sábado, março 28

Novo golpe aplicado com cartão de débito

Se costuma realizar pagamentos com cartões de débito automático (multibanco), tome muito cuidado com a utilização do seu cartão.

Ao efectuar um pagamento via débito automático, o funcionário passa o cartão, não regista nenhum valor e pede-lhe que digite o PIN na máquina, não nos apercebendo nós que o mesmo não digitou o valor da compra.

Ao digitar o seu PIN este aparecerá no écran pois a máquina entende-o como sendo o valor da transacção.

O vendedor, com ar de entendido, diz que houve um erro e pede novamente o nosso cartão e passa-o novamente, registando agora o valor correcto e pede que digitemos novamente o PIN.

Agora ele já possui o número do cartão, o PIN e o nosso banco. De posse dessas informações os nossos cartões são "clonados" podendo ser efectuadas diversas compras em nosso nome.

Preste muita atenção, ao passar o cartão não digite a senha sem antes conferir o valor da compra que aparecerá no écran da máquina. Somente depois de conferir o valor é que você deverá digitar a senha.

10 Comentários:

Às 28 março, 2009 10:48 , Blogger Meg disse...

Peter,

Esta não me passava pela cabeça!!!
E como pago tudo com cartão de débito, fiquei com as antenas no ar.
Obrigada pelo aviso.
Bom fim de semana.

Um abraço

 
Às 28 março, 2009 12:54 , Blogger vbm disse...

De qualquer modo, não entendo como é feita a clonagem; porque não basta, de certeza, saber o número do PIN e qual o banco: por hipótese, no mesmo banco haverá mais do que um cartão com PIN igual. Logo, tal não é suficiente para que os débitos em conta, de depositanes distintos, se confundam. Há algo mais na clonagem de cartões, o que, já agora, gostaria de saber.

 
Às 28 março, 2009 13:01 , Blogger vbm disse...

Meg,

Look here
what I promissed.

:)
v.

 
Às 28 março, 2009 13:45 , Blogger Manoel Carlos disse...

Para a criação de golpes, eles são criativos, parecem nossos governantes.
Relendo Mia Couto, revolta das couves e outras psotagens antigas, saio enojado, com os abusos à deficiente e com a impunidade dos culpados, sendo a vítima punida duplamente.
Manoel Carlos

 
Às 28 março, 2009 20:01 , Blogger Peter disse...

vbm

- Na 1ª passagem do cartão fica a saber o PIN
- Na 2ª passagem e conforme o duplicado que tenho aqui em frente dos meus olhos, pois o original ficou na caixa, consta:
- O nome do detentor do cartão.
- O número do cartão
- A identificação do banco

Que mais precisam os técnicos para te clonarem o teu cartãozinho?

Já sei que estás sempre no "contra", mas há limites:)
A propósito, quem me enviou a "dica" foi a nossa amiga "blue".

 
Às 28 março, 2009 20:04 , Blogger Peter disse...

aditamento

Claro que é absolutamente impossível haver dois PINs iguais para o mesmo tipo de cartão.

 
Às 28 março, 2009 22:23 , Blogger vbm disse...

De que serve saber:

i) o nome do detentor do cartão;
ii) o nome do seu banco;
iii) o seu pin;
iv) o número do cartão;

e não ter o cartão!?

Dir-me-ás: - Têm os elementos para replicá-lo.

Mas replicá-lo, como? Num qualquer plástico, com insersão desses dados na banda magnética? E isso basta?

Pergunto: Não há ao menos um qualquer signo cifrado, no cartão emitido pelo banco, que só seja detectado no servidor - e não no terminal de pagamento -, de forma a que o alerta do roubo dependa do servidor (logo, do banco) e não só do utente (que só pode aperceber-se após receber o extracto)?

 
Às 28 março, 2009 22:54 , Blogger Peter disse...

Faz como quiseres, não tenho nada a ver com isso.

 
Às 29 março, 2009 09:19 , Blogger vbm disse...

lol

 
Às 29 março, 2009 22:08 , Anonymous kika disse...

obrigada Peter são bons estes alertas

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial