domingo, janeiro 4

A Idade do Universo através da Radiação de Microondas

Sob o título “O Big Bang” publicou o colaborador deste blog, vbm, um artigo repudiando o Big Bang e que parece ter sido baseado numa “Carta aberta à comunidade científica” publicada em 22 de Maio de 2004 no New Scientist por 34 cientistas que argumentam contra a ortodoxia do big bang.
Embora só cerca de 5 anos depois se lembrasse do tema, o que é de estranhar porquanto parece tratar-se dum assunto da maior importância para uma discussão sobre a qual tanto eu como esse colaborador temos dialogado há já vários anos e que, por isso mesmo, deveria ter sido trazido a lume mais cedo, não tenho nada a ver com a demora, pois cada colaborador publica o que quiser e quando quiser.
As razões que me levam a aceitar a teoria do Big Bang encontram-se em 87 textos que a outra colaboradora, a “bluegift”, compilou na coluna do lado direito do blog denominada “Etiquetas” e sob o título “Universo Fantástico”.
Como não renego os meus conhecimentos e depois deste trabalho não consegui fazer-me compreender, não querendo pôr em causa a sua capacidade intelectual, só me resta aceitar que não sou capaz de exprimir compreensivelmente os meus conhecimentos.

Volta a negar a existência da “dark energy” e da “dark matter”. Julguei que o “elf” ( http://outrafísica.blogs.sapo.pt/ ) que julgo ser professor ou pelo menos assistente da FCL e que consta dos n/links, já o tivesse esclarecido, mas se não está, coloque-lhe o problema e ele gostosamente o esclarecerá, como o fez a mim.

Que o vbm aceite ou não aceite a teoria do Big Bang é-me absolutamente indiferente, agora que baseado numa revista comprada num quiosque, venha argumentar no que respeita à Idade do Universo, o problema complica-se. E complica-se porque sendo eu o responsável pelo blog tenho procurado basear os artigos que aqui publico em dados credíveis.


O mapa do céu acima diz-nos que o universo tem 13,7 biliões de anos – mas como? À primeira vista, uma pessoa apenas vê o brilho de gás em microondas vindo da nossa Galáxia Via Láctea, codificado a vermelho, e um padrão manchado de microondas emitido pelo universo primitivo, codificado a cinza. Este segundo plano em cinza, de microondas cósmicas, é luz que costumava circular aleatoriamente, mas que veio directamente até nós quando o universo em expansão se tornou suficientemente frio para formar átomos. Um exame cuidadoso das manchas revelou uma distância angular ligeiramente preferencial entre elas. Pensa-se que tal padrão foi gerado pela emanação do som vindo de regiões demasiadamente densas do universo primitivo. Ondas de som levariam tempo para gerar tal padrão e a idade actual do universo pôde então ser extrapolada. A idade do universo foi assim calculada com uma precisão inferior a 0,2 biliões de anos. O mapa acima foi obtido pelo satélite WMAP em órbita do Sol , no ponto L2, fora da órbita da Terra.”


O texto acima transcrito permite o acesso a toda uma série de links que possibilitam conhecimentos científicos e mais completos, sem necessidade dos leitores gastarem dinheiro em revistas.

7 Comentários:

Às 04 janeiro, 2009 18:20 , Blogger antonio - o implume disse...

Gostei do toque final... um verdadeiro serviço público!

Quanto à idade do Universo, não discuto a idade de quem explodiu em ego...

 
Às 04 janeiro, 2009 18:24 , Blogger vbm disse...

É evidente que não tenho a mínima possibilidade de esgrimir razões decisivas para rejeitar a teoria do big-bang, apenas suscito a sua questionabilidade por ouvir dizer que alguns físicos o fazem e me impressionar que o mundo estelar, o formado de átomos, apenas represente 4% do universo! Mas é evidente que, logicamente, nada impede que assim seja ou não seja e nada há a objectar mas sim a observar e investigar.

Mas eu pergunto ingenuamente: porquê não supor que a matéria atómica 'sugada' pelos buracos negros representa 96% da massa do universo?

E pergunto, também, numa hipótese imaginativa que li no blog do alf, porquê não supor que o universo, em vez de estar em expansão, esteja sim em contracção, e que o afastamento que se nota nas galáxias 'distantes' é devida justamente à contracção do espaço estar a operar-se a uma velocidade superior à da luz?

 
Às 04 janeiro, 2009 20:08 , Blogger stériuéré disse...

Realmente a ultima parte é bastante ecológica, tornando-se assim agradável para todos os amantes da natureza( e da carteira tb) heheheh
Beijos e um bom 2oo9!

 
Às 04 janeiro, 2009 20:45 , Blogger Peter disse...

antonio - o implume

Claro, já que o Governo não poupa, temos de ser nós a fazê-lo.

 
Às 04 janeiro, 2009 20:55 , Blogger Peter disse...

vbm

Tens dois modos de esclarecer as tuas dúvidas:
- colocando-as ao "alf" que além de constar nos n/links, parece ser uma pessoa sempre acessível e disponível, além de qualificada, pois náo é impunemente que tem funções docentes na FCL;
- colocar os problemas à NASA que dispõe de "sites" para esclarecer dúvidas.

 
Às 04 janeiro, 2009 21:03 , Blogger Peter disse...

stériuréré

Temos de poupar em 2009 e eu já comecei a fazê-lo, reduzindo a minha intervenção no blog e dedicando mais tempo à leitura dos livros acumulados.

 
Às 04 janeiro, 2009 21:58 , Blogger vbm disse...

:) Nada ousaria dizer nem à NASA nem à FCL! :) De resto, 'aquilo' não são dúvidas nenhumas, nem mesmo perguntas, mas apenas imaginação ad lattere do big-bang! :) E o 'alf', se quiser dizer alguma coisa, pode fazê-lo aqui, que é local próprio.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial