sexta-feira, fevereiro 22

Verdade ou Mentira I

Dado o elevado número de mensagens que recebemos por "correntes" via email relatando casos de corrupção e de injustiça social, e dada a nossa impossibilidade de verificar a veracidade de cada um, resolvemos a partir de hoje proceder à sua publicação directa, sem modificação do conteúdo.
Desta forma esperamos obter: ou um desmentido, que resultará na sua imediata retirada; ou uma melhor divulgação de situações para as quais se torna necessário alertar a opinião pública.
Esperamos assim estar a contribuir de forma cívica para um melhor combate à corrupção no nosso País.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

mensagem recebida a 20/02/2008

Novos diplomas publicados pelo governo determinam que as juntas médicas da Caixa Geral de Aposentações, da ADSE e das comissões de verificação de incapacidades da Segurança Social passam a ser compostas exclusivamente por médicos e uniformizam todos os procedimentos nesses casos.
Em resultado disso verificam-se as seguintes situações:

1 - José Luís Branquinho, cantoneiro, com 29 anos de serviço foi submetido a uma intervenção cirúrgica à coluna e só consegue andar com a ajuda de canadianas. A Junta Médica da ADSE considerou-o apto para trabalhar. Num aparente acto de contricção, a Junta Médica da ADSE-Centro afirma no seu parecer que o funcionário "deve evitar esforços físicos".

2 - Maria Conceição Marques, professora do ensino básco, afastada do ensino desde 1997 por ter sido vitimada por três cancros -na mama, útero e língua- que lhe deixaram graves sequelas, foi considerada apta por uma junta médica e obrigada a voltar a dar aulas.

3 - Paulo Teixeira Pinto, com 46 anos, jurista e ex-presidente executivo do BCP, indica que passou "à situação de reforma em função de relatório de junta médica", recebeu uma indemnização de 10 milhões de euros pela saída do banco e aceitou receber uma pensão vitalícia de 35700 euros/mês.

Esta é a grande diferença que deveria convocar a indignação activa(*) de todos. Paulo T. Pinto, aposentado por insuficiência paga pelo erário público, além da colaboração com o grupo Champalimaud no Brasil, que iniciou depois de ter abandonado o BCP, vai trabalhar com a Eurogroup, em consultoria de estratégia e organização de empresas; vai também integrar o Conselho Geral do Grupo Lena e vai ainda assumir o cargo de consultor de um grande escritório de advogados - Abreu Advogados. Nada teriamos a opor a esta actividade técnica-profissional mas! como aceitar que tenha sido considerado inapto e! como aceitar que sejam empregues fundos públicos para pagar aquilo que se afigura uma benesse fraudulenta?


(*)Por 'indignação activa' o autor entende a manifestação de revolta e a exigência de responsabilização em toda a situação de confrontação pública ou institucional que afecte o cidadão sempre que se entenda menosprezado ou ofendido, designadamente quanto ao bom emprego das suas contribuições para a Segurança Social e quanto à equidade de tratamentos e à igualdade perante a lei. Para quem tiver tomates, pode também passar pela desobediência e oportuna confrontação e denúncia das atitudes impróprias ou indevidas de autoridades jurídicas, administrativas e fiscais bem como a firme exigência de cumprimento, por parte de organizações ou empresas privadas que abusem da sua dimensão pública na relação contratual ou de prestação de serviço.

Etiquetas:

5 Comentários:

Às 23 fevereiro, 2008 01:41 , Blogger Peter disse...

É como dizes, minha cara "bluegift":

'indignação activa'

O direito que temos, como "cidadãos solidários" de
"exigirmos a responsabilização em toda a situação de confrontação pública ou institucional que afecte o cidadão sempre que se entenda menosprezado ou ofendido, designadamente quanto ao bom emprego das suas contribuições para a Segurança Social e quanto à equidade de tratamentos e à igualdade perante a lei (...)"

 
Às 23 fevereiro, 2008 13:11 , Blogger Meg disse...

Mas não somos um povo de brandos costumes? Não costumamos ambém achar os prevaricadores uns heróis?
Eu própria recebo muitos mails e nunca me passou pela "tola" publicá-los... mas acho óptima a tua ideia, nem que tenha de abrir um blogue só para esse efeito.
Vou pensar bem no assunto.
Bom fim de semana e um abraço.

 
Às 23 fevereiro, 2008 19:14 , Blogger António disse...

Atenção que os e-mails anónimos ou com identidades falsas que desde sempre circulam pela Net não são lançados na rede por acaso mas com objectivos bem definidos e normalmente pouco abonatórios.
Eu, ao longo dos anos, aprendi a não lhes dar crédito algum, salvo raras e honrosas excepções.

Beijos

 
Às 23 fevereiro, 2008 21:31 , Blogger herético disse...

pois. "as meninas não reformam o bordel".como bem sabes.

abraços

 
Às 23 fevereiro, 2008 22:12 , Blogger bluegift disse...

Peter,
Indignação activa, que de boatos já eu ando farta! É uma verdadeira praga cada vez que leio o email. Vamos ver afinal o que é verdade e o que é mentira. Alguém anda a desestabilizar ou, afinal, é mesmo verdade?

Meg,
Vamos a isso! Quantos mais publicarem melhor. Algum desmentido terá que aparecer. Ou então é verdade...

antónio,
E como vais tu distinguir um de outro? Alguns são demasiado flagrantes mas outros não. Vamos ver. Alguma coisa terá que ser feita. Fica ao juízo que quem quiser ler.

Herético,
Por este caminho é Portugal inteiro que ameaça transformar-se num imenso bordel! É veneno a entrar por todos os cantos!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial