quinta-feira, março 1

Uma estrela de neutrões surpreendente

A morte de uma estrela não implica necessariamente a sua extinção. Uma estrela de neutrões é o coração de uma estrela que colapsou no final da sua vida. Os astrónomos detectaram o que parece ser a estrela de neutrões com a rotação mais rápida descoberta até hoje. Este pequeno corpo estelar, conhecido por XTE J1739-285, completa 1122 rotações em cada segundo. Com apenas aproximadamente 10 quilómetros de diâmetro e possuindo cerca de uma massa solar, uma estrela de neutrões é um objecto extremamente denso e o seu interior é o local mais exótico que os astrónomos podem imaginar.
De acordo com cálculos efectuados, um dedal cheio de matéria de uma estrela de neutrões pesa cem milhões de toneladas!

Quando uma estrela de neutrões se encontra em órbita de uma outra estrela, o seu forte campo gravitacional pode fazer com que material da estrela anfitriã seja "roubado". À medida que a matéria é roubada à estrela e adicionada à estrela de neutrões, vai formando-se uma camada na superfície desta.
Quando esta camada atinge cerca de 5 a 10 metros de espessura, ocorre uma explosão termonuclear. Esta explosão origina uma enorme libertação de energia que geralmente dura entre vários segundos a vários minutos, ocorrendo uma emissão de raios-X.



A velocidade de rotação que define o limite entre a estrela de neutrões se desintegrar, ou não, depende das condições internas deste objecto. Como os astrónomos ainda não possuem conhecimentos suficientes do interior destas estrelas, também não podem definir um limite exacto para a velocidade de rotação destas.
A frequência de rotação de 1122 rotações por minuto da XTE J1739-285, se confirmada, coloca em dúvida alguns dos modelos de estrelas de neutrões, com rotações bastante inferiores.

(adaptado do último nº recebido do ASTRONOVAS – OAL - Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa)


Etiquetas:

14 Comentários:

Às 01 março, 2007 07:46 , Blogger Uma vida... disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 01 março, 2007 09:19 , Blogger bluegift disse...

Peter, no último parágrafo tu queres dizer 1122 rotações por "segundo" e não por "minuto", é isso?
O que dá uma velocidade de 11 220 km/s! Nada mau ;) Mesmo assim, não chega aos aprox. mil milhões da velocidade da luz. São medidas que nos ultrapassam totalmente.
Não sei se já viste esta homenagem realizada ao Sagan:
http://video.google.fr/videoplay?docid=-27982370922673620&q=type%3Agpick

 
Às 01 março, 2007 09:56 , Blogger Nilson Barcelli disse...

Nunca tinha ouvido nada dessas estrelas.
1122 rpm ou rps? A diferença é grande...
Um abraço.

 
Às 01 março, 2007 10:00 , Blogger Peter disse...

É Paula, a diferença é que se nasce poeta, que é o teu caso e outros como eu, interrogam-se permanentemente sobre quem somos e o que estamos aqui a fazer, o que não impede de procurarmos viver a vida o melhor possível.

Já que estamos cá ...

 
Às 01 março, 2007 10:16 , Blogger Peter disse...

"bluegift", minha cara sócia, tens toda a razão, mas, neste caso é mesmo uma "gralha".
De facto, na 5ª linha do texto, escrevi:

"Este pequeno corpo estelar, conhecido por XTE J1739-285, completa 1122 rotações em cada segundo."

Portanto, quando na 3ª linha a partir do fim escrevi "1122 rotações por MINUTO", deveria ter escrito SEGUNDO.

Obrigado pela correcção. Eu bem leio os textos várias vezes, mas às vezes aparecem gralhas e agora dá muito trabalho estar a tirar e a repor o texto.

P.S. - Esta "história" do "l" e do "L" continua a chatear.

 
Às 01 março, 2007 10:20 , Blogger Papoila disse...

Peter:
Esta foto é magnífica... 1122 rotações por segundo é inimaginável para mim. (Desconhecia estas estrelas terroristas suicidas)
Beijo

 
Às 01 março, 2007 10:31 , Blogger Peter disse...

Nilson, uma "estrela de neutrões" é um objecto muito compacto (mil biliões de gr/cm^3).
É formada quase exclusivamente por "neutrões" e o seu movimento de rotação é extremamente rápido, como vimos.

Possui 2 feixes de luz, um dos quais varre a Terra a cada rotação, o que se traduz numa sucessão de sinais periódicos recebidos e daí o nome por que são também conhecidas: "pulsares".

Abraço

 
Às 01 março, 2007 11:55 , Blogger MARTA disse...

Olá, Peter - confesso a minha ignorância; não sabia e li com todo o interesse o texto.
Obrigada.
Beijos e abraços
Marta

 
Às 01 março, 2007 12:27 , Blogger Papoila disse...

Peter:
Estas fascinantes estrelas de neutrões que eu desconhecia são afinal só "terroristas"...
A imagem é fantástica repito.
Beijo

 
Às 01 março, 2007 13:33 , Blogger bluegift disse...

Peter, os sócios servem para isso :P

Voltei a colocar o JPP nos links. Espero que concordes pois considero que, apesar de tudo, e diga-se o que se disser, o homem tem um blog com muita qualidade.

Volta, JPP, estás perdoado! LOL!

 
Às 01 março, 2007 23:01 , Blogger Heloisa B.P disse...

Sempre levando daqui uma qualquer "mais valia"!
Um Abraco.
Heloisa
********

 
Às 02 março, 2007 00:01 , Blogger Peter disse...

"bluegift" desde as 11h da manhã que ando às voltas com este maldito PC.

IRRAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fizeste bem, o homem tem qualidade, embora não tenha aspecto. LOL

 
Às 03 março, 2007 14:41 , Blogger António disse...

Olá, Peter!
Estes teus textos sobre astronomia trazem-me sempre novidades.
Não conhecia o conceito de estrela de neutrões, mas esta que referes especialmente é uma coisa completamente fora daquilo que eu poderia sequer imaginar.

Obrigado pelo teu comentário ao meu post da janela aberta sobre um (pequeno) mundo.
Ouvi, numa edição recente do Prós & Contras, o Prof. Vital Moreira dizer peremptoriamente que não havia legislação penalizadora do incesto. Portanto, não é crime, em Portugal.

Um abraço

 
Às 03 março, 2007 23:40 , Blogger Peter disse...

António, não há legislação não. Em Portugal do "vale tudo" não é crime.

Deixei no teu blog uma pequena achega sobre "estrelas de neutrões", se calhar não é novidade para ti.

Abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial