terça-feira, janeiro 1

2007 - A Figura do ano

Fernando José Matos Pinto Monteiro, Procurador-Geral da Republica, foi considerado a figura do ano pelo jornal "Correio da Manhã".

Na entrevista que concedeu à separata "Especial Domingo" pode ler-se:

«P - Que balanço faz de 2007?
R - Foi um ano em que procurei diminuir o sentimento de impunidade que existe em Portugal através da activação de todos os meios ao meu alcance para o combater. Os factos vieram dar-me razão! Há bolsas de impunidade em Portugal que procurei combater em vários campos, seja no alto capital, branqueamento de dinheiro, seja na pequena criminalidade, com os ilícitos nas escolas, ou naquela mais grave, como a que está a acontecer no Porto.

P - Como fez isso?
R - Procurei que as pessoas acreditassem na Justiça. A Justiça portuguesa não é boa nem má, digamos que é assim-assim, mas se o cidadão não acreditar nela será sempre má. Mesmo que esteja a subir de nível - e em algumas coisas está - se não gerar confiança será sempre má. É preciso que o cidadão sinta a Justiça mais próxima e transparente.
Depois, esforcei-me por reforçar o mais possível o sentimento de segurança. O sentimento de segurança do cidadão existe se este pensar que não há privilegiados, que todo o tipo de ilícito é punido.»

Concordo com a escolha feita pelo jornal. Acredito nele e inspira-me confiança.

Para os 2 milhões de portugueses em situação de pobreza extrema e que, se não fossem os subsídios estatais, seriam o dobro.
Para os 500.000 desempregados, mais de 50.000 com curso Superior, muitos dos quais filhos de pais da classe média, transformados em novos pobres.
Para as milhares de famílias endividadas, que desesperam para conseguir gerir o seu magro orçamento.
Para as 9.000 pessoas que vivem miseravelmente nas chamadas “ilhas” do Porto, quando na mesma cidade há casas que são transaccionadas por 5.000.000 €.

Quando:

- os voos para o Brasil estiveram completamente cheios;
- os melhores hotéis esgotaram a lotação para as festas de fim de ano;
- os condomínios mais caros se vendem rapidamente; só em Lisboa existem cerca de 75.000 apartamentos T2 e T3 por vender.

São uma realidade chocante, que eu não compreendo, que os meus compatriotas não compreendem, não aceitam, nem podem aceitar.
Penso que a única forma de atenuar esta realidade “obscena” será através da criação de mais riqueza e tal não se conseguirá com greves, nem com manifestações de rua, nem por decreto governamental.
Consegue-se com o investimento e a criação de mais riqueza, geradores de postos de trabalho susceptíveis de atenuar a desigualdade que nos divide, mas também e principalmente, com o esforço, o trabalho e a criatividade de todos nós.

Vamos tentar fazê-lo em 2008.

5 Comentários:

Às 01 janeiro, 2008 11:13 , Blogger Ant disse...

Ora então bom dia, caro amigo.
Começas bem a ano: cedo e forte.
Abraço

 
Às 01 janeiro, 2008 11:40 , Blogger Meg disse...

Peter,

BOM ANO!

Subscrevo inteiramente o que acabo de ler, porque penso exactamente o mesmo.
E admiro a frontalidade deste PR que chama "os bois pelo nome"...
não tem papas na língua.

Uma esperança na Justiça para este ano que começa, agora que a "loucura" já passou e voltamos à realidade...

Um abraço

 
Às 02 janeiro, 2008 14:17 , Blogger quintarantino disse...

Eu não percebo nada disto... ou anda tudo a gamar ou então não enendo mesmo nada... um gajo a ganhar uma miséria, tempos de carestia e voos para o Brasil cheios... não percebo...

 
Às 05 janeiro, 2008 09:45 , Blogger António disse...

A figura do ano foi o Cristiano Ronaldo!
ihihihih

Abraço

 
Às 06 janeiro, 2008 12:50 , Blogger Peter disse...

"antónio"

Não sou "gaja" ...

Abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial