sábado, setembro 27




A inteligência do animal nasce do hábito
a que a sequência repetida dos eventos
do mundo o acostuma.

O mesmo é dizer que tudo são probabilidades
de grau maior ou menor, entre a certeza
da ocorrência, ou não, de um qualquer evento.

Ouvi dizer que os golfinhos têm um Q.I.
superior ao nosso. Eles, imersos no oceano;
nós, nesse outro verdadeiro oceano de ar,
que é atmosfera.

Numa expedição científica para observação
de um eclipse solar em pleno oceano,
os cientistas depararam-se com uma
anormal presença de golfinhos
na mesma zona do mar!

Tudo leva a supor, também eles
sabem formular a previsão de eclipses.


Será, então, que a inteligência do homo sapiens
não supera a dos golfinhos?

Colectivamente, eu creio que sim.

Por esta razão: enquanto aqueles mamíferos aquáticos
alcançaram, no oceano, uma adpatação perfeita ao seu meio,
nós, humanos, para lá de termos conseguido o mesmo,
no nosso próprio oceano, a atmosfera terrestre,
e para lá de conseguirmos modo de penetrar
em meios adversos como o do mar profundo
e o cosmos interplanetário,

nós, colectivamente, em sociedade,
na transmissão do saber pela instrução
de cada nova geração, alicerçamos
uma explicação do mundo

que independe do que dele desejamos
ou não desejamos, isto é, dispomos
de uma percepção inteligente
não-antropomórfica
do universo.

Não podem os golfinhos dizer o mesmo!

Etiquetas: ,

5 Comentários:

Às 27 setembro, 2008 13:05 , Blogger Peter disse...

Muito interessante este texto sobre o meu "irmão" golfinho, como diria S.Francisco de Assis.
Há pouco tempo li uma notícia, julgo que foi na Nazaré, em que um pescador encontrou um golfinho preso numas redes e se lançou ao mar para o libertar. O animal (?) permaneceu quieto enquanto estavam a ser cortadas as redes, como se se apercebesse do que o pescador estava a fazer.

 
Às 27 setembro, 2008 16:33 , Blogger Olhos de mel disse...

É meu amigo! Cada ser traz em si, uma inteligencia direcionada. A diferença está no meio de aflorar essa inteligência. Acho que o estímulo repetitivo faz um efeito enorme. Mas confesso não ter embasammento nenhum científico para tal.
Bom fim de semana! Beijos

 
Às 27 setembro, 2008 21:18 , Blogger Papoila disse...

Os golfinhos fascinam-me. Se evoluissem socialmente como nós humanos no oceano atmosférico, se fossem os "donos" do mundo, estou certa que não nos colocariam em caixinhas de ar para os divertirmos com as nossas habilidades.
Beijo

 
Às 28 setembro, 2008 10:03 , Blogger vbm disse...

Hum... Não sei se não o fariam...

 
Às 29 setembro, 2008 12:53 , Anonymous Anónimo disse...

E como é que sabe o que é que os golfinhos dizem ou pensam? Infelizmente por mais "intelectual" que o homem se percepcione a sua visão como magnificiência do universo é muito difícil de abandonar...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial