segunda-feira, maio 12

S Francisco de Assis


Estive em Assis, como estive em Lourdes e em Fátima, mas foi em Assis, onde voltei várias vezes, que senti uma sensação de espiritualidade ( não sei se lhe chame assim ) que não experimentei em nenhum dos outros sítios.
Na altura eu não tinha, nem praticava nenhuma religião e a minha passagem por esses locais era para satisfazer a crença da minha mulher, ou porque o mesmo se integrava em circuitos turísticos.
Mas Assis acabou por me prender.

“Laudato sie, mi Signore,
Per sora nostra madre terra
La quale ne sustenta et governa
Et produce diversi fructi
Cum coloriti fiori et herba”

(Cantico delle Creature)

Em crónica jornalística, li há dias Leonor Pinhão, da qual transcrevo:

«Uniu-se à “irmã pobreza”, assistiu aos famintos e só o facto (terreno) de ter morrido em 1226 o impede de assistir, hoje, à expulsão dos pobres de Assis, por ordem de Claudio Ricci, o presidente da Câmara. Porque os pedintes da cidade de Assis dão cabo do turismo.»

Turismo, ou religião? Opta-se pelo primeiro, a segunda não conta, só serve para atrair o primeiro.

A imagem acima pode trazer-se da Basílica Inferior e tem no verso a Preghiera (oração) a S. Francisco.

17 Comentários:

Às 12 maio, 2008 09:51 , Blogger António disse...

Olá, Peter!
Ainda estou vivo!
E a tua saúde?
Ando a ver se publico um primeiro livro de contos (esperando que não seja o último).
Nesta fase procuro patrocínios...

Abraço

 
Às 12 maio, 2008 09:57 , Blogger Paula Raposo disse...

Também estive em Assis, numa viagem que fiz a Itália, já que parece que faz parte do roteiro turístico...

 
Às 12 maio, 2008 14:49 , Blogger Peter disse...

António

Desejo-te os maiores êxitos na publicação, divulgação e lançamento do teu livro. Actualmente não posso manter a minha actividade anterior e o facto levou ao encerramento temporário do outro blog ("Peter's") e reflecte-se na falta de visitas aos blogs amigos, como é o teu.

Obrigado pela visita,

Peter

 
Às 12 maio, 2008 14:52 , Blogger Peter disse...

Paula

Cada um tem os seus motivos para voltar a Assis.

 
Às 12 maio, 2008 20:41 , Blogger meg disse...

Peter,
As tuas melhoras é o que conta. Fazer visitas não é cumprir uma promessa, meu caro. OS AMIGOS sabem.

Quanto a Assis, os franciscanosa quem devo a minha formação numa Missão, são os responsáveis pela
minha hostilidade (é mesmo esta a palavra) pela ostentação e outras coisas que vim encontrar nesta igreja.
E sei que sabes ao que me refiro.
Numa população com a pobreza que temos não me conformo em ver um funcionário de Igreja deslocar-se num carro topo de gama. E por aqui me fico.
As tuas melhoras
Um abraço

 
Às 12 maio, 2008 20:48 , Blogger Papoila disse...

Peter:
Não conheço Assis, mas faz parte dos meus planos vir a conhecer.
Gosto de S.Francisco ( e não sou católica)
Beijos

 
Às 12 maio, 2008 21:26 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

Gostei, sinceramente gostei do post.

Deixo-te um abraço e uma enorme força.

 
Às 12 maio, 2008 22:09 , Blogger Peter disse...

Meg

A crença é um assunto pessoal e íntimo entre o indivíduo e a divindade, que não exige intermediários. Por vezes encontra-se tranquilidade e paz de espírito quando dialogamos connosco, numa conversa em silêncio com o nosso espírito, alma, ou consciência.
A Igreja com as suas solenidades e cânticos, mas também o seu silêncio, é um lugar de participação, ou de meditação.

 
Às 12 maio, 2008 22:12 , Blogger Peter disse...

Papoila

Não é preciso ser-se católica para gostar de S Francisco de Assis, nem que seja como um ser humano intrinsecamente bom e despojado voluntáriamente de todos os bens materiais.

 
Às 12 maio, 2008 22:14 , Blogger Peter disse...

Tiago

Foi um prazer receber o teu comentário, pois nem calculas como eu andava aborrecido comigo mesmo. Procuro ser agradável para com os outros, mas por vezes, a força dos acontecimentos que inopinadamente nos atinge, deixa marcas profundas.

Obrigado pelo incentivo.

 
Às 12 maio, 2008 22:50 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

O importante é que seguias e venças o que te atormenta, que por mim cá continuarei a ler, a visitar e a incentivar-te.

 
Às 12 maio, 2008 23:35 , Blogger quintarantino disse...

Não conheço Assis, mas reconheço-me na espiritualidade de S. Francisco mesmo sendo agnóstico!

 
Às 13 maio, 2008 01:32 , Blogger Peter disse...

Quintarantino

A última vez que estive em Assis, já a igreja superior estava recuperada, dos estragos que o terremoto lhe infligira, nomeadamente os frescos de Giotto, sobre a vida de S.Francisco, mas as obras prosseguiam na cidade e proximidades do santuário inferior (Basílica de S Francisco), onde se guarda o túmulo com o sarcófago que guarda os restos do Santo, que não fora afectada.
A cidade mantinha intacta toda a sua profunda espiritualidade, com as camionetas turísticas e todas as lojas vendedoras de religiosidades, instaladas fora dos muros. Não vi qualquer pedinte na cidade e estive lá por 3 vezes.
Agora não sei, mas possivelmente e com esse presidente da Câmara, o Turismo venceu.

A imagem de S. Francisco, que se reproduz parcialmente é uma pintura de Cimabúe.

 
Às 13 maio, 2008 09:05 , Blogger quintarantino disse...

Meu caro, infelizmente, quase sempre o vil metal vence!

 
Às 13 maio, 2008 09:20 , Blogger lusitano disse...

O turismo, o presidente da Câmara podem "vencer", mas nunca apagarão a espiritualidade, a obra de São Francisco, porque ela, pelos vistos, vai para além da sua compreensão limitada do e ao mundo, ao aqui e agora.

 
Às 13 maio, 2008 14:55 , Blogger Peter disse...

lusitano

Concordo inteiramente contigo, meu caro amigo.Hoje tenho tranquilidade e paz de espírito e não os trocava pelo EuroMilhões.

Volta sempre, pois foi um prazer receber a tua visita.

Peter

 
Às 14 maio, 2008 14:12 , Blogger Paula Raposo disse...

Claro. Cada um tem os seus motivos...eu não voltei. Beijos.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial