domingo, fevereiro 22



Vim há dias da minha terra
onde encetei a leitura
de uma colectânea
de poemas em
homenagem
ao Porto,

Abre assim


Ao Visitante

Entrego-te as chaves da cidade
A chave da torre que do alto nos abre
O voo das aves e os pórticos do mar
A chave das muralhas do burgo antigo
Que nos abre os mistérios do rio
A chave viva dos arcos da ribeira
Na livre expressão das falas do povo
E chave de cais, senhora zelando
Os tesouros do sol no ouro do vinho


(Luís Veiga Leitão)

Etiquetas: ,

13 Comentários:

Às 22 fevereiro, 2009 11:57 , Blogger Marta disse...

O Porto...
Uma cidade, uma história, a minha vida...
Obrigada...
Até já
Beijos e abraços
Marta

 
Às 22 fevereiro, 2009 18:58 , Blogger vbm disse...

:))

Também sinto assim, mas com nuances. Pois, além do Porto, também tenho outra história, outra cidade e a mesma vida!

:)

 
Às 22 fevereiro, 2009 22:19 , Blogger Papoila disse...

O Porto!Luís Veiga Leitão um querido poeta desta minha cidade.
Beijos

 
Às 23 fevereiro, 2009 00:05 , Blogger Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

LISBOA = PORTUGAL

Olá Peter

Gosto do Porto, mas abomino o JNPdaC, que já pediu a MINHA CABEÇA numa bandeja, mesmo sem Salomé. Adiante. Se quiseres, depois explico-te.

Cheguei aqui – e gostei. Um bom blogue. Muitos parabéns. O post anterior, sobre as agruras da Oposição, está muito bom. E mesmo com Friportes e coisas mais à mistura, o Sócrates... Nem a fronda do Alegre faz muita mossa, quanto mais o gangue do Louçã.

Vou voltar e, se possível, seguir. Se quiseres fazer o mesmo – e os teus correspondentes também – muito agradeço. Estou a «coleccionar», com muito boa intenção, muito prazer e muita honra, Seguidores.

Hoje, porem, quero informar-te que tenho postada no meu blogue a história macabra de um tiro que deram no meu neto número dois, o Rodrigo que vai a caminho dos 13 nos. Boa praça. Permito-me fazê-lo para alertar as pessoas e tentar evitar que lhes sucedam estórias inqualificáveis como esta. Desculpa-me a chatice, mas é com boa intenção, como compreenderás.

Na quarta-feira 17, ele ia a sair da escola pelas quase três da tarde. Uma ferrada. Fora um chumbo de um tiro de pistola de ar. Ambulância, hospital, radiografia, depois uma TAC, tinha o pequeno projéctil alojado no lado esquerdo do pescoço. Os médicos decidiram não o operar, pois que a posição do projéctil não aconselhava a intervenção. Estava – e está – muito próximo da jugular. Felizmente, o Rodas agora está bem. E dizem que foi uma «brincadeira» de Carnaval. Estúpida e criminosa, digo eu.

Abs = abraços

PS – Este é um texto padrão, com as óbvias e necessárias adaptações. Espero que compreendas. Obrigado

O meu imeile ou imilio:

hantferreira@gmail.com

 
Às 23 fevereiro, 2009 09:39 , Blogger Peter disse...

Antunes Ferreira

Este blogue é colectivo: o texto não é meu, é do "vbm" e quanto a coleccionar "seguidores" é assunto que excede os meus conhecimentos informáticos, pois quem trata deles é a "bluegift", sempre muito ocupada e que vive e trabalha no estrangeiro.
Quanto ao Porto, quem me tira Lisboa, tira-me tudo.

Obrigado pela visita.

 
Às 23 fevereiro, 2009 10:10 , Blogger vbm disse...

:)

 
Às 23 fevereiro, 2009 14:29 , Blogger Pequito Romero disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 23 fevereiro, 2009 14:31 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Olha, olha ... o amigo PETER é um sulista, liberal e elitista quanto baste.
Então isso é lá coisa que se diga, ó meu caro? :)

 
Às 23 fevereiro, 2009 14:51 , Blogger vbm disse...

É sim. É coisa que se diga!

Nem mesmo sei como se possa ser
sem se ser:

sulista
elitista
liberal.


É o que o Porto sempre foi:

liberal - com D. Pedro e Garrett;
elitista - fidalgos fora de portas;
sulista - de Londres, só a Mãe do Infante.


Quanto ao mais, acho muito bem
que Lisboa e não Madrid,
comande o Porto;

desde que se ilumine
pela arte da cidade-luz parisiense
e o pragmatismo da fleuma londrina.

:))

 
Às 23 fevereiro, 2009 16:45 , Blogger Peter disse...

Ferreira Pinto

Toma nota do que diz o vbm:
"acho muito bem
que Lisboa e não Madrid,
comande o Porto"

E,já agora tira-me uma dúvida:
é verdade que na tão "badalada" Casa da Música, que custou milhares de milhões, não se pode representar ópera porque o famosíssimo arquitecto se esqueceu do "fosso" para a orquestra?

Estou só a perguntar...

 
Às 23 fevereiro, 2009 17:38 , Blogger vbm disse...

Se não tem fosso para orquestra
foi de certeza de propósito
e não por esquecimento.

Isto é, teve-se em vista
não exibir espectáculos
de ópera na Casa da Música.

O Teatro Nacional de S. João do Porto
é perfeitamente apto a espectáculos
de ópera - penso eu, ou,
então, o Rivoli!

 
Às 23 fevereiro, 2009 18:09 , Blogger Peter disse...

vbm

"teve-se em vista não exibir espectáculos de ópera na Casa da Música"

Obrigado, fiquei esclarecido, pois estava a fazer-me confusão.

Boa 3ªF gorda!

 
Às 23 fevereiro, 2009 22:06 , Blogger vbm disse...

Ok.

Mas olha que apenas
enunciei uma conjectura.
Nada sei, factualmente.

Bom Carnaval.
Vasco

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial