domingo, outubro 22

Tempo...

Há tempo para olhar,
Tempo para esquecer,
Tempo para amar,
Tempo para malquerer,
Tempo para parar,
Tempo para correr.

Há tempo para repensar,
Para desistir, para recomeçar.
Há tempo para meditar
E tempo para desarvorar.

E o tempo na sua incomensurável sabedoria
É verdadeira água de purificação.
Pé ante pé,
Dia após dia
Risco a romper o chão.


(Foto: Ana Sousa)

7 Comentários:

Às 23 outubro, 2006 10:45 , Blogger Sandra Cardoso disse...

Pois, eu também concordo que o tempo é "... verdadeira água de purificação."

Parabéns pelo teu blogue.
Vou espreitando.

 
Às 23 outubro, 2006 14:03 , Blogger Peter disse...

Estou numa de:

"Tempo para esquecer,"

Abraço

 
Às 23 outubro, 2006 16:57 , Anonymous elsita disse...

Hello!!!!!!!!
Eu nunca esqueço os amigos...às vezes o mal é o tempo...o tempo da tua poesia!Mas...é tudo uma questão de organização, não é verdade????Mas, que haja tempo sempre para duas coisas essenciais: amar e estar com família e amigos...o resto vem por acrescento. Beijinhossssssssssss de saudade

 
Às 23 outubro, 2006 18:04 , Blogger herético disse...

Não foi Margaritte Yourcenar quem definiu o "tempo como o grande escultor"?

(vá lá saber-se porque estranha associação eu me fui lembrar desta citação...)

gostei muito do poema. excelente.

abraços

 
Às 23 outubro, 2006 18:29 , Anonymous Wings disse...

Há sempre tempo, o que nem sempre há, é coragem para mudar tempo.
Belo poema

Um abraço

 
Às 24 outubro, 2006 11:25 , Blogger MARTA disse...

À partida, o tempo é nosso - mas, tal como a Wings, temos medo.
Medo corta-nos realmente as asas e faz-nos amargos.
E para quê ficar amargo?
Boa pergunta, Ant. Obrigada
Beijos e abraços
Marta

 
Às 24 outubro, 2006 21:55 , Blogger Heloisa B.P disse...

FOTO E POEMA, LINDISSIMOS!!!!!
Abraco.
heloisa
...........

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial