terça-feira, junho 29

Crise. Novos apertos esta semana

O aumento do IVA em 1% tem como consequência a subida generalizada de todos os produtos, mesmo aqueles considerados básicos. Os bens alimentares vão ficar mais caros e os preços do gás natural e dos transportes também sofrem uma subida. Esta conjugação de factores – aumento do IVA e novas taxas de retenção na fonte em sede de IRS – vai originar nova descida no poder de compra dos portugueses.

O economista João César das Neves, professor da Universidade Católica, considera que este quadro vai sobretudo afectar os mais pobres, sem que resolva o problema de fundo. “Portugal viveu acima das suas posses, nos últimos 15 anos e agora tem que se ajustar à realidade, porque a realidade bateu-nos à porta”. Para o mesmo economista, o problema, contudo, “não se resolve com impostos”, porque “é isso que andamos a fazer há anos e sem resultados”. A solução passa por “esbanjar menos”, defende. “Era importante que a política protegesse os mais pobres, mas não é isso que se está a fazer”, disse ainda o economista, para quem o Primeiro-ministro não tem assinalado com transparência a situação em que o país vive. * A perspectiva do Presidente da República sobre o momento do país é “mais realista e bastante mais séria”, adianta ainda César das Neves.

(In “Página 1” de 28/6/2010)

(*)“Está a puxar pelo país” para lhe dar ânimo, diz ele.

7 Comentários:

Às 29 junho, 2010 09:17 , Blogger Peter disse...

Fernando Vasconcelos

Peço-lhe imensa desculpa, mas inadvertidamente apaguei o seu comentário, que agradeço e apreciei, bem como a minha resposta, que vou tentar reescrever.

Tenho o defeito de sintetizar os textos e depois origino confusões. O que eu pretendia dizer era o seguinte:

Na hipótese improvável do Fernando Neves ganhar as eleições, pois não tem uma máquina partidária a apoiá-lo (apelo aos indecisos) não lhe faltariam "profissionais da política" (aqueles que saem das Facs e se encaixam directamente nos Partidos) para lhe darem a experiência política que ele não tem.

Mais uma vez renovo as minhas desculpas por ter apagado desastradamente o seu comentário.

Peter

 
Às 29 junho, 2010 11:07 , Blogger Peter disse...

Consegui reconstituir o comentário de Fernando Vasconcelos, que transcrevo:

Pessoalmente apoio a candidatura de Fernando Nobre e não percebi muito bem o ultimo parágrafo. "Não lhe vão faltar profissionais da política". Não vão faltar a quem e para quê? S entendi bem o sentido do ultimo parágrafo, um homem passa uma vida a promover acções que salvam centenas ou milhares de vidas por esse mundo fora, um dia acha que pode contribuir para mudar o nosso país e ainda antes de sequer começar a tentar já o nosso cinismo o reduz ao mesmo? Sabe como lhe digo posso não ter entendido bem o ultimo parágrafo mas se o sentido é "será igual aos restantes e servirá os restantes" é mesmo não conhecer Fernando Nobre mas pior do que isso é tornar este nosso sistema incapaz de se regenerar. Imagine Peter que um destes dias resolve candidatar-se para efectivamente mudar alguma coisa. Não lhe parece que mereceria pelo menos o beneficio da dúvida? É que este cinismo destrói qualquer hipótese de credibilidade, acho que isto provém da forma obviamente desajustada como os políticos se tratam entre si. Desculpe o comentário longo e discordante (acho - sem certeza porém).

 
Às 29 junho, 2010 11:12 , Blogger Peter disse...

Como vê, não estamos discordantes no que respeita à simpatia por Fernando Nobre. Cabe agora aos indecisos e apartidários honestos, apoiá-lo.

 
Às 29 junho, 2010 12:52 , Blogger vbm disse...

Embora seja apartidário e honesto, não o apoiarei porque não o prefiro nem a Alegre, nem, provavelmente, ao candidato que os comunistas vierem a apoiar. Mas continua a ser cedo para se saber quem se candidata e não é impossível que Cavaco não avance. Quanto ao mal entendido de ser fácil a Nobre rodear-se de, compreendi-o de modo positivo, pois seguramente ele escolheria (se ganhasse!) uma equipe de conselheiros com valor.

 
Às 01 julho, 2010 17:35 , Blogger Lylia disse...

"Consequência do aumento do IVA: mais moedas de 1 e 2 cêntimos no bolso."

Um abraço,
lucia

 
Às 01 julho, 2010 23:15 , Blogger heretico disse...

a puxar pelo País, pois claro!
ate ao abismo!

abraços

 
Às 07 julho, 2010 11:58 , Blogger Amita disse...

E em apenas alguns dias tantas coisas se passaram e, pelo que ouço e leio, não fica por aqui.
Só não sei o que eles mais vão inventar, mas honra lhes seja feita pois imaginação não falta.
Como dizia o poeta "pobre destino, destino das gentes do meu País".
Com muito carinho um bjinho para ti e para a Blue

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial