domingo, agosto 2


Diana Krall Trio - Boulevard of Broken Dreams (live)

I walk along the street of sorrow
The boulevard of broken dreams
Where gigolo and gigolette
Can take a kiss without regret
So they forget their broken dreams.

You laugh tonight and cry tomorrow
When you behold your shattered schemes.
And gigolo and gigolette
Wake up to find their eyes are wet
With tears that tell of broken dreams.

Here is where you'll always find me,
Always walking up and down,
But I left my soul behind me
In an old cathedral town.

The joy that you find here, you borrow,
You cannot keep it long it seems.
But gigolo and gigolette
Still sing a song and dance along
The boulevard of broken dreams.

Da, da, da, da, da, da, da,
Da, da, da, da, da, da, da.
Da, da, da, da, da, da, da,
Da, da, da, da, da, da, da.

The joy that you find here, you borrow,
You cannot keep it long it seems.
But gigolo and gigolette
Still sing a song and dance along
The boulevard of broken dreams.


Al Dubin/Harry Warren (1934)

Etiquetas: ,

5 Comentários:

Às 02 agosto, 2009 02:13 , Blogger recalcitrante disse...

Um das vozes que mais admiro... para um fim de noite

Imagine...?

um recanto na penumbra,
uma bebida,
olhos semi-cerrados...
a companhia certa...
e
a deixo-me embalar
pelo ritmo e
magia dos blues.

So...

Um abraço

 
Às 02 agosto, 2009 09:54 , Blogger vbm disse...

Tal como a estrela da tarde e a estrela da manhã são uma só deusa, Vénus, assim imagino que a 'recalcitrante' e a Meg sejam uma só amiga, tu.

Diana Krall canta mesmo bem, aquela sua voz envolvente, e os solos dos músicos que nesta interpretação a acompanham são também excelentes, incluindo ela própria ao piano!

Já não me lembro como foi que sucedeu ter conhecido - ah! já sei! - esta canção; foi numa rádio que antigamente só tocava jazz, mas depois foi comprada por uma igreja, dessas brasileiras, bah

A seguir, procurei na net, com muita dificuldade, - pois só conhecia alguns versos -, e encontrei várias interpretações, incluindo uma de Tony Bennett com o Sting, também excelente.

É belíssima esta toada do "The Boulevard of Broken Dreams", música original composta quando, a propósito :), o meu Pai e a minha Mãe ainda eram bem jovens, embora já se pudesse vislumbrar uma hipótese, ainda que... improvável que eu viesse a existir! :))

O que de qualquer modo acabou por suceder, anos mais tarde, e aqui estou a ouvir o mesmo jazz e a dar testemunho de que por muito que nada subsista quanto de nada antes existia, a conjugação desses dois nadas com o universo eterno assegura a suprema possibilidade de existir, como daqui dou testemunho.

 
Às 03 agosto, 2009 00:14 , Blogger BlueShell disse...

"With tears that tell of broken dreams."...and secret dreams were never told...inside my soul I'll Keep them forever...
So you can discover my true being...and find those lost days of joy!

This makes no sense at all...but,,,the hell with it.

See you Peter...
BShell

 
Às 03 agosto, 2009 10:19 , Blogger Peter disse...

vbm

Fizeste-me despertar a nostalgia de ouvir a Diana Krall.
Fui à procura de CDs que tenho dela e meti-os no álbum do carro:
"Live in Paris", "All for you", "From this moment".

Boa semana

 
Às 03 agosto, 2009 10:22 , Blogger Peter disse...

Olá "conchinha", sejas bem aparecida e, pelos vistos, com boa disposição, pois já passei pelo teu site que voltei a colocar nos n/links.

Vou voltar com mais vagar.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial