sábado, maio 29

Uma questão complexa

“O Jornal de Notícias informava há dias que a colheita de morangos junto ao mar, na zona de Mira, só está a ser possível graças a imigrantes tailandeses. No passado, dezenas de toneladas de morangos ficaram por apanhar.
Um agricultor recorreu ao Centro de Emprego, que lhe indicou cem desempregados. Mas, destes, só um – uma mulher – aceitou trabalhar. Os outros, ou não apareceram, ou deram desculpas para não apanharem os morangos, preferindo ficar em casa a receber o subsídio de desemprego. Note-se que os tailandeses são pagos no mínimo, a 550 euros líquidos mensais – e os portugueses não receberiam menos.
Casos deste tipo multiplicam-se por todo o país. Apesar de termos uma altíssima taxa de desemprego, há sectores que, sem o trabalho dos imigrantes, não poderiam funcionar. O turismo (incluindo a restauração) e as construção civil, por exemplo.
A coincidência de um forte desemprego com a recusa dos nacionais a executarem certas tarefas regista-se noutros países europeus, como a Alemanha ou a França. O que mostra como a questão do desemprego é mais complexa do que parece.”

(Francisco Saarsfield Cabral, in “Página 1” de 28/05/2010)

2 Comentários:

Às 29 maio, 2010 14:18 , Blogger Menina Marota disse...

Pois... infelizmente este País está numa situação difícil mas muitos habituaram-se a ter dinheiro sem trabalharem.

É cada vez maior o número de estrangeiros a fazer trabalho que o português recusa! E depois fala-se na crise.
Crise... mas de outras coisas... .(((

 
Às 30 maio, 2010 19:28 , Blogger alf disse...

É uma questão de fazer as contas: um tailandês ganah em Portugal 550 euros por mês, vive num quartinho, gasta 250 euros por mês, poupa 300 que manda para a Tailândia; lá, o custo de vida para esta classe de pessoas é para aí um décimo de cá, logo esses 300 euros equivalem a 3000 cá.

Como o trabalhador português tem a família cá, precisava portanto de ganhar 3300 euros por mês para ficar nas mesmas condições do tailandês.

Se o ordenado do Tailandês não lhe permitisse uma sobra que vai ser multiplicada na tailândia, ele não aceitaria o trabalho. Tal como o português.

Oportuno o post.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial