segunda-feira, dezembro 14

Trânsito


Não será a melhor maneira de começar a semana, mas aproxima-se o Natal e por muito má que estejam as coisas e estão, as estradas vão estar cheias, normalmente com destino ao norte. Como alentejano sempre constatei que esta tradição da Consoada tem muito mais impacto entre as gentes nortenhas. Talvez porque a emigração sempre foi maior que no sul e aí temos os nossos compatriotas que lá fora e cada vez mais procuram o trabalho que aqui não têm, a engrossarem o trânsito rodoviário.

Infelizmente vai começar a “sangria” e ninguém faz nada, nunca fizeram, limitam-se a debitar números e estatísticas. Claro que os mortos que contam, são só os que o são no local do acidente. Mais uma maneira de tornear o problema. Dá a impressão que nem os sucessivos governos, nem a Justiça, estão verdadeiramente empenhados em resolver o problema da “batalha do trânsito”.

Um indivíduo atropela e mata um peão numa passadeira e depois foge. No dia seguinte apresenta-se às autoridades, é presente ao juiz e sai aguardando julgamento, mas mantendo a “licença para matar”, vulgo carta de condução.
Outro que pise um risco contínuo e seja apanhado pelos “caça-multas” fica com a carta apreendida.

Vale a pena continuar a “bater no ceguinho”?

17 Comentários:

Às 14 dezembro, 2009 10:05 , Blogger antonio - o implume disse...

Mais do que leis, fiscalização ou tribunais, precisamos de uma evolução de mentalidade. O português transfigura-se a partir do seu carro!
Impressionante foto!

 
Às 14 dezembro, 2009 10:48 , Blogger Peter disse...

antonio - o implume

"Evolução de mentalidades"? Claro!
Lendo o Eça e os n/escritores do sec XIX, que tomamos consciêcia disso e passados mais de 100 anos qual foi essa evolução?
Negativa.
O "portuga vulgaris", ao qual pertenço, já que não manda em nada e é esmagado pelo patrão, sente-se rei e senhor ao volante da sua "latinha", que, por isso mesmo, anda que se farta, mas quando bate, ou lhe batem, fica nesse estado.

Boa semana!

 
Às 14 dezembro, 2009 14:45 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Acho que vale a pena continuar a "bater no ceguinho". Sempre!

É que só com a nobre arte de denúncia cívica (não confundir com o mero bufar), se pode forçar a mudança.

E se é bem verdade que o condutor português instalado ao volante se transfigura e qualquer azelha presume ser um Fangio, não menos verdade é que se atravessam o risco mágico da fronetira quase todos conduzem "direitinhos" ... deve ser por as coisas por lá serem a sério e a doer!
E o português normalmente só aprende quando lhe vão onde dói mais ... a carteira.

 
Às 14 dezembro, 2009 18:45 , Blogger Peter disse...

Ferreira Pinto

Continuamos a matar-nos uns aos outros perante a complacência e a bondade da legislação existente.
Implica mais despeza modificá-la?
Possivelmente não, mas há que acautelar os "filhinhos de papai". E se eles fossem apanhados pela nova legislação?

Queres matar um tipo que não gramas? Atropela-o, foge e ficas fazendo a tua vida normal, como se nada fosse, até que passados anos se realize o julgamento.

E em Inglaterra e na Alemanha, esses desgraçados países, como é?

 
Às 15 dezembro, 2009 11:10 , Blogger Ashera disse...

É preciso lembrar que estamos num País de sem vergonha, onde a Justiça é uma utopia, abunda a corrupção e o crime, chamam de "enriquecimento ilícito" a quem rouba descaradamente!

 
Às 15 dezembro, 2009 12:40 , Blogger Peter disse...

Ashera

É preciso vir aqui protestar. Eu não escrevo outro post enquanto não vos ver aqui.

NÃO POSSO ACEITAR QUE QUEM PISE UM RISCO CONTÍNUO, FIQUE SEM CARTA DURANTE MESES E QUEM ATROPELE UMA PESSOA DENTRO DE UMA PASSADEIRA, FUJA SEM LHE PRESTAR SOCORROS, MAS NO OUTRO DIA SE APRESENTE ÀS AUTORIDADES, SEJA PRESENTE AO JUIZ VOLTE À SUA VIDA DE TODOS OS DIAS, COM A SUA CARTA DE CONDUÇÃO E FIQUE (DURANTE ANOS?) A AGUARDAR JULGAMENTO.

MAS ISTO CABE NA CABEÇA DE ALGUÉM?

 
Às 15 dezembro, 2009 21:54 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

Será que o que está mal é o Código da Estrada ou o Código Penal? Ou será que foi apenas a interpretação que o juíz fez da Lei?

 
Às 15 dezembro, 2009 22:13 , Blogger Peter disse...

Ferreira Pinto

Como advogado tu é que deves responder. Aliás, tu próprio já acima reconheceste que o condutor português, logo que sai do país, logo conduz "direitinho", deve ser por as coisas lá fora serem mesmo a sério e a doer!

Porque não o são cá?

 
Às 15 dezembro, 2009 22:14 , Blogger heretico disse...

subscrevo que mais que as leis, mentalidade. mas as leis ajudam...

há que continuar a bater. no ceguinho...

abraço

 
Às 15 dezembro, 2009 23:14 , Blogger Peter disse...

heretico

Um assunto que mata anualmente, ou causa danos irreversíveis em mihares de portugueses, merece muito mais ser analizado e debatido, do que ouvir as escutas das conversas entre Vara e Sócrates.

 
Às 16 dezembro, 2009 13:17 , Blogger vbm disse...

Ó Peter,

Há um aspecto que não te lembraste
de referir a propósito
dos desastres
de automóvel:

- o aproveitamento médico
de orgãos humanos para
os hospitais.

...

 
Às 16 dezembro, 2009 15:08 , Blogger Ferreira-Pinto disse...

PETER eu sei, mas como sabes gosto de deixar no ar outras questões para reflexão. É que por vezes não te adianta de nada teres leis muito rigorosas, se depois quem as aplica tem um critério demasiado generoso.

E penso que concordarás comigo que ele há juízes e juízes, assim como há condutores e condutores. Aliás, eu disse que quase todos assim que passam a fronteira se portam como deve ser, mas não todos.
O mesmo se passa com os espanhóis que cá vêm.

Depois também temos a actuação da outrora denominada BT. Se apanha em excesso de velocidade e multa, é caça â multa; se não faz nada, não faz nada.

Mas tens razão que o comportamento que descreves é indecoroso e indecente. E configura além do homicídio o crime de abandono da vítima.

 
Às 16 dezembro, 2009 16:50 , Blogger Peter disse...

vbm

Deves andar de bicicleta...

 
Às 16 dezembro, 2009 16:53 , Blogger Peter disse...

FP


"O mesmo se passa com os espanhóis que cá vêm."

Portam-se como os portugueses, porque em Espanha têm muto respeitinho pela Polícia da estrada.

 
Às 16 dezembro, 2009 20:02 , Blogger vbm disse...

lol

 
Às 27 dezembro, 2009 09:49 , Blogger Peter disse...

No balanço das primeiras 24 horas da Operação Natal 2009 da GNR, o registo é de 405 acidentes, de que resultaram nove feridos graves.
No mesmo período do ano passado, registaram-se mais 86 acidentes do que este ano.
O patrulhamento nas estradas portuguesas está reforçado desde as 00h00 de quarta-feira até às 24h00 de domingo, dia 27, mobilizando 2600 militares.

 
Às 28 dezembro, 2009 19:23 , Blogger Peter disse...

O balanço provisório da Operação Natal que terminou às 24h00 de domingo aponta para um total de seis mortos, menos cinco que no ano passado, e 36 feridos graves,
menos 12 que em 2008.
A Associação dos Profissionais da Guarda (APG) atribui, contudo, o aumento do número de acidentes - mais 53 do que em 2009 – à extinção da Brigada de Trânsito
(BT) da GNR, substituída pela nova Unidade Nacional de Trânsito.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial