sábado, novembro 29

Obviamente demito-o

Estava um cidadão jantando e vendo o noticiário da TV, quando a “pivot”, Manuela Moura Guedes, introduziu Paulo Portas. Aqui muitos que me lêem e até eu, colocarão à partida certa reserva. Mas poderemos abstrair da conotação partidária de PP e encará-lo como um cidadão com possibilidade de acesso à TV e que vai analisar um assunto de interesse nacional.



Ou não poderemos? Teremos sempre que não abstrair da conotação partidária de PP? Acho que não, e acho que não porque não só eu não me revejo em PP, como sou apenas um simples cidadão que ouve, compreende e concorda, com a argumentação do entrevistado e não aceita o modo atabalhoado e pouco explícito, como Vítor Constâncio respondeu às perguntas postas por Maria Elisa, quando esta o entrevistou na RTP1 sobre a sua actuação no caso do BPN.

Não me interessa absolutamente nada que VC seja o gestor público mais bem pago em Portugal, não sei se é ou não é, mas pelas funções que desempenha como governador do BdP, que é o banco de todos nós, meu também, exige-se que actue atempadamente, com rigor e isenção, que mande averiguar com prontidão e seja duro quando tiver que punir. Ora a documentação que PP apresentou, demonstram à saciedade que tal não aconteceu em parte, ou que não aconteceu atempadamente, que existem demoras incompreensíveis quando deveria ter existido celeridade e que revendo em “flash-back” as respostas dadas por VC às perguntas da entrevistadora ME as mesmas não satisfazem.

“Quid iuris”?
A resposta está no título.

11 Comentários:

Às 29 novembro, 2008 10:01 , Blogger vbm disse...

Muito bem! E o Paulo Portas esteve excelente. Obtempero que o Oliveira e Costa merece um desprezo pela opinião pública não menor do que o dirigido ao Victor Constâncio que, sem dúvida, se revelou um "asno sonolento".

Pode dar-se, também, um certo enviezamento, muito próprio dos agentes na banca: a reserva, o secretismo, o receio de "a emenda ser pior que o soneto".

Mas, de qualquer modo, é indesculpável o laxismo do Governador e, no mínimo de dignidade, deveria demitir-se e confessar que errou, e, concedo, explicar francamente (depois de se demitir; note-se que o Alan Greenspan quando se confessou responsável por errar já não estava em funções) as razões por que não agiu antes.

 
Às 29 novembro, 2008 11:33 , Blogger antonio - o implume disse...

Obviamente estamos a brincar... neste país funciona mias o: demito-me mas é o caraças!

Bem com a honrosa excepção daquele gestor de uma certa entidade reguladora, que mesmo demitido mantém o direito a 60% do ordenado durante dois anos, Isto sim um caso de verticalidade e desapego!

 
Às 29 novembro, 2008 11:51 , Blogger Peter disse...

vbm

Evidentemente que não sou um técnico mas, caramba, não somos estúpidos. Não terei conhecimentos específicos, mas a postura de VC é a de "laissez faire laissez passer", ou pelo menos é a impressão que dá. "Laxismo" é, na verdade o termo exacto.

 
Às 29 novembro, 2008 11:59 , Blogger Peter disse...

antonio - o implume

Ou a postura de Alan Greenspan, ou a de VC, mas aquele é americano enfim, não será esse facto que está na base da diferença, porquanto também temos cá "a honrosa excepção daquele gestor de uma certa entidade reguladora".

Valha-nos isso...

 
Às 29 novembro, 2008 12:24 , Blogger vbm disse...

"Valha-nos isso!", LOL

 
Às 29 novembro, 2008 12:31 , Blogger vbm disse...

Peter,

Uma questão técnica que talvez conheças e me faz falta: - Como abrir uma referência, no blog, aos últimos comentários publicados, mostrando-lhes as primeiras palavras, linkadas ao comentário em si para rápido acesso!?

Há um blog que visito, na extensão .com, o Modus Vivendi, que tem esse dispositivo e que é muito prático e útil!

 
Às 29 novembro, 2008 12:55 , Blogger joshua disse...

Vitor Constâncio chegou às TVs defendendo acerrimamente não os méritos e as impossibilidades da sua supervisão invisual, mas o posto, o lugar, o maravilhoso vencimento que tantas e tais falhas não justificam.

O que ele deseja é manter o tacho. O resto é negligência grosseira e imperdoável. Portas esteve bem e foi cristalino a demonstrar a inépcia conivente de VC.

 
Às 29 novembro, 2008 17:00 , Blogger Peter disse...

vbm

Não tem Vasco. O único dispositivo que existe é para LOCALIZAR TEXTOS.

 
Às 29 novembro, 2008 17:14 , Blogger Peter disse...

joshua

"O que ele deseja é manter o tacho"

É evidente que sim, qq pessoa o vê.

A atitude normal, seria:
- afastar-se;
- aguardar que a sua actuação fosse avaliada de forma isenta;
- regressar ou aguardar que lhe dêem outro "tacho".

Governar um país, não significa SER DONO do mesmo.
Governar é SERVIR, não é SERVIR-SE.

 
Às 29 novembro, 2008 22:02 , Blogger Marco Rebelo disse...

hehehe :)

 
Às 29 novembro, 2008 22:07 , Blogger joshua disse...

Subscrevo, Peter. Se subscrevo!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial