sexta-feira, julho 21

Perde-se com a idade

"Perde-se com a idade um não sei quê
que era talvez sombra e sabor e até tristeza
e assim temos outra paz de inclinação
em clareiras limpas tocadas de algum eco
melancólico e lúcido. E quase sem ilusão
entregamo-nos ao âmbito de uma paz
que é a medida do mundo quando nada
se nos oferece senão o habitar
aquelas horas de um universo que
é no silêncio glória obscura e transparente.
Assim nos inebriamos também da madurez
procurando a inocente incandescência
do tempo quando ilumina as clareiras
e é como se nada ainda fosse passado
na onda lenta que ascende sobre o peito
e que desperta um vago núcleo que inicia."

( António Ramos Rosa )

Muitas vezes a escolha de um texto é reveladora do nosso estado de espírito.
Para os romanos, os dias eram "fastos" e "nefastos". Talvez o dia que passou tenha sido um destes últimos.

Melhores dias virão, o futuro está sempre a fluir pois o "presente" não existe.

P.S. - Por desconhecimento, não indico o livro onde o poema foi publicado. Assumo sempre as minhas limitações.

9 Comentários:

Às 21 julho, 2006 00:50 , Blogger Ant disse...

Esquece lá as limitações e continua a transcrever quando nao estiveres com veia.
Abraço

 
Às 21 julho, 2006 01:01 , Blogger Ni disse...

Este poema, de António Victor Ramos Rosa, faz parte d'«O Livro da Ignorância», de 1988.

...


Que poema belíssimo!

Às vezes a palavra 'perder' também se escreve 'ganhar'.

Sorriso.

Abraço de vento

Ni*

 
Às 21 julho, 2006 01:41 , Blogger Peter disse...

"ni"
Sim, tens razão.
Obrigado pelo esclarecimento*

 
Às 21 julho, 2006 14:06 , Blogger MARTA disse...

Gostei muito do poema, Peter.
É lindo e há, realmente dias assim - passam!
Obrigada pela partilha.
Beijos e abraços
Marta

 
Às 21 julho, 2006 19:46 , Blogger Papoila disse...

Assim nos inebriamos também da madurez
procurando a inocente incandescência
do tempo quando ilumina as clareiras...
O poema de António Ramos Rosa é lindíssimo.
Gosto dessa de Roma que usas... dias "fastos" e "nefastos"...
Esperemos pois os melhores, os "fastos"...
Beijo

 
Às 21 julho, 2006 21:14 , Blogger Peter disse...

"papoila", no blog que é só meu: o "Peter's" e que não é na realidade um blog, mas uma colectânea de poemas lidos e de imagens associadas que eu, de vez em quando ali deixo e daí a razão porque não respondo aos comentários, escrevi lá:

About
"Amar esta sombra que desliza e que é talvez já a presença que nos foge." (António Ramos Rosa)

 
Às 07 agosto, 2006 11:50 , Blogger VEM SONHAR COMIGO disse...

Nada se perde,tudo se transforma...
Com a idade tudo se vai transformando,para melhor,é uma questão de visão...

O presente tem que existir forçosamente.Se sem passado não há presente,sem presente,não há futuro!
O futuro´só flui porque é impulsionado pelo presnte.

Doceando

 
Às 07 agosto, 2006 21:40 , Blogger Peter disse...

"vem sonhar comigo", na verdade não existe "presente", tudo é "passado".

 
Às 08 agosto, 2006 04:21 , Blogger VEM SONHAR COMIGO disse...

peter:mas existe o futuro e ele está ali,já ao virar da esquina,esperando talvez...por um sonho!...

Agradeço a tua visita.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial