quarta-feira, dezembro 19

Um "caso"


“Vivo num momento intranquilo
da minha vida
perturbador
feito de cansaço
e desta sombra de amor
que a tua calma me traz.
Mesmo que digas não
que duvides
deixa-me construir
e manter este amor
que nasceu entre pedras
escolhos
morais, sistemas.
mesmo que digas que não
deixa-me arriscar,
sozinha os preconceitos
e o desejo disparado, sem morais.
sem nada.
Assim serei tua
e os dados estão lançados.
E quando por fim me olhares
já o tempo inexorável
se apoderou de nós.
E quando acabar,
quando quiser conversar contigo,
vou precisar de ti.
recolherei a ti.
Num certo amor de amigo
como quem recolhe
a um porto de abrigo."

12 Comentários:

Às 19 dezembro, 2007 10:15 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

Um momento de grande inspiração, muito bem.

 
Às 19 dezembro, 2007 11:23 , Blogger Ant disse...

Um apelo a ter em conta...

 
Às 19 dezembro, 2007 12:46 , Blogger MARTA disse...

Que lindo! Suave, sincero...
Ok, confesso, fiquei com lágrimas nos olhos...uma sentimental???
Até já
Beijos e abraços
Marta

 
Às 19 dezembro, 2007 18:48 , Blogger Peter disse...

Tiago e "ant"

Apenas a imagem foi tirada do GOOGLE.
Os versos, embora não tendo sido escritos por mim, são património pessoal.
Como dizia FPessoa, "o poeta é um fingidor".

 
Às 19 dezembro, 2007 18:52 , Blogger Peter disse...

"marta"

É bom ser-se "sentimental", embora esse sentimenttalismo por vezes nos fragilize neste mundo egoista e materialista.

Bj amigo

 
Às 19 dezembro, 2007 21:14 , Blogger Su disse...

meu amigo......vinha aqui desejar.te um feliz natal e ops.....um caso:)))))))))))

gostei de ler.te

jocas maradas e natalicias per tutti

 
Às 19 dezembro, 2007 22:30 , Blogger Peter disse...

"su"

Agradeço a tua amabilidade em teres atravessado o Atlântico para me vires desejar pessoalmente as BF.
Espero que em 2008 me continues a enviar os pps, que vou coleccionando.
Bem. Os "casos" são sempre complicados, mas é um voto agradável. Mais um obrigado.

jocas maradas e natalícias para ti!

 
Às 20 dezembro, 2007 20:48 , Blogger Meg disse...

Atrás do Fernando Pessoa, à custa do "fingidor"... mas ninguém tem nada a ver com o sujeito poético, não é verdade?
Belo poema, a sério, Peter.

Um abraço

 
Às 20 dezembro, 2007 23:38 , Blogger Peter disse...

Olá Meg

É um poema não publicado, nem "roubado".

Abraço amigo

 
Às 21 dezembro, 2007 14:34 , Blogger António disse...

Alguma coisa me soou estranho...mas afinal não foste tu quem escreveu.

 
Às 21 dezembro, 2007 15:26 , Blogger Peter disse...

António

Claro que não, nem eu me assumi como seu autor. Não sou poeta.
Mas como os versos não foram tirados de nenhum autor com obra publicada, nem de nenhum blog, não tenho nada que mencionar o seu autor.
Só a imagem é que foi tirada do GOOGLE.

 
Às 23 dezembro, 2007 23:02 , Blogger Heloisa B.P disse...

SIMPLESMENTE, BELISSIMO!!!!
_SEJA LA' QUE FOR O AUTOR/A!!!!

PARABENS AO DITO/A! E, OBRIGADA, PETER, POR PUBLICA'-LO!!!

Beijinho.

Heloisa
*******

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial