quinta-feira, agosto 10

Ser português

Ser português é:

* Levar o arroz de frango para a praia.

* Guardar aquelas cuecas velhas para polir o carro.

* Criticar o governo mas jamais queixar-se oficialmente.

* Ladies' night à quinta.

* Ter tido a última grande vitória militar em 1385.

* Enfeitar as estantes da sala com as prendas do casamento.

* Guiar como um maníaco e ninguém se importar com isso.

* Viajar para qualquer país e encontrar outro Tuga no restaurante.

* Ter folclore estudantil anual por causa das propinas.

* Ninguém saber nada do nosso país excepto os Brasileiros e os Espanhóis que gozam dele.

* Levar a vida mais relaxada da Europa, mesmo sendo os últimos de todas as listas.

* Ter sempre marisco, tabaco e álcool a preços de saldo.

* Receber visitas e ir logo mostrar a casa toda.

* Dar os máximos para avisar os outros condutores da polícia adiante.

* Ter o resto do mundo a pensar que Portugal é uma província espanhola.

* Exigir que lhe chamem "Doutor" mesmo sendo um Zé Ninguém, que o tratem por Sr. Engenheiro mas não tratar ninguém com outras profissões como Sr.
Pintor, Sr. Economista, Sr. Contabilista, Sra. Secretária, Sr. Canalizador, Sra. Cabeleireira...

* Passar o domingo no shopping.

* Tirar a cera dos ouvidos com a chave do carro ou a tampa da esferográfica.

* 'Axaxinar o Portuguex ao eskrever'.

* Ir à aldeia todos os fins-de-semana visitar os pais ou avós.

* Gravar os "donos da bola".

* Ter diariamente pelo menos 8 telenovelas na TV.

* Idolatrar pessoas "inúteis" e sem interesse só porque aparecem na TV em reality shows.

* Já ter "ido à bruxa".

* Filhos baptizados e de catecismo na mão mas nunca pôr os pés na igreja.

* Ir de carro para todo o lado, aconteça o que acontecer.

* Ter evacuado as Amoreiras no 11 de Setembro 2001.

* Lavar o carro na fonte ao domingo.

* Não ser racista mas abrir uma excepção com os ciganos.

* Levar com as piadas dos brasileiros, mas só saber fazer piadas dos alentejanos.

* Ainda ter uma mãe ou avó que se veste de luto.

* Ter a mãe ou a avó com Maria no nome.

* Ir a Fátima com a família pelo menos uma vez por ano.

* Ser mal atendido num serviço, aborrecer-se mas não reclamar por escrito "porque não se quer aborrecer".

* Viver em casa dos pais até aos 30.

* Acender o cigarro a qualquer hora e em qualquer lugar sem quaisquer preocupações.

* Ter bigode e ser baixinho(a).

* Conduzir sempre pela faixa da esquerda da auto-estrada.

* Ter três telemóveis.

* Jurar não comprar azeite Espanhol nem morto, apesar da maioria do azeite vendido em Portugal ser Espanhol.

* Deixar a telenovela a gravar.

* Organizar jogos de futebol solteiros e casados.

* Ir à bola, comprar "pró geral" e saltar "pró central".

* Gastar uma fortuna com o telemóvel mas pensar duas vezes antes de ir ao dentista.

* Super-bock, tremoços, caracóis e marisco.

* Cometer 3 infracções ao código da estrada em 5 segundos.

* Algarve em Agosto.

* Ir passear de carro ao domingo para a avenida principal.

* Ser adolescente e dizer "prontos" no fim de cada frase.

Ser adulto e dizer "é assim:" no princípio de cada frase.

(recebido por e-mail)

Possivelmente já conhecem, circula pela Net, nesse caso passem adiante.
Eu não conhecia e achei engraçado porque me revejo em muitos pontos ...

6 Comentários:

Às 10 agosto, 2006 11:41 , Blogger Manoel Carlos disse...

Recebi esta mensagem de um amigo de Cascais e enviei para alguns amigos e eis algumas reações
portuguesas

PORTUGUESA 01

Amigo Manoel,

Aqui está uma boa caracterização do Português, o tal "Sr. Silva" como se diz no Norte :))
Não me identifico de todo com esta caracterização embora reconheça que é fiel à generalidade do
Português, talvez, porque faço parte da minoria que pertence à pequena região do Alto Minho e, as gentes desta pequena região juntamente com a Galiza com que faz fronteira são denominadas pelos Celt'Ibéricos devido à
grande influência Celta que sofreu em anos remotos. Toda a nossa cultura e tradições estão intimamente ligadas aos celtas. Talvez por isso, sejamos colocados um pouco à parte pelos portugueses do resto do país. Todos falam de nós com um certo gozo muito embora apenas sintam o que nós chamamos de "dor de cotovelo". Há um artigo mt bom do Miguel Esteves Cardoso (que já coloquei no blog) sobre Portugal que realça exactamente o orgulho das gentes do Norte.
Acho que nós, os nortenhos, somos mesmo diferentes, corre-nos o sangue celta nas veias, afirmamos com orgulho ser Português porque o ser Português para nós significa acima de tudo ser - Celt'Ibéricos.

Abraço

Maria

PORTUGUESA 02

Meu amigo
K visão mais negativa e ilusória tem do k é ser português, a pessoa
(probabilidades: 99% de ser portuguesa) k tal escreveu.
Porque esqueceu uma coisa k, infelizmente, é verdadeira:
* Português adora dizer mal dos portugueses.
A auto-flagelação é maioritária, mas quem fala é sempre a excepção. Esta garanto k é verdadeira.
As outras, são folclore (nem todas) e...talvez uma má digestão ou...sei lá o quê....
De qq das formas obrigada por ter partilhado comigo este olhar.
Bjocas e um bom dia

PORTUGUESA 03

à excepção de uma insipiente minoria destas constatações, aí está um retrato bem acutilante!!!
e o notável é que parece humor e não o é de todo!

vou assinalar com:
- E (encarnado/errado) aquelas com as quais não concordo porque já estão desactualizadas (mas ainda sou do tempo dos talheres, toalha, loiça, panela com arroz de tomate, pastéis de bacalhau, salada e garrafão de vinho na praia, as crianças à sombra quatro horas - os mais evoluídos - para dormirem
a sesta e de cinco em cinco minutos a perguntarem as horas e se já tinham feito a digestão, tentando ir ao banho, mas muitos, muitos mesmo, a morrerem de indigestão e congestão porque 'tiveram azar', o banho caiu-lhes mal... e nós ao lado com uma única sandes, cenouras e água, sempre no banho, mas a morrer de vontade de lhes apanhar alguma comida... agora é diferente, mas com alguns copiosos exageros
de refrigerantes, gelados, bolos, etc., e ainda se morre de congestão, sobretudo se almoçaram no restaurante da praia)
- M as que me parecem em franca mudança e com pouca expressão
- V as fantasticamente exactas, actuais e verdadeiras por me considerar uma cidadã atípica, não
vou entrar em linha de conta com as várias gerações de nomes sem maria, de ateus radicais, de detentores de habilitações académicas acima do comum,
fome na praia, etc., e objectivamente guiar-me pelo que penso e pelo que observo

PORTUGUESA 04


Caro Manoel, por estes lados vai tudo correndo bem, desejo que consigo também.
Sem dúvida que é uma caracterização muito aproximada do Português.
Enquanto lia o seu mail foram-me saltando à memória cenas idênticas que presenciadas por mim ainda estas últimas férias. Não sei se rio ou se choro, contudo o ser Português acima de tudo, pelo menos para mim, é o acreditar nas minhas raízes e amar o pedaço de terra e as gentes que me viu nascer e crescer. Como já disse, o norte sempre foi posto à parte do
resto do país e penso que nunca se sentirá afectado pelas
caracterizações que possam ser feitas sobre o país na sua generalidade.

Abraço
Maria

 
Às 10 agosto, 2006 13:51 , Blogger MalucaResponsavel disse...

Olá,
ja cnhcia... se bem q é caricaturial, está engraçado. bj

 
Às 10 agosto, 2006 14:07 , Blogger MARTA disse...

Não, não conhecia.
Obrigada pela partilha.
Passei por aqui, só para dizer que esta semana uma data importante se assinala no meu blog.
Passa lá e diz da tua justiça (post Desafio).
É tudo legal e não tem nada a ver com a ida ao shopping ao domingo.
Beijos e abraços
Marta

 
Às 10 agosto, 2006 18:40 , Blogger Peter disse...

Meu Caro Manoel Carlos

Evidentemente que o texto é uma paródia, que talvez se aplique mais ao Povo retratado na foto, que aos leitores de blogs.

Eu não tenho pejo em admitir pessoalmente alguns dos pontos focados.

Destaco o seguinte texto:

"Como já disse, o norte sempre foi posto à parte do resto do país e penso que nunca se sentirá afectado pelas caracterizações que possam ser feitas sobre o país na sua generalidade.

Abraço
Maria"

E pergunto:
- "o Norte sempre foi posto à parte do resto do país", ou foi ele que se auto-excluiu, numa rivalidade nem sempre saudável com Lisboa?

Claro que o Norte, com a sua cultura, a fidalguia das suas gentes, a sua educação, e o seu espírito trabalhador e empreendedor, "nunca se sentirá afectado pelas caracterizações que possam ser feitas sobre o país na sua generalidade", é o que se afirma.

Não o afecta, mas também as partilha, a não ser que se separe do país. o que contraria o inegável portuguesismo ou patriotismo (termo agora em desuso) das gentes nortenhas.

 
Às 11 agosto, 2006 02:16 , Blogger VEM SONHAR COMIGO disse...

Por acaso não me revejo,exceptuando no marisco que adoro.Será que sou portuguesa,ou andei estes anos equivocada??????

 
Às 11 agosto, 2006 21:28 , Blogger augustoM disse...

Li e reli, mas não consegui identificar-me com nenhum dos defeitos dos portugueses, até nem gosto de marisco. Verdade.
É uma espécie de “cartilha do bom malandro” onde se procura na diversidade encontrar qualquer afinidade. Apesar da exaustão ainda consigo encontrar mais algumas “virtudes”, omitidas por convicção como: se queres ser cientista de renome vai para o estrangeiro, se queres ser um bom atleta, um campeão, fora do futebol, esquece o reconhecimento nacional. Se estudaste e te licenciaste, por exemplo em história, e quiseres ser professor, esquece o que aprendeste, e tira nova licenciatura em Ciências Políticas, para enfrentares o poder político. Quanto mais se julga um bom “treinador de bancada” em política, mais facilmente é enganado pelos candidatos. Quanto maior for a “esperteza saloia”, maior é a estupidez.
Nem em 1385 se safou, não fossem os Ingleses com o seu quadrado e as tropas do Lencastre, não poderiam, talvez hoje, contarem a história da padeira.
Talvez fosse interessante fazer a lista das coisas de que os portugueses se pudessem orgulhar, mas teríamos de comprar uma lupa primeiro.
Um abraço. Augusto

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial