domingo, março 15


Tamara de Lempika


Sou eu que te penso
antes de teres existido.
Pensando te crio
um nome
como te invento
um rosto
e nos olhos a cor
onde me reflicto
mas não o exacto lugar
onde moras
e me fixo.
No ontem perdido
em ti recupero
o tempo e o cisco.
No sonho redimo
o que só a viver
tem sentido.


Fernando Namora

Etiquetas: ,

4 Comentários:

Às 15 março, 2009 09:56 , Blogger Peter disse...

Não é vulgar aparecerem por aqui versos do Fernando Namora. Tive o prazer do conhecer pessoalmente e de ter estado em casa dele que era no princípio da Av Infante Santo, do lado direito, quando se desce.
Foi médico em Monsanto e em Pavia, terras onde viveram e onde nasceram familiares meus.
Talvez por isso tudo, acedeu a ir fazer uma palestra a um estabelecimento de ensino onde eu dava aulas.

Coincidências...

 
Às 15 março, 2009 12:25 , Blogger vbm disse...

:))

E olha que este pequeno poema dele é perfeito,
no distanciar-se do prazer complacente de sonhar,
«que só a viver tem sentido».

 
Às 15 março, 2009 16:06 , Blogger Meg disse...

"...No sonho redimo
o que só a viver
tem sentido..."


Dizer que gostei do poema de Fernando Namora é muito pouco.
Vê-lo aqui recordado é um momento especial.

Um abraço

 
Às 15 março, 2009 17:54 , Blogger vbm disse...

:)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial