sexta-feira, março 12

Dói...


“Finalmente, a verdade. O Programa de Estabilidade e Crescimento põe fim à política da avestruz.
As receitas para sair da crise são as habituais. Todos seremos chamados a remediar o buraco das contas públicas. Como? Como sempre: pagando mais impostos e, se é caso disso, recebendo menos apoios sociais.
Os portugueses com ordenados acima dos 600 euros por mês e pensões acima dos 1600 vão entregar aos cofres do fisco entre 100 a 500 euros a mais, já no próximo ano.
À medida que os rendimentos crescem entregarão ainda mais. As mais-valias de bolsa passam, e bem, a pagar imposto. Mas os lucros da banca permanecem intocados.
O agravamento fiscal é certo para mais de 3,5 milhões de contribuintes. A redução das deduções por saúde e educação tem o mesmo efeito da subida das taxas.
O investimento público apresentado como o remédio certo para o crescimento e o emprego acaba adiado. Quem não tem dinheiro não tem TGV entre Lisboa e Porto (questão de bom senso!).
Anuncia-se a privatização de tudo o que resta (EDP, Galp, CTT…) na esperança de uma receita extraordinária capaz de reduzir a dívida pública. Mas as jóias vendidas a “pataco” não impedem o aumento da dívida em cinco pontos nos próximos dois anos.
E é isto que dói. Tanto sacrifício para chegar a 2013 com o desemprego acima dos 9%, a economia a afastar-se da Europa por mais quatro anos e a dívida a rondar os 90%.”

(Graça Franco, in “Página 1” de 10/03/10)

Os trinta países mais desenvolvidos e membros da OCDE estão condenados a atravessar um longo período de crescimento económico “modesto”, que será acompanhado por uma boa dose de “ansiedade”.
A OCDE garante que, se o pior já passou, a descida do nível de vida e do emprego persistirá por muitos anos.

Estamos “feitos”…

4 Comentários:

Às 12 março, 2010 21:58 , Blogger antonio - o implume disse...

Desde que não afecte o nível de vida dos gestores... no pasara nada!

 
Às 13 março, 2010 18:53 , Blogger heretico disse...

estamos "feitos" e ... mal pagos!

abraços

 
Às 16 março, 2010 02:09 , Blogger alf disse...

estamos «feitos» e não é com remédios para os sintomas que ficaremos curados - é preciso tratar a «doença». Mas não há «médico» que a diagnostique...

 
Às 16 março, 2010 10:27 , Blogger Peter disse...

alf

E muito menos que a trate. É como se quizessem curar uma pneumonia com Aspirina.

Volto para a Facebook FarmVille, divirto-me e convívio muito mais e com menos trabalho.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial