sexta-feira, julho 11



A RAPARIGA INGLEZA, tam loura, tam jovem, tam boa
Que queria casar commigo...
Que pena eu não ter casado com ella...
Teria sido feliz
Mas como é que eu sei que teria sido feliz?
Como é que eu sei qualquer coisa a respeito do que teria sido
Do que teria sido, que é o que nunca foi?

Hoje arrependo-me de não ter casado com ella,
Mas antes que até a hypothese de me poder arrepender de ter casado com ella.
E assim é tudo arrependimento,
E o arrependimento é pura abstracção.
Dá um certo desconforto
Mas também dá um certo sonho...
Sim, aquella rapariga foi uma opportunidade da minha alma.
[ ]

:)

Álvaro de Campos, Vida e Obras do Engenheiro

Etiquetas: ,

2 Comentários:

Às 13 julho, 2008 00:02 , Blogger Vieira Calado disse...

Também gosto muito da gravura.
De quem é?

 
Às 26 julho, 2008 20:18 , Blogger vbm disse...

Imagem de “Álvaro de Campos (horóscopo)”, por Lívio de Morais, 1997.
In sol.sapo.pt/blogs/josecarreiro/archive/2006/1...

Estive fora.
Voltei hoje.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial