quinta-feira, março 19

O caso BPN

É um caso que me choca. Começou por um prejuízo de 700 milhões de Euros, o que levou o Governo a optar pela sua nacionalização e neste momento o “buraco” financeiro já vai em 2.700 milhões, o que significa que o encargo para cada um dos 10 milhões de portugueses é de 270€, mais do que a reforma mensal de muitos deles.

Ontem na "SIC notícias" estive a ver o programa “frente a frente” de Mário Crespo que entrevistava o deputado do CDS-PP Nuno Melo, mas antes passou um video sobre Francisco Comprido, que esteve a ser ouvido pelos deputados, pois além de ter sido administrador do BPN, foi o presidente do Excellence Asset Fund (propriedade da SLN), que em 2001 adquiriu 25% da empresa porto-riquenha Biometrics, num negócio que também envolveu Dias Loureiro e o empresário libanês El-Assir. O negócio da Biometrics em Porto Rico, classificado pelas anteriores audições como um negócio "ruinoso", terá resultado num prejuízo de 38 milhões de dólares para a Sociedade Lusa de Negócios, que terá registado nas suas contas a venda da mesma por um dólar.
Porém, Francisco Comprido disse na Comissão que o Excellence Asset Fund vendeu a sua participação na Biometrics por sensivelmente o mesmo valor pelo qual a tinha comprado, ou seja, 35 milhões de euros, de onde não resultara qualquer prejuízo.

"Não me recordo", "não tenho presente", "não lhe posso precisar", "os nomes não me estão a vir à memória" foram várias das frases utilizadas por Francisco Comprido na Comissão de Inquérito ao BPN.
"Não posso precisar se fui o presidente do fundo desde o início mas posso dizer-lhe que presidi à sua liquidação. Aliás, tenho quase a certeza que estava à frente do fundo desde o início", afirmou.
Também não se recordou com clareza de quem o escolheu para presidir ao fundo. "Não lhe posso precisar por quem fui escolhido para presidir ao fundo mas penso que foi pelo ex-presidente do banco [Oliveira e Costa]", acrescentou.

"Uma comissão de inquérito não pode aceitar que um grupo (SLN) e um banco (BPN) comuniquem a esta Comissão que determinado negócio aconteceu de determinada forma e depois alguém venha dizer o contrário", disse Nuno Melo, referindo-se ao negócio da Biometrics.
"Estamos a falar de milhões, não estamos a falar de tostões", disse ainda o deputado Nuno Melo.
Esperemos que seja dado seguimento ao resultado da Comissão de Inquérito que, segundo Mário Crespo tem estado a fazer um trabalho isento e cuidadoso.

6 Comentários:

Às 19 março, 2009 19:32 , Blogger Papoila disse...

Querido Peter:
Também vi o vídeo e a entrevista e espero que esta comissão tenha condições de chegar a conclusões...
Beijos

 
Às 19 março, 2009 20:07 , Blogger vbm disse...

O entendimento que tive, na reportagem, foi o de o presidente, Oliveira e Costa, ter vendido a empresa por US$ 1, pelo documento que o 'administrador', Dias Loureiro, assinou, por procuração que o primeiro lhe passou para o acto.

Quanto ao outro 'administrador', o tal Comprido, deve ter-lhe sido mostrado um papel qualquer em que o preço de venda era o preço de compra!

Utilizo aspas, ' ', nas designações de 'administrador' àqueles senhores, porque no meu tempo e na minha cidade, o nome que se usava e usa para aqueles vígaros é o de «gajos comprados», no caso, comprados pelo vígaro-chefe Oliveira e Costa, a quem se venderam.

 
Às 19 março, 2009 21:52 , Blogger antonio - o implume disse...

Com uma pequena parte deste dinehiro acabariamos com as reformas de miséria e poderiamos ter um RSI que funcionasse...

 
Às 19 março, 2009 23:32 , Blogger Peter disse...

"Obama quer recorrer a todos os meios legais para impedir que os gestores da AIG recebam prémios referentes a 2008, no valor de 165 milhões de dólares. A empresa americana AIG é a maior seguradora mundial e teve de ser socorrida pelo governo dos Estados Unidos para não falir. Já recebeu 173 mil milhões de dólares do bolso dos contribuintes americanos. Na Grã-Bretanha o primeiro-ministro G. Brown insurgiu-se contra o ex-presidente do Royal Bank of Scotland ir receber uma soma milionária. É que este banco apenas foi salvo pela entrada de dinheiro dos contribuintes britânicos."

Por cá avança o dinheiro da nossa, porque é nossa, CGD. Portanto o dinheiro dos contribuintes portugueses.

 
Às 20 março, 2009 12:54 , Blogger Meg disse...

Peter,

Vi o vídeo e a entrevista que referes. E deixa-me que te diga que o vídeo me deixou de boca aberta...
qual foi o papel daquele senhor neste embróglio?
era administrador de quê?
que competências tinha?
AFINAL, O QUE É QUE ELE SABE?
DO QUE SE LEMBRA?

Simplesmente indecoroso e de uma falta de vergonha e dignidade.
Um atentado à inteligência de quem o interrogava.

POIS!Se a indignaçãp matasse!

Um abraço

 
Às 20 março, 2009 20:45 , Blogger Peter disse...

Ouvi agora no noticiário da TVI que, cada português que paga IRS, terá de contribuir com 555€ para o "buraco" do BPN.

São sempre os mesmos a pagar.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial