segunda-feira, setembro 29

Método global

Tenho um neto que, chegada a hora de ir para a escola, os pais optaram por matriculá-lo num colégio particular. A mãe, minha nora, uma vez que de momento se encontrava desempregada, dispunha de tempo para proporcionar à professora fichas de estudo e outros elementos de estudo e assim o filho gozava de um “estatuto especial”. Tudo corria pois num mar de rosas até que, chegado o fim do ano, o meu filho que, devido à sua profissão não tem tempo disponível para acompanhar o meu neto, verificou que este não sabia ler. Decorava os textos.
Foram falar com a professora e criou-se um desaguisado que iria ter reflexos no miúdo no ano lectivo seguinte, isto é no ano passado.

A professora, jovem diplomada pela Escola Superior de Educação, sem experiência de ensino, mas com um elevado conceito de auto-estima, entendia que todos os alunos deviam aprender pelo chamado “método global” e não admitia qualquer reparo.
Ora é sabido e quem anda no ensino sabe-o bem, que há alunos que não se adaptam ao referido método. Assim, o meu neto, juntamente com outros colegas inadaptados, passou a ter aulas de apoio, mas foi a minha mulher que, em casa, conseguiu pôr o neto a ler e a escrever.

Claro que este ano o meu filho, que aliás sempre quisera a criança no Ensino Oficial, onde ele e os irmãos andaram, meteu lá o miúdo.
Tudo bem, a escola era nova, perto de casa e o professor parecia bom (e de facto é-o), mas a minha nora que levou o miúdo à escola no primeiro dia, veio de lá desvairada e queria tirar o filho pois a aula tinha negros, indianos e ciganos.
Reunido o “conselho de família”, aceitaram o parecer do “velhote”:
- deveria ser a criança a optar por continuar na escola ou não, consoante se sentisse ou não bem com os colegas.

E assim foi. No primeiro Sábado o filho levantou-se e disse para a mãe que queria ir para a escola brincar com os colegas…

27 Comentários:

Às 29 setembro, 2008 10:20 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

É bem mais sensato o petiz que a progenitora (desculpe a franqueza)!

 
Às 29 setembro, 2008 11:09 , Blogger Peter disse...

Claro que sim, aliás a minha intensão foi salientar a atitude do petiz. Para ele todos são colegas e amigos para brincar.Pode ser que a vida dos nossos netos seja mais humana e despida de preconceitos.

 
Às 29 setembro, 2008 11:18 , Blogger vbm disse...

De uma escola com brancos, pretos, indianos e ciganos tanto se pode deduzir um bom como um mau ensino e aprendizado.

Pela bela e suficiente razão, de que uma e outra actividade, - ensinar; aprender -, não têm a ver - nem deve ter -, com raça, nacionalidade, costumes, famílias.

Sonho com o belo dia em que a instrução pública regresse ao ideal de formar jovens inteligentes, conhecedores do saber ministrado, aptos na percepção crítica de sistemas de ideias, competentes para evoluirem na sociedade pelas capacidades que comprovam.

Todas as correntes pedagógicas que não se atenham a este objectivo nuclear são a meu ver repudiáveis.

 
Às 29 setembro, 2008 12:10 , Blogger Peter disse...

vbm

Faça-se justiça:
- o professor desta escola oficial é muito mais proficionalmente competente, quer no ensino, quer impondo uma disciplina sem excessos, do que a professora licenciada pela ESE, do colégio onde andou 2 anos (mais de 2.000€) e o ensino é gratuito...

Fico satisfeito, pois o meu neto está adaptado, a aprender e aceita todos colegas tal como eles são.

Votos de boa semana.

 
Às 29 setembro, 2008 12:34 , Blogger Ant disse...

Basicamente alguém não quer ser papagaio ou pacagaio como eles dizem...

Digamos que os genes do avô ganham peso...
abraço

 
Às 29 setembro, 2008 13:24 , Blogger lusitano disse...

O que não quer dizer que não há colégios particulares muito bons e em que também há negros, indianos e ciganos...

Os meus netos também andam numa escola pública e os meus filhos menores numa particular e até agora todos são felizes.

Mas no fundo a questão não era bem o ensino....pois não?

Por isso a criança escolheu bem!

 
Às 29 setembro, 2008 13:35 , Blogger Menina_marota disse...

Muito sensato o teu petiz, Peter! Creio que herdou a sensatez do Avô...

É de pequenino que realmente se ensina a convivência e o respeito por todas as raças e credos... ou seja, por todo o ser humano em geral, tal como o respeito pelo animais e pelo planeta.

É de pequenino que... eles começam a ser sensatos.

Teria outras considerações a fazer, sobre a atitude de alguns professores face a alguns alunos... um dia destes talvez as faça...

Beijinho e boa semana ;)

 
Às 29 setembro, 2008 15:47 , Blogger Betty Branco Martins disse...

.querido Peter





___sem dúvida



uma criança repleta de bom-senso



.oxalá que muitos pais "passem" por aqui


e


já agora que "retenham" na memória este teu excelente texto







beijO____C_____carinhO

 
Às 29 setembro, 2008 17:52 , Blogger Peter disse...

Ant

Já tenho saudades de te ver por aqui.:))
Agora que acabaste os teus ciclópicos trabalhos musicais, talvez seja altura ...

Abraço com votos de boa semana.

 
Às 29 setembro, 2008 17:54 , Blogger Peter disse...

lusitano

Tens razão, a criança escolheu bem e isso foi o que me levou a escrever o texto.

 
Às 29 setembro, 2008 17:57 , Blogger Peter disse...

menina_marota

Obrigado. Não tão sensato como pensas...
Foi um prazer ver-te por aqui.

 
Às 29 setembro, 2008 17:59 , Blogger Peter disse...

Betty Branco Martins

Obrigado pela visita e pelas palavras elogiosas, tanto para mim como para o meu neto.

 
Às 29 setembro, 2008 18:57 , Blogger António disse...

Olá, Peter!

Deixa-me dizer-te que fiquei com a boca um bocado em O depois de ler o teu excelente texto.

abraço

 
Às 29 setembro, 2008 18:58 , Blogger António disse...

Olá, Peter!
Pois é!
As editoras são os ranhosos no meio disto tudo.
Mas fazer edição de autor é muito mais trabalhoso e depois tens dificuldade em comercializar.
Eu estou a trabalhar com uma editora muito nova e muito pequena que foi a melhor que me apareceu, embora tenha algumas lacunas importantes.

Abraço

 
Às 29 setembro, 2008 19:09 , Blogger Meg disse...

Peter,

Atrevo-me a dizer que as crianças se comportam conforme aquilo a que assistem em casa.
E quanto a convivência, creio que o teu neto deve conversar mais com o avô do que com a mãe - estou a falar nas conversas cúmplices que só nós, avós, sabemos ter com eles.

Parabéns a um avô babado. Continua assim e olharás para o teu neto com "aquele" orgulho.

Um abraço

 
Às 29 setembro, 2008 19:25 , Blogger Peter disse...

António

Pelos textos teus que tenho lido, estou convencido que,dentro do espectável, o teu livro vai ser um êxito.

É, os "fantasmas" somos nós adultos que os criamos e aimentamos.

 
Às 29 setembro, 2008 19:28 , Blogger Peter disse...

Meg

Espero que sim, espero que sim Meg. Ele já não dá beijos ao avô, aperta-me a mão.

P.S. - Estive hoje na FNAC, mas não encontrei o livro de Mia Couto.

 
Às 29 setembro, 2008 19:57 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

muito bem...

Eu tenho aqui um que anda na escola publica, uma primária aqui ao lado e chora para IR à escola, se algum dia não tem chora porque quer ir e não pode.

 
Às 29 setembro, 2008 21:24 , Blogger Peter disse...

Tiago

A última sondagem mostra que 43% dos portugueses consideram que o Ensino está melhor. Eu sempre me bati por os meus netos frequentarem o Ensino Oficial por isso satifaz-me serem os meus filhos a reconhecer a validade da minha opção.

 
Às 29 setembro, 2008 21:47 , Blogger Papoila disse...

Querido Peter:
Nada como o ensino oficial e um menino sensato, que sai ao avô.
Beijo

 
Às 29 setembro, 2008 23:55 , Blogger Peter disse...

Bem, "papoila", às vezes não muito sensato, mas o meu neto agradece.

 
Às 30 setembro, 2008 02:33 , Blogger tulipa disse...

AMIGO PETER
muitos adultos esquecem-se de «respeitar» as crianças, elas merecem todo o respeito...

Caminhos
muros, pedras
portas
rangem de fúria
desconcertam-me
estremeço
oiço vozes
grito, fujo
vou sem destino.

Convido-o a visitar o meu blog:
Momentos Perfeitos, pois participei num raid fotográfico e coloquei 2 das fotos que fiz.
Gostaria da sua opinião, pode ser?

Adoro bosques e pinhais, adoro fotografar árvores.
MAR, água e sol, nuvens, tudo o que tenha a ver com a Natureza.

Boa semana.
Beijinhos.

 
Às 30 setembro, 2008 11:42 , Blogger Peter disse...

Gostei do blog e tomei a liberdade do adicionar aos nossos links.
Das fotos, que são ambas muito boas, prefiro a do caminho, pois tenho uma paixão pelas nuvens.

 
Às 30 setembro, 2008 12:20 , Blogger Blondewithaphd disse...

Ah, ganda puto!! Eu cá ia mas era ensinar o método global à professora! Ele há com cada aleivosia no ensino que até parece mentira!

 
Às 30 setembro, 2008 17:19 , Blogger Peter disse...

blondewithaphd

E com o dinheiro a sair do bolso do meu filho e não foi pouco, para pagar ao colégio e este à stora.

O puto está-se nas tintas para que os companheiros de brincadeira sejam negros, indianos ou ciganos e isso é que é saudável e me faz acreditar nas gerações vindouras.

 
Às 30 setembro, 2008 18:52 , Blogger Nilson Barcelli disse...

Conselho sábio.
Esta tua atitude encaixa num dos princípios onde procurei situar-me para educar os meus filhos, que era uma espécie de "educação democrática", isto é, os filhos, quando são parte interessada, devem participar nas decisões.
Ainda hoje vou ter de submeter à votação se posso ou não ligar a TV para ver o FCP... porque é proibido ligá-la às refeições, a menos que haja um motivo forte e a maioria esteja de acordo.
Abraço.

 
Às 30 setembro, 2008 19:35 , Blogger Peter disse...

Bem, eu não chego a tanto, até porque aqui trata-se do neto e só intervenho quando o meu filho me pede a opinião.

Abraço amigo

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial