terça-feira, julho 8

Extracto do diário espantoso que estou a ler:



«Muita vez me tem sucedido querer atravessar o rio,
estes dez minutos do Terreiro do Paço a Cacilhas.

E quase sempre tive como que a timidez
de tanta gente, de mim mesmo
e do meu propósito. [ ]

Quando se sente de mais,
o Tejo é Atlântico sem número,
e Cacilhas outro continente,
ou até outro universo.»


Bernardo Soares, Livro do Desassossego,
Assírio & Alvim, ed. Richard Zenith,
Lisboa 1998, #122.

Etiquetas: ,

5 Comentários:

Às 09 julho, 2008 19:04 , Blogger Heloisa B.P disse...

OLA' CARISSIMO AMIGO PETER********!!!
Escusado sera'vir aqui dizer-Lhe como sinto saudade_DESTE ESPACO E DO AMIGO,E DE OUTROS AMIGOS, QUE AQUI ENCTRAVA COM FREQUENCIA!

Escusado, digo, porque bem sabe que eu ando praticamente AUSENTE da INTERNET!

HOJE, ATREVI-ME A VIAJAR E PRIMEIRA ESTACAO FOI ESTA!

ENCONTRO UMA BELA FOTO E UM INCENTIVO AO *LIVRO DO DESASSOSSEGO-para espiritos desassossegados (Tal o meu!)!...

MEU AMIGO, DEIXO_LHE O TAL ABRACO DE AMIZADE!

Heloisa

 
Às 09 julho, 2008 22:22 , Blogger Papoila disse...

Passei e gostei da sintonia da foto com o poema!
Beijos

 
Às 10 julho, 2008 14:59 , Blogger Ant disse...

pois... mesmo agora em que a pnte é uma passagem... há essa ideia.
à tantas talvez seja.

Abraço

 
Às 10 julho, 2008 23:12 , Blogger heretico disse...

"quando se sente demais"... é assim!

abraço, meu caro.

 
Às 11 julho, 2008 16:00 , Blogger Olhos de mel disse...

Amei o conjunto. Ficou perfeita a sintonia entre foto e poesia.
Bom fim de semana! Beijos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial