domingo, janeiro 4



Em 22 de Maio de 2004, 34 cientistas
publicaram no New Scientist uma
“Carta aberta à comunidade científica”
em que argumentam contra a ortodoxia do big bang:

— «O big bang assenta hoje num número crescente de entidades hipotéticas,
de coisas que nunca foram observadas, de que a inflação, a matéria negra
e a energia escura são os exemplos mais flagrantes.

Sem estas entidades haveria uma contradição directa entre as observações
dos astrónomos e as predições feitas pela teoria do big bag.

Este recurso continuado a novos objectos hipotéticos
para tapar o fosso entre a teoria e a observação
não seria aceite em nenhum outro campo da física.

Levantaria, pelo menos, objecções muito sérias
sobre a validade da teoria subjacente.

Mas a teoria do big bang não pode sobreviver sem estes elementos reportados.
Sem o campo hipotético que é o da inflação o big bang não prediz
a radiação de fundo cosmológica homogénea e isótropa tal como é observada,
porque não haveria razão nenhuma para que partes do universo hoje
distantes no céu por vários graus estejam à mesma temperatura e
assim emitam a mesma quantidade de radiação de micro-ondas.

Sem uma certa matéria negra, diferente de tudo quanto
temos observado sobre a Terra,apesar de vinte anos de experiências,
a teoria do big bang faz predições contraditórias sobre a densidade
da matéria no universo. A inflação necessita de uma densidade
20 vezes maior que a implicada na nucleosíntese, que é a explicação
teórica da origem dos elementos leves no quadro do big bang.

E sem a energia escura, a teoria prediz que o universo não tem senão
8 mil milhões de anos, o que é vários milhares de milhões de anos
mais jovem que muitas estrelas da nossa galáxia.


( ) E o que é mais, a teoria do big bang não pode gabar-se de nenhuma predição
quantitativa que tivesse de seguida sido confirmada pela observação.
Os sucessos reivindicados pelos defensores da teoria
devem-se à sua capacidade de se adaptar
retrospectivamente
às observações,

por via dum acrescento continuado de parâmetros ajustáveis,
tanto como a cosmologia geocêntrica de Ptolomeu
necessitava de camadas sucessivas de epiciclos. ( )»

...

Etiquetas: ,

4 Comentários:

Às 04 janeiro, 2009 12:28 , Blogger trouble sleeping disse...

Muito interessante.
Bom domingo

 
Às 04 janeiro, 2009 13:03 , Blogger vbm disse...

:) Bom domingo, 'trouble sleeping',
e 'sono repousado', logo à noite! :)

ab.,
v.

 
Às 04 janeiro, 2009 13:58 , Blogger Manoel Carlos disse...

Nossa capacidade de observação ainda é muito limitada para comprovarmos ou refutarmos muitas teorias.

 
Às 04 janeiro, 2009 15:11 , Blogger vbm disse...

Mesmo assim..., manoel carlos,
custa aceitar uma teoria
que remete a matéria estelar,
- de que somos feitos -,
para uns míseros 4%
do universo!

:)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial