ªF, bom fds.

 
Às 17 outubro, 2008 10:12 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Esplêndido!

 
Às 17 outubro, 2008 11:57 , Blogger Carol disse...

Já conhecia, mas é daquelas histórias que vale sempre a pena reler.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial