sábado, novembro 18

A ignorância

Até que ponto um certo amor pelo espaço não revelará, afinal, uma incompreensão muito grande desse mesmo espaço? Porque a Terra não está fora do Universo, nem o Sol, nem a Via Láctea. Assim, se eu pensar em mim enquanto ser humano, poderei sentir-me preso à Terra embora deseje ansiosamente sair, voar, conhecer outros espaços; mas se pensar em mim enquanto matéria pensante, e isso é sobretudo aquilo que sou, compreendo que não preciso fazer viagem nenhuma, que a viagem mais longínqua é a que faz a estrela que a Terra persegue incessantemente.
Eu vivo numa imensa nave redonda e já viajo no espaço e no tempo; na verdade, se penso um pouco, compreendo que nunca fiz outra coisa senão desejar conhecer outros mundos.
Mas Universo com vida é aqui. Pode haver mais, haverá certamente mais – “...seria um enorme desperdício de espaço se não houvesse...” -, mas a Terra deve dar-me, enquanto não me for possível viajar no Cosmo, tudo aquilo que me é necessário, todas as fontes de deslumbramento e de encanto possíveis – se a Terra não me der tudo isso, estou certo que nenhum outro mundo me dará. A Terra é o dia único que contém todos os dias, a noite única que contém todas as estrelas, o pequeno mundo onde encontro todos os grandes mundos, o meu hoje que contém todos os ontens e todos os amanhãs, o instante onde encontro o infinito e a eternidade.

”o terror de se ser corpo, de se existir sob a forma de um corpo” (Milan Kundera, “A ignorância”)

Este sentimento leva-me a uma série de reflexões:

- O que me liga a Andrómeda para eu gostar tanto dela? Que sentir profundo é este que me relaciona com essa Nebulosa? O que nos une? Serão os elementos dos átomos que compõem o meu corpo, prioritariamente dali?

- E este corpo que se perpetua através dos meus átomos, integrando outros organismos, num “eterno retorno”? Será possível dissociá-lo do “espírito”, do meu “sentir”, que é “luz” e “vibração”? E seria esta componente espiritual, imortal, que se perpetuaria através de todos os Universos possíveis? A nova “teoria das cordas” que pretende substituir os elementos pontuais e ínfimos da matéria por pequenos segmentos que vibram e é esse vibrar que os caracteriza e lhes confere as suas propriedades, que nos diz? “Vibração”? Sim, pois todo o electrão é simultaneamente “corpúsculo” e “onda”, “onda=vibração”?

- E quando me lembro do “filme-mito”, “2001-Odisseia no espaço”, o que vou encontrar senão “luz” e “música” (vibração)? Será que haverá seres que são só luz?

No livro acima os personagens têm vida própria e é assim que actuam. Movimentam-se livremente como indivíduos e as relações que se estabelecem são procuradas, no interesse de quem as procura, mas sem que com isso se entenda uma relação de dependência, antes de complementaridade.

Que me leva a “postar” novamente, se já o fiz hoje?
Não estou sujeito a horário, nem a nenhuma obrigação de o fazer ou deixar de fazer. Estava para aqui a olhar o ecrã em branco...

7 Comentários:

Às 18 novembro, 2006 19:17 , Blogger Papoila disse...

Olá Peter! Felicito-te por esta segunda "postagem" e pala reflexão... O corpo a nossa cápsula da energia pensante que afinal somos..."Vibração / Onda " uma definição que me agrada... Luz!
"A Terra é... o meu hoje que contém todos os ontens e todos os amanhãs, o instante onde encontro o infinito e a eternidade."
Beijo

 
Às 18 novembro, 2006 20:07 , Blogger Peter disse...

"papoila", estava inspirado, ou saía hoje, ou não saía nunca.
Bj

 
Às 18 novembro, 2006 20:22 , Blogger Nilson Barcelli disse...

Excelente dissertação, com pontos de vista muito interessantes.
E o tema não é nada fácil.
Bom fim-de-semana.
Abraço.

 
Às 18 novembro, 2006 20:29 , Blogger Peter disse...

Obrigado Nilson. Às vezes calha a sair bem. Mas na poesia és mestre e gosto imenso de te ler.

Bom fds também para ti.

 
Às 19 novembro, 2006 16:51 , Blogger Betty Branco Martins disse...

OLá Peter

Mais uma "Matéria" que eu gosto muito:)

À cientistas que segundo eles, o formalmente chamado de formulação do estado relativo, ficou conhecido como a interpretação dos mundos múltiplos da mecânica quântica, porque cada componente da superposição que constitui um observador reconhece ou percebe o seu próprio mundo. Ao remover o postulado do colapso quântico, esse ponto de vista simplifica a teoria subjacente.

O trabalho de Everett foi ignorado por quase duas décadas. Muitos físicos confiavam que haveria de surgir uma teoria fundamental que mostrasse que o mundo era, afinal de contas, clássico em certo sentido, sem esquisitices do tipo "um corpo poder ocupar dois lugares ao mesmo tempo. “Isto sim é viajar”:)

Agora 2001 é assim um filme de ruptura com o passado e de um futurismo exacerbado. Uma obra que deveria ser estudada à exaustão em qualquer escola de cinema

Ao misterioso monólito negro que aparece ao longo de todo o filme, nos locais mais imprevistos, são atribuídas inúmeras explicações mas há 4 que se destacam: o Conhecimento, a Verdade, Deus ou a marca de outras Civilizações. A teoria do monólito = Conhecimento tem como fundamento a parte inicial do filme quando se descobre que o osso pode ser instrumento ou uma arma. Aqueles que defendem a tese monólito = Deus, e são bastantes, apoiam-se na omnipresença do monólito : no deserto pré-histórico, na face oculta da Lua, em Júpiter e por fim no quarto do moribundo. Também a descoberta da utilização do osso contribui para o homem "amanhecer", nascer como ser racional e capaz de dominar o seu semelhante ( a luta junto à poça de água é demasiado explícita ).

Isto já vai longo.

Muita coisa mais se poderia dizer sobre tudo isto
Mas por muito que eu possa ler sobre este "misterioso" e apaixonante assunto.
Às vezes chego à conclusão que não passamos de minúsculos grãos de areia - levados pelos ventos neste imenso universo – em viagens eternas.

Beijinhos
BomD(:)mingo

 
Às 19 novembro, 2006 23:10 , Blogger Peter disse...

Betty, o seu comentário é brilhante. À mulher-poeta, escritora, pintora ... junta-se a cientista e a crítica de cinema.

Apreciei a sua referência à Mecânica Quântica:

"O trabalho de Everett foi ignorado por quase duas décadas."

Como aprecei a crítica inteligente e exaustiva do "2001 Odisseia no espaço".

Uma boa semana para si.

 
Às 20 novembro, 2006 22:09 , Blogger Heloisa B.P disse...

*CARISSIMO PETER*,
perdoe, so' agora ter onseguido aqui chegar!Mas, aqui estou lendo e com muito prazer!_Li este POST (FASCINANTE) e os anteriores!
Antes do mais, devo dizer que estou aqui como Leitora sempre interessada mas, absolutamente IGNORANTE, nestas (e... noutras!) materias!

DESTACO:

"Mas Universo com vida é aqui. Pode haver mais, haverá certamente mais – “...seria um enorme desperdício de espaço se não houvesse...” -,"

CONCORDO EM ABSOLUTO COM O PONTO DE VISTA DESTE AUTOR!


"mas a Terra deve dar-me, enquanto não me for possível viajar no Cosmo, tudo aquilo que me é necessário, todas as fontes de deslumbramento e de encanto possíveis – se a Terra não me der tudo isso, estou certo que nenhum outro mundo me dará."
.........................

Partilho desta afirmacao mas, sempre me fica na mente algumas (MUITAS) interrogacoes!


"A Terra é o dia único que contém todos os dias, a noite única que contém todas as estrelas, o pequeno mundo onde encontro todos os grandes mundos, o meu hoje que contém todos os ontens e todos os amanhãs, o instante onde encontro o infinito e a eternidade."
***********************"E O DIA UNICO QUE CONTEM TODOS OS DIAS..."

IMagem deslumbrante e pensamento profundo e poeticamente LINDO!
.........
..............

"”o terror de se ser corpo, de se existir sob a forma de um corpo” (Milan Kundera, “A ignorância”)"

***********************
ESTE "TERROR" E... NOSSA_MINHA_ IGNORANCIA!!!!!!
....................

"Este sentimento leva-me a uma série de reflexões:"
**********************

A MINHA IGNORANCIA em FISICA e ciencias afins, e' realmente "IGNORANTE"! Ou seja: em nenhuma destas materias, me posso pronunciar com conhecimento de causa e com ARGUMENTOS que acresentem ALGO ou tragam LUZ as obscuridades, ainda, do nosso conhecimento coletivo!
ESTAS ITERROGACOES, divagacoes e algumas conclusoe por vezes "especulativas' de alguns dos estudiosos investigadores e amantes destes pressupostos!
Limito-me a ler! e, a REFLECTIR! E... a ter ou no prazer na leitura dependendo do modo de abordagem e desenvolvimento do tema!
Depois de reflectir: tanto nesta excelente e algo pertinente, POSTAGEM, como em outras Fontes... chego sempre a brilhante conclusao que "quanto mais leio e aprndo ou penso que... tanto mais sei que ("NADA SEI!") mais preciso de ler, reflectir e... tantas vezes "DESAPRENDER"!... "Desaprender" porque, a verdade verdadeira, de ontem, ja' e' o argumento falso de hoje! No entretanto, outras VERDADES se descobriram outras teorias se criaram e...resmas de papis se consumiram com rios de tinta a mistura e investigacoes, infindaveis, etc... para concluir que...andei um metro para a frete e cinco para tras_UM ANO LUZ NA DIRECCAO DA LUZ E CINCO ANOS DE LUZ RETROCEDENDO A PROCURA DE OUTRA FONTE EMISSORA DESSA MESMA LUZ!...
E... resta-me interrogar-me incontaveis vezes assima semelhanca do que destaco em seguida:


""- O que me liga a Andrómeda para eu gostar tanto dela? Que sentir profundo é este que me relaciona com essa Nebulosa? O que nos une? Serão os elementos dos átomos que compõem o meu corpo, prioritariamente dali?"
*******************************
QUE SERA'???
E, que me ligara' a mim a LUA (a Selene) para me sentir tao atraida por ELA e, ate' brincar com "Ela" na palma da minha mao e sempre, sempre, me deslumbrar com SUAS FASES e sua melancolica luminosidade???
QUE ME LIGARA'???
_Responda quem souber!_Investigadores, Teoristas, Filosofos, teologists e demais "ISTAS" porque, eu, na minha santa ignorancia, so' sei que "MEU UNIVERSO E' A TERRA" Mas...seria um GRANDE DESPERDICIO DE *ESPACO* E...DE "CRIACAO CRIATIVA" SE NADA MAIS HOUVESSE NESTE INFINITO ESPLENDOROSO E "INDESBRAVAVEL" UNIVERSO!!!!!!
E... mais nao sei dizer, porque da materia (desta e de outras) ME FALTA O CONHECIMENTO E O SABER!!!!!
...........................

"- E este corpo que se perpetua através dos meus átomos, integrando outros organismos, num “eterno retorno”? Será possível dissociá-lo do “espírito”, do meu “sentir”, que é “luz” "
*********************SERA' POSSIVEL???
O UIVERSO E' PROMESSA DE INFINITOS IMPOSSIVEIS/POSSIVEIS!... UM DIA, UM BELO DIA... a persistencia e sapiencia de ALGUNS HOMENS, respondera' a algumas destas e outras interrogacoes, ajudados pela mao e visao dos "DEUSES" e, sempre, ate' onde "ELES" Lhes derem permissao!_HOMENS E DEUSES EM PERPETUO CONLUIO EM PERPETUO AMUO EM PERPETUA "GUERRA FRIA, OU QUENTE",NUMA LUTA DEMENTE PELA OBTENCAO DA *PEDRA FILOSOFAL*!!!!
.................
....................Eu, assisto na plateia, anonima e interrogativa! Com FE' NO HOMEM e com receio da SUA OBSTINADA LOUCURA PELA POSSE DA SABEDORIA (com ARVORE OU COM PEDRA)!!!
.......................



"Que me leva a “postar” novamente, se já o fiz hoje?
Não estou sujeito a horário, nem a nenhuma obrigação de o fazer ou deixar de fazer. Estava para aqui a olhar o ecrã em branco"
**************************ESSA RESPOSTA, Talvez so' mesmo o seu *EU* a tenha la' bem no amago de SI*! mas, posso eu aventar algums hipotese: O que o leva a *POSTAR OUTRA VEZ* pode ser SEU DESEJO DE INFINITO!
Ou... maais prosaicamente, SEU DESEJO DE COMUNICAR E PARTILHAR *IDEIAS* E...FOMEAR DESAFIOS!

..........................PERDAO, porque me "alonguei DE ALONGAR"... e, falei falei... sem mais nada de positivo ao ARGUMENTO (OS) ACRESCENTAR!

_PARABENS PELA POSTAGEM: ESTA, E AS OUTRAS! E... se me permite, deixo aqui, um abraco de parabens a *BETTY*, pois gostei muito, do "comentario" DELA E SEUS ESCLARECIDOS ARUMENTOS! E BELA PROSA!_ A *POESIA*, JA" LHA CONHECO: FAZ "JUS" A PROSA E... AO TRACO COLORIDO DAS *TELAS*!!!...

ABRACO *PETER*, E... A SEUS CONVIVAS!

_PERDAO PELO "ACAMBARCAMENTO" DO ESPACO!_VENHO DEVAGAR, mas... ao chegar faco muito " brulho" e ocupo muito espaco!

_SORRINDO, saio!_Prometo VOLTAR!
Heloisa
*********

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial