sexta-feira, junho 9

Quando

















Sei, exactamente,
Ao minuto, ao segundo,
Quando desejei possuir-te.
Sei exactamente,
O momento, o instante,
Em que, fulminado,
Perdi a noção desse quando.

E quando os dedos
te percorreram cada poro,
cada curva, cada “sim”
que murmuraste,
esqueci-me de mim,
parti os abrigos
onde me encontraste.

(Foto:Nuno Ferro)

12 Comentários:

Às 09 junho, 2006 12:27 , Blogger herético disse...

um poema muito bonito. de uma sensualidade "discreta" e luminosa...

 
Às 09 junho, 2006 13:15 , Blogger bluegift disse...

Ant, este poema é de uma leveza e beleza imensas. Estou muito contente por estares connosco :)

 
Às 09 junho, 2006 13:55 , Blogger Ant disse...

Ó Blue até me fazes corar... :))
É muito agradável escrever aqui.

 
Às 09 junho, 2006 15:50 , Blogger MARTA disse...

Ant, fiquei de respiração suspensa...
Não sei muito bem onde me hei-de "abrigar" - talvez mergulhando no mar debaixo da chuva......
Sente-se a paixão com que o escreveste.......
Um abraço
Marta

 
Às 09 junho, 2006 17:20 , Blogger Ana Luar disse...

Posso abrigar-me, nesses segundos donde a certeza impera?

 
Às 10 junho, 2006 01:11 , Blogger amita I disse...

Muito bom este poema. Leve e intenso. As palavras fluíram naturalmente.
Um abraço e um bom fim-de-semana

E umas boas férias para o Peter

 
Às 10 junho, 2006 09:53 , Blogger Caçadora_de_sonhos disse...

Pois é...perde-se a noção de tudo, não é? Até de quem somos....
Lindo poema

 
Às 10 junho, 2006 15:19 , Blogger Papoila disse...

Poema lindíssimo que extravasa sensualidade de forma doce, quase mágica.
A foto é mágica.
Beijo

 
Às 11 junho, 2006 02:14 , Blogger lazuli disse...

Ant, sem dúvida uma das tuas melhores.
Tem uma sensualidade subitamente apressada, urgente.

Beijos meu amigo..

fernanda

 
Às 11 junho, 2006 11:59 , Blogger Peter disse...

António, vim cá espreitar e dei com esta "maravlha".
Ainda bem que segui os sábios conselhos da n/comum amiga e resolvi convidar-te a juntar-te a nós e, o mais importante: tu aceitaste.

Quase me atrevo a izer que sem ti o blog estava a tornar-se um deserto ...

Hoje não fui à praia de manhã. Estou com o "spleen", à tarde há o Portugal-Angola e estou com maus pressentimentos.

 
Às 11 junho, 2006 15:56 , Blogger Menina_marota disse...

Sei exactamente o que senti ao ler...
Sei exactamente o que pensei...
Belo este "fervilhar" de sentimentos...

Um abraço ;)

 
Às 12 junho, 2006 10:40 , Blogger Ant disse...

Peter, pelos vistos os rapazes até se safaram. à tabela mas lá se safaram.
Este blogue já valia a pena antes de mim. Como disse antes é com muito prazer que faço parte deste grupo de amigos.

Um abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial