domingo, julho 17

Um novo discurso político


“O ministro das Finanças divulgou previsões sobre a economia portuguesa mais pessimistas do que as da “troika” e as do Banco Portugal e previu um desemprego de mais de 13% em 2012. É um tipo de discurso a que não estávamos habituados: com boa ou má fé, o anterior Governo só mostrava coisas boas no futuro. Este Governo não receia dizer a verdade. Decerto que aposta na recuperação da nossa economia lá para 2013. Mas não esconde as dificuldades que até lá teremos de enfrentar. Na mesma linha, o ministro das Finanças não fugiu ontem às questões postas pelos jornalistas, mesmo as mais incómodas. Outra novidade.
Uma dessas questões tinha a ver com ainda não ser claro onde vai ser cortada a despesa pública. O ministro apontou datas para essa clarificação. E é preferível termos daqui a semanas medidas bem estudadas do que conhecermos agora medidas improvisadas e tecnicamente mal concebidas.
Entretanto, o líder da Comissão de Trabalhadores da AutoEuropa* dizia ontem que um dos segredos do sucesso da empresa está na verdade com que a Comissão é informada pelos gestores. A verdade paga.”


(Francisco Sarsfield Cabral Jornalista in “página1” de 15/07/11)

*É do BE, não é do PSD.

Estranho:
Recebi há pouco um e-mail, pseudo enviado por uma pessoa que até conheço pessoalmente. Fui imediatamente alertado pelos meus sistemas de protecção e destrui-o.Julgo ser um sistema que está em moda: o envio de e-mails pseudo enviado por um dos nossos correspondemtes habituais e que nos reporta para um endereço de e-mail (infectado).

7 Comentários:

Às 17 julho, 2011 11:47 , Blogger Fernando Vasconcelos disse...

Sim concordo que é uma boa novidade. "so far so good" e digo isto com toda a tranquilidade de quem não votou neste governo ... É discutível o corte não rateado do subsidio de Natal (deveria ser pelo menos ligeiramente progressivo) mas ok. Até agora parece ter sido equilibrado e competente.

 
Às 17 julho, 2011 16:25 , Blogger Peter disse...

Fernando Vasconcelos

Folha salarial da Fundação Cidade de Guimarães

Enviaram-me este e-mail. Se é verdade, o Governo tem outras prioridades (muitas) que poderiam, se fosse possível, evitar mexer no subsídio de Natal , dinheiro que faz mais falta à população e ao pequeno comércio, do que estas “histórias” das Capitais da Cultura. Acabem com elas, ou adiem-nas para quando o “sufoco” diminuir.

Folha salarial (da responsabilidade da Câmara Municipal) dos administradores e de outros personagens, da Fundação Cidade de Guimarães, criada para a Capital da Cultura 2012:

- Presidente do Conselho de Administração:
14.300 € (2 860 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 500 € por reunião
- Administradora Executiva
12.500 € (2 500 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
- Administrador Executivo
12.500 € mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
- Vogal Executivo
2.000 € mensais + 300 € por reunião

Todos os 15 componentes do Conselho Geral, recebem 300 € por reunião, à excepção do Presidente que recebe 500 €.

Em resumo: 1,3 milhões de Euros por ano (dinheiro injectado pelo Estado Português) em salários. Como a Fundação vai manter-se em funções até finais de 2015, as despesas com pessoal deverão ser de quase 8 milhões de Euros !!!
Reparem bem: Administradores ganhando mais do que o PR e o PM !

Acontece numa região, como a do Vale do Ave, onde o desemprego ronda os 15 % !!!

 
Às 19 julho, 2011 13:17 , Blogger alf disse...

Com a verdade me enganas...

 
Às 19 julho, 2011 15:00 , Blogger Peter disse...

alf

O outro enganava-nos com mentiras e ia-se rindo. Ficámos com uma mão à frente e outra atrás...

 
Às 21 julho, 2011 16:35 , Blogger alf disse...

huummm.. discordo Peter; o outro enganou-se nas promessas, o que é diferente de mentir; as suas previsões sobre o futuro saíram erradas, mas isso não é mentir, é errar.

Este aprendeu a lição e por isso promete-nos um futuro negro; esta é uma previsão que está na mão dele acertar, não é verdade? :-) :-)

 
Às 21 julho, 2011 18:35 , Blogger Peter disse...

alf

Je m'en fiche

 
Às 08 agosto, 2011 09:39 , Blogger bluegift disse...

Se este governo continuar a prever um futuro negro apenas estará a dar lenha às empresas de notação para que baixem ainda mais a nota do país... nem muito ao mar nem muito à terra. Este governo ainda vai ter que entender como funciona o mercado neste domínio, algo que o Sócrates percebeu rapidamente mas não conseguiu controlar. Acho bem que este governo se mostre mais optimista pois de outra forma estamos mesmo "fritos"!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial