segunda-feira, setembro 28

Eleições Legislativas


Caiu o pano.
Número de deputados eleitos:
PS – 96/ PSD – 78/ CDS – 21/ BE – 16/ CDU -15
Factos a salientar:
- O PS perdeu a maioria absoluta e a sua votação baixou de 45% para 36%.
- A campanha do PSD foi desastrosa, fartou-se de “dar tiros nos pés”, como eu já salientara em artigo anterior, e o CDS beneficiou com o facto, acolhendo parte dos seus eleitores. Se o PSD se aliar com o CDS, totalizam 99 deputados, mais que os 96 do PS que se vê obrigado a acordos pontuais.
- O BE aumentou bastante a sua representação na AR. O discurso de Louçã, agressivo e virulento (que diferença com a Ana Drago…) não lhe deve ter granjeado muitos apoiantes. Espero que não, pois detesto o homem e o seu modo untuoso de falar.

Afinal desisti da ideia de votar branco, ao fim e ao cabo o PS não é só José Sócrates.

15 Comentários:

Às 28 setembro, 2009 08:50 , Blogger vbm disse...

De facto, a Assembleia, os partidos e os deputados têm de exercer uma influência mais determinante na estratégia governativa. Estou com muita curiosidade de saber quem dirigirá as pastas das finanças, da justiça e da educação. (Eu) [:)] talvez colocasse o António Vitorino na direcção do grupo parlamentar dos socialistas...

 
Às 28 setembro, 2009 09:06 , Blogger Peter disse...

Se o António Vitorino for nisso...

Uma AR duma nação da CEE em que o trotskista Louçã duplicou o número de deputados, é preocupante.

Estou a lembrar-me do "Gato Fedorento" a perguntar ao Louçã se também lhe ia nacionalizar a fatiota. Pelo menos já manifestou a intenção de nacionalizar as descobertas dos investigadores, apropriando-se assim o Estado dos cérebros das pessoas. Não se "ponham a pau, não" e qualquer temos aqui uma Albânia, dos tempos da Guerra Fria, que era o ideal da UDP, agora integrada no BE.

 
Às 28 setembro, 2009 09:37 , Blogger vbm disse...

O eleitorado do bloco é flutuante e heterogéneo, nunca terá condições de impor os extremismos obsoletos que herdou da sua história política internacional.

 
Às 28 setembro, 2009 09:40 , Blogger Bluegift disse...

Ganharam o Sócrates, a Merkel e o Barroso. Todos diferentes, mas importantes no momento político que vivemos. A estabilidade é importante, porquê mudar já que quem lá está não é tão mau quanto isso e a falta de alternativa a estes líderes é impressionante?! Mais uma vez se prova que é a capacidade de liderança que impera na escolha dos candidatos.

 
Às 28 setembro, 2009 09:44 , Blogger Bluegift disse...

Também não acredito que o Louçã vá muito longe. Dá mais alguns aninhos à Ana Drago e aí verás aparecer alguém com mais estatura e equilíbrio, espero... O Louçã é demasiado "marxista".

 
Às 28 setembro, 2009 11:37 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Estive particularmente atento a alguns dos discursos de ontem; por momentos, pensei que Álvaro Cunhal tinha ressuscitado tantos eram os vencedores morais!

Sobre Louçã, comungo inteiramente do que diz em relação ao dito cujo que nem cavalheiro é. Um tipo que não tem a humildade que tanto reclama aos outros de sequer se dirigir ao vencedor matemático da noite não pode ser grande espingarda.
Sempre me ensinaram e eu sempre desconfiei dos tipos que só têm certezas absolutas. Este é um deles.

 
Às 28 setembro, 2009 12:45 , Blogger Peter disse...

Bluegift

No que respeita à recuperação económica europeia, dos três que indicas a vitória da Merkel e a sua nova associação com os Liberais, será a mais importante. A Alemanha é o motor e se este gripa, mal vai a coisa.

O desgaste que Sócrates já leva desta primeira legislatura, a inevitabilidade de fazer acordos à direita e a grave crise económica que o país atravessa, criam um verdadeiro quebra-cabeças para o governo que vier a ser formado com base nos resultados de ontem à noite por isso dificilmente o PS aguenta quatro anos.

Já me tinha referido a este aspecto:
"Mais uma vez se prova que é a capacidade de liderança que impera na escolha dos candidatos."
E mais uma vez se prova que a TV é fundamental para promover, ou destruir candidatos, neste último caso a MFL.

 
Às 28 setembro, 2009 15:14 , Blogger lusitano disse...

Julgo caro Peter que queres dizer se o PSD se aliar com o CDS e não CDU!!!

Não é?

Abraço

 
Às 28 setembro, 2009 15:44 , Blogger Peter disse...

Bluegift, vbm e Ferreira Pinto

Actualmente o opositor do PS é o BE, por isso, acordos pontuais, os mais viáveis para a ala mais à esquerda do partido, terão de ser feitos com a maior cautela, pois não se pode "dormir com o inimigo".

O CDS vive a "balões de oxigénio", quando o PSD está "feito em cacos", como é o caso, vai ali colher eleitores, sobretudo entre as camadas mais conservadoras. Portas pode tentar tirar partido da sua actual posição, que não se voltará a repetir, mas não creio que Sócrates se apoie nele, mesmo em acordos pontuais.

Uma vez que o actual PSD parece nunca ter estado verdadeiramente interessado na vitória de MFL, Sócrates terá de esperar pelo fim das Autárquicas e que a senhora se vá embora, para se poder entender com eles.

 
Às 28 setembro, 2009 15:48 , Blogger Peter disse...

lusitano

Que estupidez a minha! Leio os textos mais que uma vez e, por vezes, sai asneira.
São os chamados "erros sistemáticos".

Obrigado pelo "alerta"!

 
Às 28 setembro, 2009 16:18 , Blogger Peter disse...

COMO É?

Os eleitores que já possuem o "cartão de cidadão" tiveram ontem dificuldade em votar porque o número de eleitor não está inserido neste novo documento.
Só com pesquisa prévia foi possível descobrir onde era a mesa de voto.
O problema é que, com tanta chatice, muita malta achou mais "simplex" abster-se.

Ninguém fala nisto?

 
Às 28 setembro, 2009 16:21 , Blogger antonio - o implume disse...

Venceu quem mais perdeu em votos e deputados... lógico!

 
Às 28 setembro, 2009 16:33 , Blogger Peter disse...

antonio - o implume

Donde se deduz que "a lógica é uma batata".

 
Às 28 setembro, 2009 19:44 , Blogger vbm disse...

A lógica é o fundamento
da aritmética; quem mais perdeu,
apenas distribuiu o que tinha em excesso;
logo, ganhou: outra agilidade, outra oportunidade.

 
Às 28 setembro, 2009 19:57 , Blogger vbm disse...

Não sei se o CDS não irá ser um aliado privilegiado do PS! Note-se que o PS tem procurado sempre adoptar uma política que estimule o empresariado e, quanto ao apoio social também é possível entendimento. Sobre a lavoura é que me parece que o partido socialista deveria ter ideias mais ousadas, designadamente intervindo com empresas públicas ou cooperativas na distribuição dos produtos do campo às cidades, destituindo os monopólios existentes responsáveis por margens inimagináveis de distância de preços pagos ao lavrador e recebidos do consumidor urbano! Por muito menos de uma tão abissal diferença, foi o Vasco da Gama à Índia aprovisionar especiarias! De resto, o incentivo à lavoura permitirá reduzir a dependência da importação de metade do consumo alimentar e isso com queda de preços no consumo e subida dos mesmos no lavrador! E aqui estaria um belo programa de entendimento PS-CDS!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial