quarta-feira, junho 27

COINCIDÊNCIAS


“O turco Cuneyt Cakir foi o escolhido pelas instâncias da UEFA para dirigir o jogo desta quarta-feira entre Portugal e a Espanha a contar para as meias-finais do Campeonato da Europa de
futebol.

Para uma fase tão adiantada, como decisiva, da competição, talvez fosse de esperar a nomeação de um juiz com melhores credenciais.

É que do currículo do juiz turco não constam atuações em desafios de elevado grau de dificuldade, e dele alguns portugueses conservam apenas uma muito esbatida ideia.

Vale a pena recordar que a decisão agora tomada em relação à designação de Cuneyt Cakir cabe por inteiro ao presidente do Comité de Árbitros da UEFA, por acaso o espanhol Angel Villar, que há quase duas dezenas de anos se mantém no cargo, neste mandato acolitado por um vice-presidente de origem turca.

Será desejável que se trate apenas de coincidências, e que logo à noite não estejamos todos a lamentar uma má atuação da equipa de arbitragem responsável pela direção do jogo que vai apurar um dos finalistas do Euro e mandar outro de regresso
a casa.

Depois de Michel Platini ter vaticinado uma final entre a Alemanha e a Espanha (sempre a Espanha), só faltava agora esta infeliz decisão dos responsáveis pelo pelouro da arbitragem da

UEFA que, à partida, dá guarida a toda a espécie de desconfianças.

Claro que ninguém deseja a qualificação da seleção de Portugal por via de uma arbitragem deficiente.

Do mesmo modo não será aceitável que sejam os dirigentes da UEFA a emitir o seu bilhete de regresso através de interposta pessoa.”

(Ribeiro Cristovão)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial