quinta-feira, junho 11

NOVAS QUALIFICAÇÕES (CENTROS NOVAS OPORTUNIDADES)

Ø *Especialista de Fluxos de Distribuição* - (paquete)
Ø *Supervisora Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde*- (mulher da limpeza)
Ø *Coordenador de Fluxos de Entradas e Saídas* - (porteiro)
Ø *Coordenador de Movimentações e Vigilância Nocturna* - (segurança)
Ø *Distribuidor de Recursos Humanos *- (motorista de autocarro)
Ø *Especialista em Logística de Combustíveis* - (empregado da bomba de gasolina)
Ø *Assessor de Engenharia Civil* - (trolha)
Ø *Consultor Especialista em Logística Alimentar *- (empregado de mesa)
Ø *Técnico de Limpeza e Saneamento de Vias Públicas* - (varredor)
Ø *Técnica Conselheira de Assuntos Gerais* - (cartomante/taróloga)
Ø *Técnica em Terapia Masculina *- (prostituta)
Ø *Técnica Especialista em Terapia Masculina *- (prostituta de luxo)
Ø *Especialista em Logística de Produtos Químico-Farmacêuticos* - (traficante de droga)
Ø *Técnico de Marketing Direccionado *- (vigarista)
Ø *Coordenador de Fluxos de Artigos* - (receptador de objectos roubados)
Ø *Técnico Superior de Recolha de Artigos Pessoais* - (carteirista)
Ø *Técnico de Redistribuição de Rendimentos *- (ladrão)
Ø *Técnico Superior Especialista de Assuntos Específicos Não Especializados* - (político)

(recebido por e-mail)

10 Comentários:

Às 13 junho, 2009 00:43 , Blogger Meg disse...

Peter,

Eu venho de 10 (dez) horas de trabalho...cansada como podes imaginar, mas consigo ainda reconhecer que hoje é sábado...
Não te enganaste no dia da anedota?
...ou resolveste oferecer-me um bónus?
Por acaso não consto da lista... mas acho a nomenclatura incompleta.
Que tal um dr. para dar mais lustro?
Obrigada pelas boas gargalhadas com que acabo este dia...

Um abraço

 
Às 13 junho, 2009 08:42 , Blogger Peter disse...

Meg

Ainda bem que te proporcionei umas boas gargalhadas. Eu ando com uma tendinite calcificada no braço esquerdo, que me tira a vontade para tudo.

Abraço e bom fds

 
Às 14 junho, 2009 02:45 , Blogger alf disse...

Este post divertido vem, no entanto, ao encontro de um assunto muito mais sério, que surgiu no debate de comentaristas no último post do «outrmargem». É o seguinte:

A Evolução parece ser a consequência da existência de Oportunidades. Sem Oportunidades, não há Evolução.

A Evolução nas sociedades humanas raramente foi algo que interessasse aos poderes e interesses instituídos, porque os poderia questionar. Assim, estes agiram quase sempre no sentido de cortar as oportunidades. Cultivava-se o horror à mudança, em paralelo com o horror aos não católicos e aos comunistas.

Nos EUA, cultiva-se a «igualdade de oportunidades», significando a maximização da capacidade de gerar oportunidades. Por essa razão os EUA se tornaram o país mais desenvolvido do mundo. Essa a chave da sua «vitória», não o sistema económico de per si ou o sistema político.

Os portugueses são definidos pelo balde de caranguejos portugueses. Aqui ninguém quer maximizar as Oportunidades. Aqui ninguém reclama pela falta de Oportunidades. As Oportunidades incomodam, não a falta delas.

 
Às 14 junho, 2009 16:33 , Blogger Peter disse...

alf

Julgo que lhe devo uma explicação: o blogue tem funcionado com 2 elementos-base: a “bluegift” e eu. Houve uma fase em que tinha 3 elementos e outra, como agora, em que tem 4. Dos elementos que actualmente o constituem, apenas a “bluegift” não conheço pessoalmente.

No “conversas” 2 e/ou 3 houve problemas complicados de resolver, por causa de procedimentos, artigos e comentários escritos por um e uma dos elementos de então e é isso que eu procuro evitar que possa voltar a acontecer.

Relativamente ao “post” eu penso que ele traduz este desejo pacóvio, bem português, de substituir o nome das pessoas pelo título académico de Dr, tantas vezes imerecido, pois trata-se muitas vezes de Lics.
Aliás o título académico por vezes nem sequer representa uma melhoria profissional e, muito menos, um aumento no vencimento. O aumento de oportunidades não surge pelo facto, por exemplo, de um Agente Técnico de Engª, passar a ser designado por Engenheiro.

Quanto a:

“A Evolução nas sociedades humanas raramente foi algo que interessasse aos poderes e interesses instituídos, porque os poderia questionar. Assim, estes agiram quase sempre no sentido de cortar as oportunidades. Cultivava-se o horror à mudança, em paralelo com o horror aos não católicos e aos comunistas.”

Penso que ultrapassámos essa fase.

 
Às 14 junho, 2009 17:54 , Blogger antonio - o implume disse...

Gostei do Técnico de Marketing Direccionado, tem muita saída neste país e chega-se aos mais altos postos, ouvi dizer.

 
Às 14 junho, 2009 22:29 , Blogger alf disse...

Peter

Sim, sem dúvida, são vestígios de uma sociedade muito diferenciada, que pertence cada vez mais ao passado.

Eu apanhei uma fase de transição, que se caracterizou por esforços ridiculos de uns por passarem pelo que não eram e de esforços lamentáveis de outros para evitarem a ascensão social dos restantes; e terei as minhas feridas dessa luta. Ambos pensavam defender os seus interesses mas estavam enganados - o melhor para todos é fomentar oportunidades, permitindo que cada um encontre o espaço onde o seu mérito pode surgir. Mérito este que não advém de títulos mas do reconhecimento pelo seu contributo para a sociedade, sobretudo a sociedade dos amigos próximos.

 
Às 14 junho, 2009 22:34 , Blogger heretico disse...

imaginação ao poder!

excelente.

"desopilei" o fígado com a gargalhada.

abraços

 
Às 15 junho, 2009 00:05 , Blogger Peter disse...

alf

Concordo contigo:
"o melhor para todos é fomentar oportunidades, permitindo que cada um encontre o espaço onde o seu mérito pode surgir"

E é isso que estamos a assistir de há 35 anos para cá?
Claro que não posso citar nomes (já voltámos a isso) mas eles circulam nos e-mails que trocamos entre nós. Não vivemos na ignorância e o conhecimento que temos das pessoas e dos factos, vem ao de cima na altura das eleições, como sucedeu quando o P.S. ganhou a maioria nas Legislativas e como sucedeu agora com a derrota estrondosa que o mesmo teve nas eleições para o PE.

 
Às 15 junho, 2009 01:12 , Blogger alf disse...

Peter

O problema da falta de oportunidades e da corrupção tem algo de comum - em ambos as pessoas lutam pelos seus interesses pessoais imediatos em detrimentos dos interesses e direitos dos outros.

E há uma base cultural para isto. Há muitas coisas na cultura portuguesa tradicional que estão completamente erradas, desfasadas no tempo, tal como muitas das receitas do antigo testamento que estão muito na base desta cultura.

As primeiras noivas de Sto António, há apenas algumas décadas atrás, precisavam de um atestado de virgindade; cuspir para o chão era símbolo de masculinidade; o homem que assume a mulher como propriedade sua era o paradigma. A cunha, o favor, o padrinho, era a maneira de estar na vida. Cada um achava-se no direito de fazer o que lhe fosse mais conveniente, desde que não fosse apanhado pela polícia. Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão. Quem não rouba ou é tolo ou não sabe da arte.

Cá para mim, este é o primeiro governo desde o 25 de Abril que está realmente empenhado em melhorar as coisas. Não é fácil, dado o pântano que isto se tornou. E que ficou bem à vista assim que que começaram a endireitar as coisas - afinal, parece que toda a gente vive de esquemas; e eu conheço muitos, em todas as classes profissionais - professores, desses que andam para aí aos gritos contra a avaliação e eu bem sei porquê, médicos, que partem os terminais de ponto nos hospitais para poderem continuar a passar pelos hospitais só para dizerem aos doentes que os tratam na sua clínica (como se viu, os tempos de espera para as operações às cataratas foi construido pelos oftalmologistas para fazerem operações no privado), os juizes não se reformam, são «jubilados», para manterem todas as regalias do ativo, etc, etc, etc.

Há uma janela de oportunidade para mudar as coisas porque há uma nova geração que trabalhou muito para conseguir a sua formação e quer a sua oportunidade, quer uma meritocracia. Mas não vai ser um combate fácil, porque a partir de certo grau de expansão a corrupção torna-se invencível, passa a ser «o sistema». Mas o Sócrates ganhou a primeira batalha, a MFL também ganhou uma batalha interna, as coisas vão ficar mais fáceis, quer as próximas eleições sejam dele ou da MFL. Mas a luta contra a corrupção não acaba nunca, é preciso aproveitar este espaço para a endurecer, não para tibutear.

 
Às 15 junho, 2009 18:25 , Blogger vbm disse...

De qualquer maneira, é rídicula e pirosa a tendência sindical de atribuir nomes pomposos a qualificações de modesta actividade profissional. Os contratos colectivos de trabalho abusam desse síndroma de néscia valorização lexical.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial