quinta-feira, janeiro 28

Esquerda pouco transparente

“Francisco Louçã e Jerónimo de Sousa têm-se multiplicado em acusações ao PS por se entender com o PSD e o CDS para a viabilização do Orçamento. Mas nunca ninguém esperou que o Governo e o PS chegassem a acordo com os partidos à sua esquerda nesta matéria vital.
O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista estão fora destas negociações.
Porquê? Porque são partidos cujo objectivo é destruir a economia de mercado – o capitalismo, se quisermos – para instaurar a colectivização da sociedade. Mas nem o PCP (nostálgico da União Soviética) nem, sobretudo, o BE (uma caldeirada de marxistas mais ou menos heterodoxos) gostam de se referir abertamente à sua ideologia e ao que, afinal, pretendem. Não são transparentes, porque o marxismo foi estrondosamente derrotado pela história. Não dá votos.
Em matéria económica e social o PS de Sócrates não pode fazer acordos significativos com os partidos à sua esquerda. O que lhe cria um problema: para se mostrar “de esquerda”, o PS tem de apostar nas questões fracturantes, do aborto à eutanásia, passando pelo “casamento” homossexual.”

(Francisco Sarsfield Cabral, Jornalista, in “Página 1” de 27/01/2010)

6 Comentários:

Às 28 janeiro, 2010 10:53 , Blogger antonio - o implume disse...

Curiosamente o sistema financeiro fez mais pela destruição do capitalismo (e da sua credibilidade) do que os Louçãs deste mundo.

Existe uma direita (Sarsfield) que julga que nós devemos ser tacanhos! ;)

 
Às 28 janeiro, 2010 12:02 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Concordo em parte com Sarsfield, pois também não confio nada no PCP e muito menos no BE.

 
Às 28 janeiro, 2010 12:45 , Blogger Peter disse...

antonio - o implume

O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista são partidos cujo objectivo é destruir a economia de mercado para instaurar a colectivização da sociedade.

Isto é aquilo em que eu acredito e que julgo Sócrates também acredita. Por isso cito o artigo de Sarsfield mesmo correndo o risco de ser considerado "tacanho".

 
Às 28 janeiro, 2010 13:50 , Blogger Meg disse...

Peter,

Mas isso não é evidente?
Não, não somos tacanhos, Peter!
Basta-nos ouvi-los.
Gostava de ver este país entregue ao guru Louçâ e seus seguidores, só durante um mês!

Um abraço

 
Às 28 janeiro, 2010 14:56 , Blogger Peter disse...

Meg

Por muito mal que esteja o País e está, nada se compara ao chamado PREC e ao "Verão" quente de 1975.
Conheci pessoalmente muitos dos intervenientes, bem como muitos dos acontecimentos depois do 25 ABR 74.
Agora, tantos anos volvidos, começo a juntar tudo e a compreender o inexplicável.

Para mim, que é parte da minha vida, é empolgante a narração que o então capitão Sousa e Castro faz no seu livro recentemente publicado:

"Capitão de Abril, capitão de Novembro".

Bom fds e aproveita para ler o livro.

 
Às 28 janeiro, 2010 16:37 , Blogger Meg disse...

Peter,

Não preciso de ler o livro... conheço muito bem TODOS os capitães de Abril, eu vivi tudo isso "por dentro".
Vivi também o 25 de Novembro... o mais "por dentro" posssível, se me entendes.

Por isso te entendo.

Um abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial