segunda-feira, julho 23

Qualquer semelhança com os nossos políticos é erro de redação.

HARRY TRUMAN foi um tipo diferente como presidente. Provavelmente tomou tantas ou mais decisões em relação à história dos EUA como as que tomaram os 42 presidentes que o precederam.
Uma medida da grandeza talvez permaneça para sempre: trata-se do que fez DEPOIS de deixar a Casa Branca.
A única propriedade que tinha quando faleceu era uma casa na qual morava, que se encontrava na localidade de Independence, Missouri. Sua esposa a havia herdado de seus pais e, fora os anos em que moraram na Casa Branca, foi onde viveram durante toda a vida.
Quando se retirou da vida oficial em 1952, todos os seus ingressos consistiam numa pensão do Exército de $ 13.507 por ano. Ao saber o Congresso que ele custeava os seus próprios selos de correio, outorgou-lhe mais tarde um complemento e uma pensão retroativa de $ 25.000 anuais.
Depois da posse do presidente Eisenhower, Truman e sua esposa voltaram a seu lar no Missouri dirigindo o seu próprio carro... sem nenhuma companhia do Serviço Secreto.
Quando lhe ofereciam postos corporativos com grandes salários rejeitava-os dizendo: “Vocês não me querem a mim, o que querem é a figura do Presidente, e essa não me pertence. Pertence ao povo norte-americano e não está a venda...”.
Ainda depois, quando em 6 de Maio de 1971 o Congresso estava se preparando para lhe outorgar a Medalha de Honra em seu 87° aniversário, se recusou a aceitá-la, escrevendo-lhes:
“Não considero que tenha feito nada para merecer esse reconhecimento, venha ele do Congresso ou de qualquer outra parte”.
Como Presidente pagou todos seus gastos de viagem e comida com seu próprio dinheiro. 
Este homem singular escreveu: “Minhas vocações na vida sempre foram ser pianista numa casa de putas ou ser político. E para falar a verdade, não existe grande diferença entre as duas!”.

Aqui há tempos Mário Soares referiu-se ao governo atual pedindo a sua substituição (pelo PS?) uma vez que a maioria da população estava contra o mesmo Governo. O ex-PR sabe muito bem que são as eleições legislativas que decidem qual o Partido vencedor. Não creio que MS ache conveniente promover novas eleições na presente situação europeia e mundial. Comparando as mordomias de que usufruiu HT com as de MS, talvez não seja pedir demais a este para que prescinda de algumas.

3 Comentários:

Às 25 julho, 2012 17:20 , Blogger alf disse...

O drama dos nossos sistemas políticos é que dependem do aparecimento de pessoas providenciais; sem elas, tornam-se num caos.
Precisamos de inventar um sistema em que valha a pena aos melhores serem governantes.

 
Às 25 julho, 2012 19:20 , Blogger Peter disse...

Olá "alf", isto por aqui anda tudo embrulhado, como o País.
Tens toda a razão, é preciso pessoas que sirvam em vez de pessoas que só pensem em servir-se, como sucede de há 30 anos para cá.

 
Às 29 julho, 2012 16:47 , Blogger gloria leite disse...

Olá
Adoro estes escritos para n. ser só eu a contestar, mas é pouco, o saco dos favorecidos e prepotentes são farinha do mesmo saco mesmo qdo muda a cor da bandeira.Só trocam de lugares e beneces.
Nem a Maria da Fonte teria força para correr com esta corja.Meio país a sofrer e pagar para outro meio gamar!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial