terça-feira, maio 31

Uma opção clara

A cinco dias da votação do próximo domingo, ainda existe um número considerável de indecisos. Mas, na minha perspectiva, a questão central destas eleições é clara: queremos ou não manter Sócrates à frente do Governo?
Os que confiam em quem tanto iludiu o povo português votarão no PS. Pode parecer estranho que um primeiro-ministro que em seis anos levou Portugal à desgraça económica e ao descrédito internacional ainda tenha apoiantes. Mas há quem goste de ser iludido e quem tenha medo da mudança, sobretudo por recear que diminuam ainda mais os apoios do Estado. Só que nos próximos três anos a austeridade está já traçada no memorando da troika, que Sócrates assinou, dizendo que era um bom acordo mas que ignora deliberadamente para ganhar votos.
Pelo contrário, quem olhar para a gravíssima crise do país não terá dúvidas em votar no único partido que pode impedir Sócrates de continuar como primeiro-ministro, o PSD, independentemente dos méritos e defeitos do partido e do seu líder e apenas porque a prioridade é afastar Sócrates do poder.
(Francisco Sarsfield Cabral - Jornalista )

O P.S. é um grande Partido, a quem o País muito deve. Não me revejo em Sócrates como representante do P.S. Quando este político aparece na TV mudo imediatamente de canal, o pior é que, não sei porquê (ou talvez saiba) ele está, por vezes. simultaneamente nos 4. Eu não sou indeciso e sei muito bem em quem não vou votar.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial