sábado, março 7

Como é?

Estou parado dentro do meu carro num sinal vermelho, com os vidros fechados e o carro trancado.
Sou abordado por um indivíduo que me aponta uma arma e me manda sair do carro.
Como tenho licença de porte de arma e ando sempre com o revolver junto à alavanca de mudanças, dou-lhe um tiro no rosto através do vidro e mato-o.
Vem a polícia e leva-me preso, porque não posso fazer justiça pelas minhas próprias mãos.

Concordo. Não estamos no Far West, somos uma sociedade civilizada e tolerante. Tão tolerante que ao fim de 13, ou 19 anos, dois moçambicanos esperam que lhe façam justiça:
- trabalhavam numa firma portuguesa em Moçambique e foram convencidos a vir para Portugal, onde teriam um curso de reciclagem e ganhariam mais. Pois, pois, trabalhavam 12h/dia e ganhavam 35€ mensais. Não podiam regressar a Moçambique porque os patrões tinham-lhe retirado os passaportes. Conseguiram finalmente levar os patrões a tribunal e pedem uma indemnização de 90.000€. Continua a escravatura.

Os jornais não falaram no assunto. Pois não. Impera o “His master’s voice”. O PR lá teve as suas razões quando vetou a lei do pluralismo e da concentração social, impedindo assim o Governo, governos regionais ou autarquias de serem proprietários de órgãos de comunicação, à excepção do serviço público de rádio e televisão, a RTP.
Mas “eles” voltarão à carga…

Voltando à minha história: o melhor é dar o carro, novinho em folha, ao senhor ladrão e passar a utilizar os transportes colectivos. Afinal é um insulto, em plena crise comprar um carro novo.

8 Comentários:

Às 07 março, 2009 19:41 , Blogger antonio - o implume disse...

Mas tu compraste um carro novo? Espero mesmo que tu roubem!

Carro novo? O desplante! E a Qimonda? Tu não te preocupas com a Qimonda?

 
Às 07 março, 2009 19:55 , Blogger vbm disse...

Tanto quanto suponho saber
a lei não condena matar
em legítima defesa.

 
Às 07 março, 2009 21:32 , Blogger heretico disse...

matar é crime. sempre...

a "legitima defesa" (provada) é apenas causa de exclusão de responsabilidade criminal.

... por isso fazes bem em entregar o carro. rsss

abraço

 
Às 07 março, 2009 22:42 , Blogger Peter disse...

Meus caros amigos

Tudo isto é "conversa de xaxa", paguei este mês o imposto de circulação do carro comprado em Março de 2002 e que tem 69 mil e tal quilómetros. Poupadinho...

Quem muda de carro de 2 em 2 anos, ou talvez seja um dos 7 portugueses que já comprou um Ferrari este ano, é capaz de ser esse nosso compatriota que pagava 35€ por mês aos dois moçambicanos
que trabalhavam 12h/dia e a quem ele retivera os passaportes.
(noticiário TVI de ontem às 20h)

 
Às 08 março, 2009 10:22 , Blogger vbm disse...

herético,

Concordo que tem de ser provada.
No entanto, crime é assaltar,
e mais grave, à mão armada.

Além de em legítima defesa,
também não é crime
matar em guerra.

 
Às 08 março, 2009 12:10 , Blogger Peter disse...

vbm

Supõe que a história é real (55% dos crimes em 2008). Se o fizesse era detido, levado perante um juiz, muito possivelmente era-me aplicada uma medida coerciva e depois ficaria 13, ou 19 anos à espera de ser levado a julgamento, como esse dois desgraçados moçambicanos que foram reduzidos à mais abjecta exploração.

Acresce que ponho as minhas dúvidas que matar o senhor ladrão que me ameaça com uma arma de fogo, e me pretende roubar o carro, possa ser considerada por alguns juízes como legítima defesa.

Agora quanto à guerra, essa não!
A guerra é a destruição física do inimigo. Querias que matar fosse considerado crime?

 
Às 09 março, 2009 10:44 , Blogger Ant disse...

Várias questões
1. a crise não é desculpa para tudo o que é roubo. Se fosse até eu roubava. Mas não é.
2. nem me passa pela cabeça ter uma arma. sou objector de consciência, acho que não é por aí... embora às vezes... por isso é melhor nem sonhar com isso.
3. a escravatura nunca foi verdadeiramente abolida.
4. a comunicação social rege-se por acções susceptíveis de provocar audiências. Por outro lado há as audiências controladas, ou seja, há quem manter a aparência de liberdade tortal e fazer saber umas coisas para depois esta passarem à história.
Quanto ao PR... bem... deixa-os poisar e vais ver o que ele faz.
5. mais importante que tudo é ,sabermos que os nosso brinquedos podem ser cobiçads pelos outros meninos....

Abraço

 
Às 09 março, 2009 14:15 , Blogger vbm disse...

À luz do direito natural, matar é natural. Ora, em defesa própria, matar é natural. E legítimo. Isto é tão verdadeiro que o próprio direito penal condena com menor severidade, por exemplo, a resistência física à autoridade. Já em guerra, aniquilar o inimigo=matá-lo é lícito embora dificilmente uma guerra ofensiva seja uma guerra justa. O pacifismo só é válido dentro de parâmetros estreitos - uma certa ordem e paz internacional, nomeadamente. Fora desses limites, o pacifismo é imbecil. Igualmente, numa sociedade onde não há justiça nem igualdade, o lógico é a subversão e a rebelião, com a justiça feita pelos próprios. Quem não vê isto é cego e nada percebe de política, filosofia, sociologia e direito.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial