sexta-feira, março 9

Amizade e Machu Pichu

A amizade é extremamente importante, direi mesmo imprescindível. O ser humano não pode viver isolado da comunidade onde se integra. O condutor do autocarro normalmente é encarado pelo passageiro como parte integrante de uma máquina de que ele se serve e não como um ser igual a ele, ambos pertencentes à comunidade onde cada qual tem as suas funções diferenciadas.

Mas as pessoas, necessitam de comunicar entre si, de viva voz, cara a cara e não através deste ecrã branco que eu, a pouco e pouco vou enchendo de caracteres.

Hoje encontrei um colega de curso e, como temos a felicidade inestimável de podermos dispor do nosso tempo, passámos umas horas conversando. De quê, perguntarão. De nada e de tudo. Perdeu-se a arte de conversar, de cavaquear.
Lembro-me dos meus tempos de estudante, quando nos reuníamos na farmácia do meu primo, a única na terra e em que também tomava assento o padre, de quem eu já aqui falei. Não um padre beato, mas um ser humano igual aos outros e que por isso, porque uma vez foi visto de polo colorido numa praia, por uma das ricaças da terra, foi proscrito e mandado dizer missa para uma pequena capela, pertencente ao hospital da Misericórdia. Eu ia lá, uma vez por ano, na noite da consoada, assistir à Missa do Galo.
Um ano, a meio da missa, ele parou cerca de um minuto, para depois dizer com a sua voz tonitruante:

- "Estou à espera que as pessoas lá do fundo se calem".

Mas eu não vim aqui recordar o passado, aliás, para mim, é tudo passado, não há presente e o futuro está sempre a acontecer, até que um dia deixa mesmo de acontecer...

E a amizade vai forjando-se, por vezes a partir de um conhecimento ocasional. Só quem tem mentes mal formadas pode pensar que, se um homem e uma mulher se conhecem, está sempre subjacente o sexo. Ainda existe quem pense assim, quem viva de “fofoquices”. Felizmente que é uma "espécie" em vias de extinção.

As maravilhas da técnica permitiam-nos, durante a cavaqueira, manter-nos em contacto com o mundo. O telemóvel é uma maravilha imprescindível. Para mim é, outros detestam-no.



E o que tem todo este arrazoado a ver com Machu Pichu?

Tem, porque é um sítio onde gostava de ir, porque acho que, indiscutivelmente é uma das 7 Maravilhas do Mundo, porque estavam a dar na TV um pequeno documentário sobre ela, a cidade, porque numa viagem uma pessoa que já lá tinha estado me falou entusiasmada por ter tido a possibilidade, nessa altura em jornadas incríveis de autocarro através da selva, de lá ter estado.

Machu Pichu para mim, cidadão comum desta cidade egoísta, é o sonho que também como a amizade com outra pessoa me proporcionaria.
Talvez um dia lá consiga ir. A amizade com outra, ou outras pessoas, felizmente não são tão inatingíveis.

16 Comentários:

Às 10 março, 2007 07:37 , Blogger Paula Raposo disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 10 março, 2007 11:40 , Blogger Papoila disse...

Este entrecuzar da escrita e pensamento... este magnífico texto em amena cavaqueira... que brota para a escrita como as cerejas de um cesto sobre o valor da amizade deliciou-me... Machu Pichu é um local onde também gostaria de ir.
Beijo

 
Às 10 março, 2007 12:10 , Blogger amita I disse...

Pensei ter entrado no blog errado. Espacei-me no tempo mas não na amizade que relembro em cada passo de uma imensa saudade.
O aspecto gráfico é muito bonito. Parabéns Blue.
Um bjinho grande para todos e um lindo dia de sol.
Vou ler-vos... :)

 
Às 10 março, 2007 12:23 , Blogger MARTA disse...

Olá, Peter - gostei da tua reflexão sobre a amizade.
Concordo contigo; infelizmente há muita gente que vive e fomenta a "fofoquice".
Espero que vás a Machu Pichu e tires fotografias magníficas.
Beijos e abraços
Marta

 
Às 10 março, 2007 12:25 , Blogger amita I disse...

Adorei este teu texto, meu amigo.
Muitas frases haveria a destacar.
Em cada parágrafo encontro pelo menos uma.
Uma bela viagem entre o presente e o passado. Adorei realmente este texto.
Um bjinho grande

 
Às 10 março, 2007 12:25 , Blogger Peter disse...

Amita

És sempre benvinda e a "blue" fez-me esta surpreza.
A amizade é um bem precioso e é dela que falo no meu texto.

Beijo amigo

 
Às 10 março, 2007 12:29 , Blogger Peter disse...

Marta

Estou à espera que me saia o EuroMilhões, mas nem um 3 fiz ...

Tudo de melhor para ti minha cara amiga. Se vivesses no Brasil, certamente já terias ido consultar uma "Mãe de Santo".

 
Às 10 março, 2007 22:26 , Blogger bluegift disse...

Peter, tenho pouco mais a acrescentar às tuas palavras que me agradaram tanto ou mais que a lindíssima foto de Manchu Pichu. Como é que alguém pode ser feliz sem amigos? É impossível. A Internet é comunicação, e nada é mais importante numa amizade que a satisfação de comunicar com o outro, estar no mundo em "n" variantes de si próprio. brindemos pois ao novo visual do Conversas! :)

 
Às 10 março, 2007 22:28 , Blogger bluegift disse...

Amita, um Grande beijinho. Já não te via há algum tempo :)

 
Às 10 março, 2007 22:56 , Blogger herético disse...

um hino o teu texto. à amizade. à cultura e à inteligência...

abraços

 
Às 11 março, 2007 00:32 , Blogger Peter disse...

"bluegift", minha cara amiga desconhecida, mas conhecida de há um ror de anos.

Brindemos pois ao novo visual do nosso blog, mas com um whiskey de malte:

"cheer up"

Bem o mereces.

 
Às 11 março, 2007 00:35 , Blogger Peter disse...

"herético", meu caro amigo, também não exageremos.

Um abraço, brindando pelo (in)sucesso do Bush na America do Sul.

 
Às 11 março, 2007 02:00 , Blogger Caiê disse...

Também lá hei-de ir, mas, entretanto, tenho muito caminho a fazer dentro de mim.

 
Às 11 março, 2007 02:57 , Blogger Betty Branco Martins disse...

Peter

O valor da amizade

O que é um verdadeiro amigo?
Disse um soldado ao seu comandante:
-”O meu amigo não voltou do campo de batalha. Meu comandante, solicito autorização para ir buscá-lo.”
Respondeu o oficial:
-”Autorização negada! Não quero que arrisques a tua vida por um homem que, provavelmente, está morto!”
O soldado, ignorando a proibição, saiu.

Uma hora mais tarde voltou mortalmente ferido, transportando o cadáver do seu amigo.
O oficial estava furioso:

-”Eu não te disse que ele estava morto?! Diz-me: valia a pena ir até lá para trazer um cadáver?”
E o soldado, moribundo, respondeu:

-”Claro que sim, meu comandante!
Quando o encontrei, ele ainda estava vivo e disse-me:
- “Tinha a certeza que virias!”

(desconheço o autor)


Em todas as civilizações existem locais prodigiosos, cuja fama perdura, e serve de fonte de inspiração a contadores de histórias, artistas plásticos e músicos. Nalguns casos, é a imponência arquitectónica que estimula a imaginação. Os templos de Tika, pirâmides com dezenas de metros de altura, edificadas durante o período mais glorioso do império maia, ou Machu Pichu, o último baluarte inca, cidadela construída com enormes blocos de granito.

Se fores não esqueças das fotos!

Beijinhos
BDomingo

 
Às 11 março, 2007 09:30 , Blogger bluegift disse...

Peter, está brindado! (viva o whiskey de malte)

Betty, é isso mesmo, alguém com quem se pode contar nos melhores e piores momentos. Beijo e bom Domingo para ti também.

 
Às 13 março, 2007 09:49 , Blogger António disse...

Olá, Peter!
Agora sim!
Agora temos o novo visual!
Esta escolha do verde teve origem em convicções ecológicas?
Muito bem!

Este texto é basicamente uma reflexão pessoal (embora com a história do padre de permeio).
Vamos ver se o Machu Pichu vai ser votado como uma das 7 novas maravilhas do mundo.

Um abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial