sábado, junho 20

Hubble finds ring of dark matter


May 15, 2007: Astronomers using NASA's Hubble Space Telescope have discovered a ghostly ring of dark matter that formed long ago during a titanic collision between two massive galaxy clusters. The ring's discovery is among the strongest evidence yet that dark matter exists.
Astronomers have long suspected the existence of the invisible substance as the source of additional gravity that holds together galaxy clusters. Such clusters would fly apart if they relied only on the gravity from their visible stars.
Although astronomers don't know what dark matter is made of, they hypothesize that it is a type of elementary particle that pervades the universe.

This Hubble composite image shows the ring of dark matter in the galaxy cluster Cl 0024+17. The ring-like structure is evident in the blue map of the cluster's dark matter distribution. The map was derived from Hubble observations of how the gravity of the cluster Cl 0024+17 distorts the light of more distant galaxies, an optical illusion called "gravitational lensing".
Although astronomers cannot see dark matter, they can infer its existence by mapping the distorted shapes of the background galaxies. The map is superimposed on a Hubble Advanced Camera for Surveys image of the cluster taken in November 2004.

5 Comentários:

Às 20 junho, 2009 07:38 , Blogger vbm disse...

Impressivo.

E realmente tem de haver uma causa para a não dispersão da matéria das galáxias. Ora, se a massa das estrelas de luz não tem esse poder de atracção em grau suficiente, algo o terá!

A ser o caso, é natural que seja qualquer coisa bem diferente das "massas de luz" pois o poder requerido em muito as supera...

Será então verdade que quando Deus, no primeiro dia, só criou a matéria lucifera («a matéria luminosa»), e nada mais, foi porque só conseguiu fazer isso...?

Ao contrário do que os humanos dizem, sempre me pareceu inumanamente que «Deus» era nilpotente: em vez de um universo luminoso, limitou-se a acender uns míseros «cotos de vela» dostoievskianos... :)

 
Às 20 junho, 2009 10:25 , Blogger Peter disse...

vbm

O "alf" apresentou uma justificação quanto a mim plausível:

"A única coisa que o parâmetro «matéria negra» representa é "campo gravítico". E não pode representar mais nada.

A deflexão da luz é uma propriedade do campo gravítico. O que se passa é que o campo gravítico da galáxia não é o que resulta do modelo do Big Bang e à diferença entre o campo previsto e o observado chamou-se matéria negra».

Bom fds

 
Às 20 junho, 2009 16:08 , Blogger Papoila disse...

Querido Peter:
Foto de sombra fascinante do que não se pode ver mas se mapeia no jogo de luz e sombra e na incapacidade da luz atravessar a matéria negra.
Regressada de férias, atulhada em trabalho!
Beijos

 
Às 20 junho, 2009 16:10 , Blogger vbm disse...

Compreendo. Mas essa diferença de força gravítica entre o modelo de cálculo e o requerido para a aglomeração das galáxias implica a tal deflecção da luz que acumula a massa de fotões-corpúsculos sem ondas luminosas reflexas, assim individuando cada galáxia, mas dispensando hipostasiar que se trate de uma qulaquer nova substância. É o que eu digo, lol, «Deus» é nilpotente, tudo acontece, ou não, «sem ele saber ler nem escrever»! :)

 
Às 20 junho, 2009 18:51 , Blogger Peter disse...

Papoila

Já estive espreitando Miróbriga, que não conheço.
As férias acabam sempre demasiado depressa.
Contingências de natureza pessoal e familiar, levam-me sempre a colocar as minhas férias no mês em que o país fecha: Agosto. Tal não impede que no entretanto, como fiz agora nos feriados, não vá lá passar uns dias. É descanso para a empregada que recebe e não trabalha, mas o pior é o preço da gasolina.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial