terça-feira, abril 15

Declaração de Casamento

Senhor engenheiro ministro das Finanças da 5ª Repartição, 4º bairro,
Chelas, Zona K,

Excelência
Zé Carlos & Soraia Vanessa vêm por este meio bufar junto de Vossa Excelência os gastos que fizeram anteontem, derivado ao matrimónio que contraíram, aqui ao lado, naquela igreja pré-fabricada que tem a cruz fluorescente em roxo, não sei se está a ver, é aquilo que parece a oficina do Chinas, mas em branco e sem pneus pendurados. Prontos.

Então é assim, tivemos que dar uma data de dinheiro ao senhor padre, mas ele não passou recibo, pelo que achamos que é de prendê-lo e mandar vir outro. Ao resisto com cervatória, o civil, sem ser pela igreja, esse também pagámos bué, mas esses Vossa Excelência já deve estar a mancar e sobre olho, derivado a serem da família, salvo seja, de Vossa Excelência.

Passamos então ao chamado vestido de noiva, o qual foi oferecido por uma senhora chamada Dona Clara que criou a minha esposa desde pequena,isto agora sou eu a escrever, o Zé Carlos, porque a Soraia foi à bica à Dona São, derivado a que a mãe dela teve de ir bulir para Barcelona e deve ter-se casado por lá, mas ninguém tem a certeza, derivado ao que não podemos, portanto, bufar junto de Vossa Excelência quanto é que custou o casório dela, se é que se casou mesmo, se não bufávamos e Vossa Excelência até era homem para nos fazer um desconto no IRS que eu sei que você era.

O dito vestido de noiva era da Zara e custou 19 euros, há quem ache caro à vista, mas até foi barato, a Dona Clara diz que estava em saldos e aproveitou. Como é de Verão, deve acrescentar-se ao preço do vestido uma embalagem de parasitamor, que foi para a carraspana, genéricos, adquiridos na Farmácia da Dra. Lena (ficou de venda suspensa, por isso não tenho aqui a factura nem o número de contribuinte da Dra. Lena, senão juro que lhe mandava, até porque essa senhora deve estar cheia à custa do dinheirão que leva em preservativos e outros géneros de primeira necessidade, mas prontos, Vossa Excelência, de gatunos deve saber tudo).

Eu levei um fato do Manecas, que é central do Picheleira e mais ou menos do meu tamanho (n/c 128 3...). Ele não me levou nada pelo fato, só tive que o mandar limpar na Tinturaria Tati, mas foi a minha esposa que o mandou e ela, como disse, foi à Dona São, por isso não tenho aqui a facturazinha, mas acho que é três euros, não sei é se é por peça ou todo.

Quanto ao copo de água, foi servido na já referida Dona São e pago pelo meu padrinho, o Toni (n/c 277 2...), que me disse que foi um bocado caro, mas não dizia quanto porque não se diz. Mas é perguntar lá que a Dona São faz-lhe a conta. Éramos cinco homens, à média de umas quatro bujecas cada um e seis senhoras, incluindo a minha, que beberam três um compal laite, uma uma mini e duas só quiseram água,que foi uma seca prós brindes, derivado a que não se fazem saúdes com água. E quatro sandes de fiambre, duas de torresmos e um bolicau prá Sandrinha que levou as alianças, as cujas eram e voltaram a ser hoje do meu pai e da minha mãe.

A noite de núpcias não teve gastos, já íamos aviados.

Espero que Vossa Excelência fique satisfeito e que não me venha cá com coimas, porque neste preciso momento a Soraia já chegou e tenho de parar de escrever. Vossa Excelência sabe como é a vida de casado, se é que tem mulher que lhe pegue e interesse nelas (isto é eu na reinação,não leve a mal).

Pede deferimento, Zé Carlos e Soraia.
------------------------------------------
Diar Zé,trazeite-me your uaife to bufeite-me in person.
If i like, então i deferirei.

Ass. Zé Sócas

P.S. isto é inglês técnico.
-------------------------------------------
Estou farto de política, de misérias e de desgraças, por isso recebi e resolvi publicar este e-mail enviado por pessoa amiga. Pelo menos vamo-nos rindo.
O riso ainda não paga imposto, pois não?

7 Comentários:

Às 15 abril, 2008 15:30 , Blogger Tiago R. Cardoso disse...

Pois não Peter, mas se calhar é melhor falarmos baixo não vão eles ouvir a rir e tem alguma ideia.

 
Às 15 abril, 2008 15:50 , Blogger Blondewithaphd disse...

Até ver vai estando isento:D

 
Às 15 abril, 2008 17:38 , Blogger Peter disse...

Tiago

Espero que ainda não tenhamos "chegado à Madeira".
Limito-me a falar de um novo encargo fiscal e do seu cumprimento pelo Zé Carlos e pela Soraia.

 
Às 15 abril, 2008 17:40 , Blogger Peter disse...

"Blonde"

Dizes bem:
"Até ver ..."

 
Às 15 abril, 2008 21:18 , Blogger herético disse...

não estou tão seguro - o riso não paga imposto até ver! a crise está para durar...

abraços

 
Às 15 abril, 2008 22:54 , Blogger Peter disse...

"herético"

És capaz de ter razão.

Abraços

 
Às 16 abril, 2008 01:37 , Blogger Belzebu disse...

eheh!! Fizeste bem em partilhar a Soraia connosco! Porreiro pá!

Quanto ao riso não pagar imposto, o melhor é não lembrar isso a essas mentes pouco recomendáveis! O Sócas não "drome"!

eheh!! Aquele abraço infernal!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial