quarta-feira, agosto 22

O meu primeiro “post”

(enviado em 16.02.2000 23.34, para cmonteiro, em resposta ao tema “Os livros e nós. Estaremos sós no Universo?”, no então fórum Livros, precursor do Bibliotecl@, nos Fóruns do SAPO)

«Regressado a Lisboa, venho encontrar um novo fórum sobre "livros". Felicito-o pela iniciativa.
Vou colocar um tema, muito debatido, mas que eu considero apaixonante e extremamente actual.
O tema é o facto de "estarmos, ou não, sozinhos no Universo".

A polémica foi relançada o mês passado, com a publicação nos EUA, do livro "Rare earth",da autoria dos Drs. Peter Ward e Donald Brownlee, ambos da Universidade de Whashington, sendo este último também cientista da NASA, a trabalhar no projecto Stardust, cuja missão é a captura de poeira interestelar.

Contrariamente à opinião divulgada nas últimas duas décadas, nomeadamente pelo falecido Carl Sagan, no seu livro "Contacto", que deu origem ao filme com o mesmo nome, o livro "Rare Earth" defende o ponto de vista de que: a composição e a estabilidade da Terra são extremamente raras. O normal, no que se tem observado, é a existência de níveis de radiação demasiado elevados, elementos químicos essenciais à vida pouco abundantes e ainda uma intensa chuva de meteoros que dificulta a existência de planetas “hospitaleiros”.

Os 2 cientistas discutem outras características, provavelmente raras no Universo, mas que contribuíram para tornar a Terra tão favorável ao desenvolvimento da vida. São elas:

-uma órbita que mantém o planeta à distância exacta da sua estrela, permitindo que a água se mantenha no estado líquido (o que não aconteceu em Marte);
-um satélite de tamanho “adequado e à distância exacta”, o que possibilita estabilidade climática;
-carbono em quantidade suficiente (e não em demasia, o que levaria ao sobreaquecimento que se verifica em Vénus) essencial ao desenvolvimento da vida;
-a existência de um "bom gigante", o planeta Júpiter, que com a sua enorme massa, absorve a maior parte dos meteoros.

Trata-se de um ponto de vista interessante, passível de discussão e a minha intenção em trazê-lo para a "ribalta" é unicamente a de facultar elementos aos eventuais interessados no assunto e que, por circunstâncias fortuitas, talvez não tenham tido acesso a eles.
Acresce que o livro põe em causa o projecto SETI já que considera a busca de sinais electromagnéticos, provindo de inteligências alienígenas, destinada ao fracasso.

Mr Magoo”»

Foi o meu primeiro contacto com a NET e por ali me mantive nos Fóruns do SAPO até meados de 2003 (julgo). Tinham começado a aparecer os primeiros “blogs” e havia acesas discussões entre os partidários destes e os dos Fóruns. Como em tudo, uma série de acontecimentos desagradáveis, levaram-me a abandonar estes e a criar o meu primeiro blogue: o “Poeira de estrelas”, a que se seguiram as “conversas de xaxa”, já em 4ª edição.

Peter

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial