quinta-feira, novembro 19

"Sabíamos que íamos ao Mundial"


Raul Meireles assinou o único golo da partida e até dispôs de ocasiões para bisar. Após uma exibição de bom nível, o médio optou por enaltecer o desempenho do colectivo. "Acreditámos sempre que podíamos ir ao Mundial. Neste jogo o mais importante foi a atitude da equipa, num campo extremamente difícil e com um relvado péssimo. Mas superámos tudo isso", contou Raul Meireles.
Embora tenha havido algumas críticas à selecção portuguesa ao longo da fase de apuramento, Meireles não liga a esses aspectos. Isto porque, no seio da equipa, nunca faltou a convicção no sucesso, segundo o médio. "Sempre acreditámos no nosso valor e no trabalho que fizemos. Nem sempre nos correu tudo bem, mas sabíamos que íamos estar no Mundial. E está provado que, afinal, tínhamos razão", afirmou. Quanto aos festejos após a partida, foram grandes e continuaram noite dentro. "No balneário já fizemos uma boa festa, mas vamos ter tempo para festejar ainda mais", referiu Raul Meireles, entre sorrisos.

(Raul Meireles)

Etiquetas:

10 Comentários:

Às 19 novembro, 2009 11:45 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

São declarações de um jogador que, à semelhança de quase todos, está habituado à pressão dos jogos e é mentalmente preparado para estas coisas.

Ontem, por exemplo, e começando na baliza, tínhamos o Braga, Chelsea, Chelsea, Porto, Málaga, Real Madrid, Juventus, Porto, Manchester United, Sporting e Atlético de Madrid em campos. Ou seja, são atletas que supostamente todos os dias são treinados e preparados mentalmente para encararem grandes desafios e não se irem abaixo com um qualquer desaire.

Nesse aspecto, algum mérito se há-de assacar a Queiroz que, recordo-o, foi o único treinador que já deu títulos mundiais de futebol a Portugal. É pena que no banco seja fraco a ler o jogo e pareça nem sempre ter pulso sobre as coisas.

 
Às 19 novembro, 2009 14:16 , Blogger Peter disse...

"É pena que no banco seja fraco a ler o jogo e pareça nem sempre ter pulso sobre as coisas."

Sim, é um "gentleman".

Como português, tenho orgulho deles, do que conseguiram

Tenho mais orgulho neles do que tenho nesses "notáveis" que por aí se pavoneiam, agarrados como "lapas" aos tachos e auferindo
centenas de milhares de euros por ano.

Não são só os "craques", que ganham milhões e que, quando a sua carreira chega ao fim, não vão para administradoes de empresas estatais, ficam entregues a si próprios. O futebol é uma actividade que movimenta dezenas de milhares de trabalhadores que fazem funcionar toda uma infra-estrutura desportiva.

Os "intelectualóides" que enchem a boca dizendo mal, falam de cátedra.

 
Às 19 novembro, 2009 15:32 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Peter é evidente que por vezes alguns também se metem a jeito!

Às vezes dispensavam-se certos ares de vedetismo, mas também não menos verdade é que alguns rapidamente descobrem o quão difícil é sustentar uma carreira sem trabalho, esforço, dor e disponibilidade para o grupo.
Olha o Ricardo Quaresma, por exemplo, que saiu do Sporting rumo ao Barcelona, dali saiu sem grande glória para o Porto onde, a dada altura, se tomou de ares pensando ser a cidade e o clube demasiado pequenos para o seu ego e saiu rumo ao Internazionale de Milano. Pois nem aí, nem no Chelsea! Arrisca-se a vir por aí abaixo.

Contudo, e como bem dizes, é de aplaudir e louvar. Afinal, não é todos os dias que estamos entre os 32 melhores do Mundo!

 
Às 19 novembro, 2009 19:17 , Blogger Peter disse...

Ferreira Pinto

O futebol em Portugal compreende: os Distritais, a III Divisão, a II Divisão, a Divisão de Honra e a I Divisão, para não falar das escolas de jogadores, dos infantis, dos juniores, dos su-21 … São milhares de pessoas: jogadores, treinadores, roupeiros, encarregados dos campos, médicos, enfermeiros, etc etc.
Acaba-se com o futebol e vai tudo para o desemprego porque há meia dúzia de imbecis armados em vedetas?
Vais tu e eu, vamos todos nós pagar o subsídio de desemprego a toda esta gente, porque o futebol não cai no goto das elites?
Eu não sou fanático, quantas vezes nem sequer me lembro que há transmissões de TV que teria interesse em ver e quantas vezes, sendo sócio de um clube e com lugar fixo, nem sequer lá vou.
Pronto. Mas como no tempo do S (de Salazar) eram os três Fs (Fátima, Fado, Futebol) agora no tempo do S (de Sócrates) acaba-se com isso tudo?

Se calhar não, faz-se ou continua-se a fazer o seu aproveitamento político, quando há vitórias.

 
Às 19 novembro, 2009 21:00 , Blogger Meg disse...

Peter,

Passei e li, porque aqui não sei opinar. Eu pensei que a selecção andava pelas ruas da amargura, com tantos casos, tantas aflições, e afinal, de repente, toda a gente já sabia que iam ganhar à Bósnia... Curioso!
Mas isso devo ser eu que não atinjo...

Um abraço

 
Às 19 novembro, 2009 21:59 , Blogger bluegift disse...

Esta etapa está ganha e serviu para calar muita má língua que afirmava que sem Ronaldo nunca passariamos. Ora tomem lá para aprenderem ;-)

 
Às 20 novembro, 2009 09:50 , Blogger Peter disse...

Meg

O problema é simples: não se trata de gostar ou não gostar de futebol. Há quem goste e quem não goste.

O problema é ostracizar uma actividade que envolve milhares de participantes, desde os atletas até ao menor colaborador. São milhares de pessoas. Vão todos para o desemprego porque há meia dúzia de imbecis que ganham milhões e fazem alarde disso, ou porque há outra meia dúzia de dirigentes de clubes que não o sabem ser?

Olha, olha, é só olhares (passe a redundância) para o processo "Face Oculta", ou para os casos BPN, BPP...

 
Às 20 novembro, 2009 10:01 , Blogger Peter disse...

bluegift

Se calhar com Ronaldo tínhamos perdido. Estes ganharam porque "deram o corpo ao manifesto".

Tu que não vives aqui no "jardim" sabes que a maior alegria que podemos dar a um emigrante é a nossa selecção de futebol ir ao país onde eles são explorados e ganhar à selecção da casa. É a sua vingançazinha face aos naturais do país.

Mas vá lá fazer compreender isso a quem vive no Olimpo com ambrósia e mel, dedilhando harpa e recitando poemas.

 
Às 20 novembro, 2009 16:58 , Blogger Meg disse...

Peter,

Mas estou de acordo contigo e também acho que à Selecção devem ir aqueles que QUEREM dar o corpo ao manifesto.
Mas ouvi dizer tão mal, que pensei que era um caso perdido com todas as consequências que daí adviriam.

Mas ainda bem que ganhámos. E sabes como dou valor aos postos de trabalho que essa indústria sustenta.
Os figurões, esses continuam "a comentar", que é para isso que lhes pagam.

Um abraço

 
Às 22 novembro, 2009 00:08 , Blogger heretico disse...

que os políticos do poder aprendam com a elegância e sobriedade das declarações do Raul Meireles...

abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial