domingo, setembro 20

Vamos lá a animar enquanto não começa o jogo do Benfica

NUM INSTITUTO SUPERIOR DA CAPITAL, 1º ANO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

A cadeira é Ciência Política. O professor é um distinto deputado à Assembleia da República.
A aluna, com rara convicção, explicava ao examinador tudo o que se passou no 25 de Abril de 1974:

“ A revolução de 74 significou a queda de um regime militar dominado pelo Almirante Américo Tomás e pelo marechal Marcelo Caetano, que governava o país depois de deposto o último rei de Portugal, Oliveira Salazar. O 25 de Abril foi uma guerra entre dois marechais: o marechal Spínola e o marechal Caetano.”

Obviamente chumbou …

OUTRA VERSÃO, AINDA MAIS CRIATIVA, DESTA VEZ NUMA UNIVERSIDADE PRIVADA DE LISBOA, NO 3º ANO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

P – Descreva-me brevemente o que foi o 25 de Abril de 1974.
A – Foi um golpe levado a cabo pelos militares, liderados por Salazar, contra Marcelino Caetano.
- ( o professor, já disposto a divertir-se) E como enquadra o processo de descolonização nesse contexto?
A – Bem, a guerra em África acabou quando Sá Carneiro, que, entretanto subiu ao poder, assinou a paz com os líderes negros moderados. Foi por causa disso que ele e esses líderes morreram todos em Camarate.
P – Já agora, pode dizer-me quem era o presidente da República Portuguesa antes de 1974?
A – Samora Machel.

Conta, quem assistiu à oral, que o professor quase agrediu a aluna …

7 Comentários:

Às 20 setembro, 2009 18:06 , Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

é verdade? ou é apenas humor?!!

bom domingo!

 
Às 20 setembro, 2009 19:01 , Blogger Peter disse...

É verdade e passou-se em 2005. O que eu admiro é a capacidade de imaginação, neste caso, das alunas.

Haverá, é o costume, quem atribua as culpas aos professores, mas se fosse em matemática, ainda o admitia, mas em História!

 
Às 20 setembro, 2009 19:49 , Blogger vbm disse...

LOL

Mas convem notar que a aluna incluiu na sua narrativa quase todos os elementos intervenientes; só a ordem foi mudada; em matemática, uma questão de análise combinatória

:)

 
Às 20 setembro, 2009 22:43 , Blogger Fernando Vasconcelos disse...

Essas duas histórias percorrem a net desde há uns anos, eu tinha até agora tomado-as como meio sérias meio brincadeira, sem querer duvidar da sua veracidade gostaria de lhe perguntar tem conhecimento pessoal do caso (ou se sabe que quem lhas contou tem esse conhecimento em primeira mão) ?

 
Às 21 setembro, 2009 01:00 , Blogger Peter disse...

Fernando Vasconcelos

Essas histórias foram publicadas no blogue em 27 SET 05.
Não tive conhecimento pessoal do facto e, passados 4 anos, é natural que não me recorde da sua proveniência. No entanto, como nenhum dos 11 comentários põe em causa a sua veracidade, sempre as tomei como verdadeiras.

 
Às 21 setembro, 2009 09:59 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Meu caro PETER recomendo vivamente a leitura da "História de Portugal em disparates" que demonstra cabalmente que quando toca a asneirar, a tradição vem de longe.

 
Às 21 setembro, 2009 11:49 , Blogger Peter disse...

FP

Não conheço, mas hei-de procurá-la. Entretanto vou ouvindo os netos, rsrsrs.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial