domingo, dezembro 16

Forma mais justa?

”Parece que o P. Ministro terá dito que desta vez os sacrifícios serão distribuídos de forma mais justa.
São 23 horas cheguei agora a casa e trabalhei hoje doze horas. O meu filho já está a dormir.
Este ano já paguei em impostos e multas dezenas de milhares de euros. Todos os meses pago um balúrdio de TSU, tenho custos financeiros indescritíveis por causa da forma como é cobrado o IVA, pago o PEC sobre um rendimento que pode não acontecer e vêm-me dizer que os sacrifícios serão distribuídos de forma mais justa?

Tenho semanas durante o ano em que trabalho 20h por dia. Este fim de semana não sabia sequer que dia era. Na greve andei na estrada a pagar portagens e a trabalhar para poder pagar impostos.
Dei trabalho a uma carrada de gente a quem pago o IRS, a Segurança Social, Seguros de Trabalho e todas as taxas que o Estado me exige. Não negoceio salários brutos, pago salários decentes e recuso-me a pagar o salário mínimo seja a quem for.
Investi e perdi, "arranjei-me", voltei a investir e falhei de novo, recuperei e investi de novo e consegui.

Vêm agora dizer-me que os sacrifícios são distribuídos de forma justa?
Como quem “lixou” o país todo com o “rendimento mínimo garantido”, a pior opção económica de sempre, mas que não sabe o que é não dormir, desesperar, cair e levantar-se sem pedir um tostão que seja ao Estado?

E tenho que ouvir todos os dias as queixinhas dos policias, dos funcionários, dos professores com horário zero (!), dos funcionários dos correios, dos “anacletos” e afins, que fujo ao fisco, que exploro os trabalhadores, que tenho que pagar mais impostos, que sou um parasita?

Já paguei todos os impostos de facturas que até agora não consegui cobrar (IVA e IRC), paguei IRC sobre stocks que não sei se algum dia conseguirei vender e os sacrifícios são distribuídos de forma justa?
Justo é o ”tanas”.

Os 2000 funcionários da CM de A… trabalham das 9h às 15h com intervalo para almoço e de caminho a mesma CM entrega e paga serviços a empresas privadas; pois decidiram mudar a escada da parte velha, fecharam-na, derrubaram a antiga e colocaram a estrutura em metal. Após quinze dias retiraram a mesma estrutura e colocaram-na em madeira!
E ainda queriam fazer um elevador até à praia ! E eu pago.
Num qualquer Instituto mais de 50 (…) tratam de 9(!) putos. E eu pago.
Substituem administradores pagando indemnizações, contratam o F G e o N C (!!!!). E eu pago.
Inventam Institutos e Fundações. E eu pago.
Inventam as SCUTS. E eu pago.
O PEC. E eu pago.
A CM de Paredes de Coura faz Parques de estacionamento sem trânsito. E eu pago.
O S F rebenta com o orçamento da CM de Lisboa e eu pago.

Sacrifícios? De quem ?
Prestam-me um serviço péssimo na saúde, a educação é tão miserável que sou obrigado a pôr o meu puto num colégio particular. Nem me atrevo a cobrar dividas em Tribunal devido à miséria que é a Justiça. E pago.
Preciso de uma cirurgia e tenho dezasseis mil pessoas em lista de espera, pelo que se não tivesse um seguro de saúde estaria como milhares de desgraçados que se calhar já morreram. E eu e eles pagamos.
Os sacrifícios são distribuídos de forma justa?

Quem preside ao B de P ganha mais que o secretário do tesouro dos EUA e está à espera de colectar mais 0,03% do PIB com o aumento do IVA? Pois tenho uma pequenina novidade para o reconhecido génio:

- Talhos, advogados, lares, lojas de móveis e outros pequenos negócios que conheço já têm a contabilidade e pagam impostos em Espanha e eu, assim que seja possível, no ano da graça de 2008 pagarei todo o IVA, IRC e contribuições em Vigo. “

Nota:
Escrito por uma pessoa revoltada, que ignoro, pois recebi por e-mail e tive de cortar palavras “menos próprias”. Penso que o texto reflecte o espírito de muitos portugueses. A este “saltou-lhe a tampa...” e não é o único.

13 Comentários:

Às 16 dezembro, 2007 09:27 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

presumo que no caso português, que distribuição de sacrifícios de uma forma mais justa, será ajustar mais a distancia entre a bota do estado e a cabeça do povo.

 
Às 16 dezembro, 2007 10:38 , Blogger Peter disse...

Muito possivelmente ...

 
Às 16 dezembro, 2007 16:02 , Blogger Ant disse...

AS palavras feias fazem alguma falta para demonstrar em toda a sua dimensão a indignação do homem.
Entendo a omissão, claro, Peter.
Mas...

abraço

 
Às 16 dezembro, 2007 16:14 , Blogger Peter disse...

"ant"

Evidentemente que tive de omiti-las, mas deixa que te diga que, como "trabalhador por conta de outrem", desconhecia por completo toda a tremenda carga fiscal a que estes, ao que suponho, pequenos empresários, estão sujeitos.

Daí e por pensar haver outros "ignorantes" como eu, ter achado interesse na publicação do e-mail, embora "censurado" na sua escrita, que não no seu espírito e finalidade.

Abraço

 
Às 16 dezembro, 2007 21:48 , Blogger Blondewithaphd disse...

Very correct: não é o único a saltar-lhe a tampa!

 
Às 16 dezembro, 2007 22:42 , Blogger Meg disse...

Peter,

hoje venho a correr só para deicar o novo endereço do meu blogue...

http.//meg-arecalcitrante.blogspot.com



(o outro está lá mas "perdi a chave")

Um abraço

 
Às 16 dezembro, 2007 23:53 , Blogger Peter disse...

Meg

Quer dizer que não consegues entrar em "casa"?

 
Às 17 dezembro, 2007 19:12 , Blogger Belzebu disse...

Posso entender a revolta do homem e de certa forma partilho essa raiva que nos cresce nos dentes, como diria o Sérgio Godinho!

Será que o Engenheiro está finalmente a pensar em distribuir os sacrifícios, também pela sua família política? Será que os "boys" do sistema vão finalmente sentir o que custa viver neste país?

Não creio!

Aquele abraço infernal!

 
Às 19 dezembro, 2007 00:12 , Blogger Meg disse...

Peter,

Faltou dizer uma coisa... se não pagares, entram-te, sem mais nem menos, pela porta dentro e carregam o que encontrarem... a menos que sejas um quadro do BCP.

Um abraço

 
Às 19 dezembro, 2007 14:51 , Blogger Peter disse...

Belzebu

Não acreditas tu, nem eu. Então para que é que ganharam as eleições?

 
Às 19 dezembro, 2007 14:51 , Blogger Peter disse...

Meg

Ah pois ...

 
Às 21 dezembro, 2007 14:24 , Blogger António disse...

Há uma coisa em que os portugueses sempre foram vivaços.
No fundo, seguiram o provérbio:
"quem não está bem, muda-se!"
Portanto esse amigo revoltado pode fazer como os milhões de portugueses que já emigraram ao longo dos tempos.
Só em Espanha, neste momento, são mais de 100.000.
Vá lá!
Coragem!

 
Às 21 dezembro, 2007 15:35 , Blogger Peter disse...

António

Esse "amigo revoltado", como lhe chamas, já disse o que iria fazer em 2008:

"Talhos, advogados, lares, lojas de móveis e outros pequenos negócios que conheço já têm a contabilidade e pagam impostos em Espanha e eu, assim que seja possível, no ano da graça de 2008 pagarei todo o IVA, IRC e contribuições em Vigo."

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial