terça-feira, novembro 1

Crise Europeia e os verdadeiros culpados - Daniel Cohn-Bendit

5 Comentários:

Às 01 novembro, 2011 23:21 , Blogger heretico disse...

abraço, meu caro.
levei para o meu FB.

oportuníssimo.

 
Às 02 novembro, 2011 01:02 , Blogger Peter disse...

heretico

Parabens à Blue, foi ela que o colocou. Parece mesmo o n/Parlamento, preocupadíssimos com a perda do subsídio de Natal, e com a Greve Geral. Um Parlamento de "velhos" abordando temas velhos e dominado pelos Sindicatos que servem os interesses dos Partidos Políticos.

Parabéns pelo dia 28 :))

 
Às 02 novembro, 2011 01:21 , Blogger Peter disse...

O ministro da Defesa grego, Panos Beglitis, demitiu esta terça-feira todas as chefias militares. A decisão surge após uma reunião surpresa do Executivo liderado por George Papandreo e levantou receios de que a situação de tensão social na Grécia esteja a fugir do controlo.

Pondo as barbas de molho...

 
Às 02 novembro, 2011 09:24 , Blogger bluegift disse...

Peter,
Infelizmente, nenhum governo está a ter a coragem de assumir o verdadeiro problema de fundo. É certo que somos uns despesistas, que nos deixamos ir atrás da vilanice dos bancos na oferta de crédito só para satisfazer a vaidade das modas e do consumo desenfreado. Mas o problema é bem mais profundo e ultrapassa fronteiras. Há que ter a coragem de desafiar as chefias europeias a tomar uma posição face ao avanço implacável da ganância do mercado financeiro selvagem em que vivemos. Também a venda silenciosa de armas pelos países "donos do mundo" constitui um verdadeiro escândalo e tem sido uma das moedas de troca aos subsídios realizados. É nojento o que se está a passar a nível das transações financeiras e políticas neste momento. Os ricos ficarão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais no limiar da pobreza, que é onde convém mantê-los para que continuem a comprar sim, mas em completa dependência da alta finança. Países mais fracos como a Grécia e Portugal estão condenados à "escravidão". Simplesmente Nojento!

 
Às 02 novembro, 2011 13:36 , Blogger alf disse...

Ahhh, os meus «espias» já me haviam dito: os submarinos vendidos a Portugal custaram o triplo dos vendidos aos gregos! os 6 gregos custaram os mesmos 1 000 milhões dos 2 portugueses!

temo que o pior esteja para vir: esta história de «perdoar» metade da dívida grega não tem qualquer consequência para os gregos, corresponde simplesmente a reduzir agora os juros para metade para os colocar no limite possível de extorsão, a ser aumentado qd conveniente; mas há uma razão muito óbvia para esta medida: trata-se de pôr em cima da mesa uma razão «moral» para declarar guerra à grécia. É como as armas de destruição maciça do Iraque.

Portanto, o que se vai seguir é guerra à Grécia. O pretexto moral, indispensável antes de qualquer guerra, já foi lançado.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial