quarta-feira, agosto 16

Lágrima…























Deixaste-me gota salgada no peito
Gotinha de saudade antecipada
Ribeira que saiu do seu leito
Sem direcção precisa, calada.
E as promessas de outros beijos
Aquietaram dúvidas, receios
E a noite, musa do nosso deleite
Atiçou, ampliou nosso limite.

Apaziguada, a lágrima
Tornada poção impaciente
Dos nossos corpos se fez bússola.
E os lábios mudos e ardentes
Avistaram caminhos convergentes,
Antes esquecidos pela ânsia
De querer extinguir a distância,
Longa de mais para ser percorrida.

(Foto: Piotr Kowalik)

4 Comentários:

Às 16 agosto, 2006 12:43 , Blogger MARTA disse...

E a noite continuará a ser mágica, porque não haverá distâncias.........
Lindo, Ant. Gostei muito e lá estou novamente à procura do lenço.
Gostam mesmo de me fazer chorar.......
Beijos e abraços - até 24 de Agosto
Marta

 
Às 16 agosto, 2006 14:20 , Blogger Heloisa B.P disse...

BELO!_SIMPLESMENTE, BELO*_!!!!
............................
Fica um Abraco!
Heloisa.
************

 
Às 16 agosto, 2006 18:25 , Blogger Peter disse...

António, sempre invejei os poetas. Assim, a tua colaboração é preciosa para quebrar a aridez da minha prosa.

P.S. - Levo meia dúzia de textos que irei colocando na medida do possível e que te facilitará a colaboração aqui. Depois, bem, depois, só regressarei em Setembro, após os meus anos ...

 
Às 16 agosto, 2006 20:04 , Blogger Luna disse...

Que linda lagrima
beijos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial