quinta-feira, março 13

A propósito de Pessoa ...

A mim que sou um ignorante e quase um analfabeto em termos de poesia, expliquem-me, por favor, o motivo porque Fernando Pessoa só começou a ser mais divulgado e conhecido, após o 25 de Abril de 1974. Ele, que até nem se pode considerar como tendo sido um opositor ao regime de então.

Vergílio Ferreira, no seu livro "conta corrente 1", diz a respeito dele, em 15 de Dezembro de 1969:

" ... seria interessante um confronto sistemático de Pessoa com Eça, de quem ele disse muito mal e em cujos bolsos meteu às vezes a mão. Por exemplo, é citada até à náusea a frase de Pessoa: “a minha pátria é a língua portuguesa”. Mas isto está na carta IV do “Fradique: Na língua verdadeiramente reside a nacionalidade”. As graves questões da vida pode Pessoa propô-las, quando as propõe, sem o risco de “sentimentalidade”, porque a cabriola com que as propõe lhes retira a “seriedade”. Pessoa desune as coisas e situações mais simples, dando sempre uma volta imprevista quando avança para elas. O que é frequente nele é não dizer nada de novo, excepto no que há de imprevisto e desmultiplicado na maneira de dizer ..."

Pois, pois, eu sei que não gostam de Vergílio Ferreira, mas o que querem (?) foi ainda meu professor e não posso esquecer que ele nos lia nas aulas uma das suas primeiras obras “Vagão J”, então já apreendida pela censura.

Não era uma pessoa simpática, mas tal nunca obstou a que nos tratasse como alunos, com o maior profissionalismo e urbanidade. E foi, não podemos esquecer, um dos melhores cultores da língua portuguesa.
Teve a ousadia de naquele período louco pós - Abril 74, enfrentar a “rebaldaria” que se vivia nas aulas e que, pelos vistos, ainda continua …
Era o período em que dominava o PCP e aí temos um opositor ao regime a ser vítima de muitos “vira-casacas” da época.

Isto faz-me lembrar a atitude deste Partido agora vinda a público, em querer avocar os louros da manifestação dos professores, que verifico com satisfação estar a ser resolvida com “flexibilidade” e “bom senso”, que teve a participação de quase toda uma “classe”, pela primeira vez unida e em que muitos/as dos/as participantes, a pesar da sua idade e dos muitos anos de Ensino, ser a primeira vez que tomaram tal atitude que não foi, talvez na esmagadora maioria dos casos, ditada por motivos de ordem política.

8 Comentários:

Às 15 março, 2008 12:10 , Blogger bluegift disse...

Cada um tem os seus amores e ódios de estimação. O Virgilio lá teria os seus em relação ao Pessoa. Pessoa é um génio da literatura, reconhecido em praticamente todo o mundo. Quanto ao reste... on s'en fout...

 
Às 15 março, 2008 16:18 , Blogger Peter disse...

"bluegift"

Eu o que não compreendo, porque não sei mesmo, até porque o meu interesse pela poesia foi tardio, é o porquê de Pessoa ser considerado um "génio da literatura".

Também o Saramago foi Premio Nobel e eu nunca consegui ler um livro dele até ao fim.

Insuficiência minha, reconheço.

 
Às 16 março, 2008 13:49 , Blogger Meg disse...

Peter,

Não sei se conheces um livro de Mário Saraiva "O Caso Clínico de Fernando Pessoa". Sem querer levantar polémica (quem sou eu, cheia de dúvidas) aconselho-te a leitura. E mais não digo.

Quanto ao Saramago, nunca consegui entrar naquele universo de arame farpado... desde que descobriram os Cem Anos de Solidão, a moda pegou, mas em alguns casos, muito mal. E de Saramago, também não digo mais nada, porque respeito quem gosta.

Um abraço e desculpem-me a ausência.

Um abraço

 
Às 16 março, 2008 14:49 , Blogger bluegift disse...

Meg, não li o livro mas imagino onde queiras chegar. Ele tinha uma personalidade neurótica de tendência esquizofrénica, uma sintomatologia que faz parte de muitos génios em vários campos da Arte e da Ciência; é triste para eles, mas um grande ganho para o desenvolvimento da cultura e ciência de todo o mundo. É uma questão de gosto, nada mais. Eu admiro muito Fernando Pessoa e considero-o um verdadeiro génio.

 
Às 16 março, 2008 14:57 , Blogger Meg disse...

Blue

E conheces algum génio que seja "normal", seja lá o que quer que isso queira dizer - a normalidade?

Eu não, graças a Deus! A "dita" normalidade assusta-me até.

Mas gosto de ler e depois dentro de mim tentar entender e tentar resposta às minhas dúvidas.

Porque, louco ou não, é com uma frase de Fernando Pessoa que descrevo o meu blogue. E foi com um poema de Álvaro de Campos que fiz a primeira postagem.

Um abraço

 
Às 16 março, 2008 23:23 , Blogger Peter disse...

"bluegift"

Na resposta que deste à "Meg" vem aquilo que eu pretendia saber, mas que não sabia:

"Ele tinha uma personalidade neurótica de tendência esquizofrénica, uma sintomatologia que faz parte de muitos génios em vários campos da Arte e da Ciência"

Continuo é sem perceber o porquê do génio de FP só ter sido descoberto, louvado e incensado, depois do 25 de Abril 74.
Como te disse, tenho lido muito pouca poesia. Comecei a ler mais quando me virei para os blogs. Foi a partir daí que comecei a comprar livros de versos de autores contemporâneos portugueses e a interessar-me pelo tema.

 
Às 20 março, 2008 00:10 , Blogger António disse...

Olá, Peter!
Eu não percebo do assunto, mas penso que a maior parte do espólio literário do Pessoa só foi descoberto nos anos 50 ou 60.
Antes praticamente só era conhecida a "Mensagem".
Mas se calhar estou a dizer uma grande asneira!

Abraço

 
Às 20 março, 2008 14:47 , Blogger Peter disse...

António

Possivelmente será como dizes.

Abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial