segunda-feira, março 8

A deusa visível


“Tão viva e ardente e tão clara
no ar em que ela ondula e treme
mais brilhante do que a luz e mais serena
não se adivinha não se imagina a deusa
que não vi e claramente vejo
dormindo no silêncio sem latidos.

Como dizer o que é mais claro do que a claridade
a visão nua de uma mulher na luz
mais completa e mais diurna
do que o dia?

A claridade apaga a claridade.”

(Poesia de António Ramos Rosa) - Botticelli – “O nascimento de Venus” (pormenor)

Lembrando o “Dia da MULHER”

3 Comentários:

Às 08 março, 2010 14:24 , Blogger antonio - o implume disse...

Um boa homenagem!

 
Às 08 março, 2010 14:50 , Blogger Marta disse...

Lindo...
Pela parte que me toca...obrigada
Beijos e abraços
Marta

 
Às 08 março, 2010 18:13 , Blogger heretico disse...

excelente homenagem.
belíssimo poema.

abraços

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial