sexta-feira, setembro 7

Fartura...


Pronto, acabou-se a paciência
Já não há gritos que aguentem
Tanta balela, tanta indecência.

Estou farto de falsos sorrisos,
Farto de tantos juízos.
Estou farto de solidariedadezinhas,
Farto de carícias comezinhas.
Estou farto de libertinagem gratuita,
De ser assaltado na rua
De raptos e violações
De ter a casa fechada
De ter alarme no carro
De falsas atenções
Sem nada, sem nada...

Estou farto de ciganos que não pagam impostos
Farto de muçulmanos que usam burcas,
De cristãos falsos e hipócritas,
De judeus que fabricam armas
Estou farto de tudo,
Estou farto de nada.

Estou farto de andar na rua
Com o olhar desconfiado
De não poder namorar descansado
Com vista para o rio
Sem ser atacado.

E os impostos?
Falsos pretextos
Que alimentam riquezas,
Que aumentam pobrezas.

E as palavras?
Inúteis,
Fúteis
Ocas.

Fiz um desenho banal
Ali estávamos, eu e tu,
Sem moldura, normal,
Apenas sorrindo
De tanta consumição.
Onde ficou o coração?
Onde ficou o coração.

Foto (João Castela Cravo)

4 Comentários:

Às 07 setembro, 2007 18:57 , Blogger Peter disse...

Fizeste un regresso em grande ao "país do faz de conta".

 
Às 08 setembro, 2007 11:00 , Blogger Papoila disse...

Olá Peter!
Grande letra para uma canção! Soubesse eu musicá-la!
Gostei muito.
Beijos

 
Às 09 setembro, 2007 09:41 , Blogger Ant disse...

Vou pensar nisso papoila, quem sabe...
peter,peter, cada vez há menos pachorra... é os professores, é a Madie, é o governo, é o caraças...
olha vou fazer a tal canção...

 
Às 10 setembro, 2007 00:19 , Blogger belakbrilha disse...

Estou farto...
Estou farta...
Estamos fartos...

Temos dias assim, quando nos colocamos a reflectir...

Já nada se faz com o coração, primeiro vem a razão, quando ela existe.

beijos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial