domingo, julho 2

Do futebol

Há quem goste e quem não goste. Eu gosto e não me sinto diminuido intelectualmente por o confessar.

Evidentemente que o comportamento da nossa selecção "caiu como sopa no mel" no Governo de Sócrates e a prova é que determinadas medidas gravosas que têm vindo a ser tomadas acabam por passar despercebidas e acabam porque os Sindicatos há muito que cristalizaram. As iniciativas, quando as há, são sempre as mesmas, assim como os rostos dos dirigentes.
Serão eles defensores dos trabalhadores que representam, ou estarão mais interessados em defender o lugar deles, sindicalistas, e em fazer o "jogo" do Partido a que estão enfeudados?

É um país estranho este nosso Portugal. Sou igual a vós, haverá outros, muito possivelmente demasiados, que viverão pior. Vejo os jogos no café porque não tenho Sport TV, mas não fui à Alemanha como foram milhares de compatriotas nossos, nem tenho pena, nem inveja de não ter ido.
Mas com o que os "profetas da desgraça propalam", como é que há tanta gente com disponibilidades económicas para o fazer? Será a chamada "economia paralela", que todos sabemos existir e que se tolera por ser responsável por parte significativa do PIB?

Não haverá nenhum político carismático que consiga dirigir este movimento aglotinador gerado em torno da nossa selecção para projectos, iniciativas, trabalho, geradores de riqueza e de bem-estar que nos aproximem mais dos outros paises da CEE?

NÃO HÁ !

Os nossos emigrantes continuarão a "matar-se a trabalhar" nos respectivos países e a gerar riqueza para os mesmos. Continuarão a enviar-nos as suas economias que serão aqui delapidadas, como têm sido nos governos PSD ou nos governos PS. Não vale a pena estar a apontar exemplos dessa delapidação, são tantos! ...

Aos nossos emigrantes, concretamente aos que são explorados e até escravizados (é um facto do conhecimento público) em países como a Inglaterra e a Holanda, o futebol deu-lhes a alegria de, no dia seguinte à vitória portuguesa, encararem os opressores com um sorriso nos lábios.

E isso, acreditem ou não, é muito importante para eles.

10 Comentários:

Às 02 julho, 2006 15:08 , Blogger Papoila disse...

Olá Peter:
A minha filha mais nova vive com um inglês e trabalha em Oxford na BMW...
Beijo

 
Às 03 julho, 2006 03:14 , Blogger lazuli disse...

Também gosto de futebol.Concordo que o que dizes a cem por cento.
Quando falas nos nossos emigrantes recordo aqueles casos na Holanda, de autêntica escravatura de portugueses, que veio nos jornais.
E por outro lado a economia paralela vai proliferando e assiste-se a casos estranhos como o empregado do café aqui ao lado ter ido à Alemanha ver um jogo.
Talvez tenha pedido dinheiro emprestado, não sei..
Que isto é estranho, lá isso é.

Beijos sonolentos..

 
Às 03 julho, 2006 03:20 , Blogger lazuli disse...

Li agora um texto no blog do Armando que não resisto a copiar:

"A vitória foi importante, mas mais do que ganhar gostei de ver jogar.
Jogar com garra, com empenho, com determinação, com concentração total.

É bonito ver o que somos capaz de conseguir quando pomos todo o empenho num objectivo.
Quando não baixamos os braços, quando vamos à luta, mesmo que, levados pela emoção, se cometam actos de maior agressividade.

Mas o futebol é mesmo assim. Emoção, conflito, força, arte, solidariedade, vontade de vencer. Só a vitória conta, só a perfeição serve.

Que bom seria se fossemos assim todos os dias, em todos os trabalhos, com todas as pessaos.
Em vez de uma efémera vitória sobre a equipa adversária, poderiamos ganhar a guerra contra o nosso maior adversário: a apatia."

 
Às 03 julho, 2006 08:01 , Blogger Peter disse...

"lazuli", sob o título "Paixão ou alienação?" o editorial do jornal "Expresso" aborda este tema:

"Hoje, talvez não exista no mundo uma força com maior poder de atracção do que o futebol, que cumpre, no plano global, o papel da praça ou do jardim nas aldeias e cidades de todo o mundo: o lugar de encontro para pessoas de todas as cores, origens, credos e culturas. Paixão ou alienação, consoante o prisma e a sensibilidade de cada um, o facto é que ninguém fica indiferente quando a selecção do seu país entra em competição."

O mundo não são os blogues, são as praças e jardins das aldeias e cidades.
O artigo procura alertar para assuntos que nos deveriam preocupar e mobilizar, mas começo a convencer-me que esta minha atitude é um combate perdido e que, como diz o Armando no seu blogue e que tu transcreveste:

" o nosso maior adversário é a APATIA"

 
Às 03 julho, 2006 09:43 , Blogger Pdivulg disse...

Uma visão interessante esta. Para já vivamos nesta doce euforia ilusória que o futebol trouxe, porque o fim está próximo e atenção não me refiro de quarta-feira mas a domingo! hehe! Porque depois cairemos novamente no cinzentismo de Portugal real... Viva Portugal!

 
Às 03 julho, 2006 15:09 , Blogger Peter disse...

"pdivulg", não estou a falar "futebolês".

Esforçamo-nos por arranjar atestados médicos, inventamos acidentes de automóveis para justificar atrasos ao trabalho, "matamos" frequentemente parentes próximos , os dias de greve são estrategicamente marcados junto a fins-de-semana e feriados e as consultas no médico, ou as reuniões na escola dos miúdos seguem o mesmo padrão.

Eu apenas sugeri que:

- este movimento aglutinador gerado em torno da nossa selecção, fosse dirigido para projectos, iniciativas e trabalho, geradores de riqueza e de bem-estar que nos aproximassem mais dos outros paises da CEE.

 
Às 03 julho, 2006 16:09 , Anonymous js disse...

...A forma como terminas o post...é o exemplo de como as alegrias causadas pela droga que é o futebol pode ter interpretações diferenciadas... ou seja os emigrantes podem rir-se dos cidadão dos paise onde estão a trabalhar...mas estes poderão pensar e dizer ...ri-te!...ri-te(...)...ao fim e ao cabo é como nós no pais, alegres pelo feito dos atletas que estão a representar a nossa seleção...mas no dia-a-dia temos bem mais dificuldades do que os cidadãos dos outros paises... como tal de que serve as alegrias causadas pelo futebol?...uma mera alucinação em que nos convencemos que vivemos num país decente?...
(isto já para não falar na injustiça relativamente a outros atletas que dignificaram positivamente o nosso país e cujos feitos não foram nem sequer divulgados)...
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt

 
Às 03 julho, 2006 19:32 , Blogger Peter disse...

"js", escreves:
"temos bem mais dificuldades do que os cidadãos dos outros paises"

Talvez porque entre outras, existem três razões para a nossa produtividade ser tão baixa:
trabalhamos menos, trabalhamos mal e trabalhamos (vd resposta a "pdivulg") muito para evitarmos trabalhar.
O resultado é que Portugal se transformou num dos menos produtivos países da União.

Tens toda a razão quando escreves:
"já para não falar na injustiça relativamente a outros atletas que dignificaram positivamente o nosso país e cujos feitos não foram nem sequer divulgados"

Mas o que queres?
Não geram dividendos políticos.

 
Às 04 julho, 2006 23:25 , Anonymous Anónimo disse...

o brasil....foi...agora sou portugal desde criancinha... um beijinho...saudades de vcs...gisele

 
Às 05 julho, 2006 09:59 , Blogger Peter disse...

Olá Gi! É bom ter notícias suas. Mais uma a torcer por Portugal, mas não temos qq hipótese de ganhar à França.
Chegámos até aqui e já não foi mau e a Itália vai levar o caneco.

Beijinhos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial