sábado, maio 27

Os segredos de enxames fósseis de galáxias

Uma equipa de astrónomos estudou o comportamento de enxames fósseis de galáxias, “tentando descobrir como estes tiveram tempo para se formarem”.
Muitas galáxias localizam-se em grupos, onde sofrem encontros próximos com as suas companheiras e interagem gravitacionalmente com a “matéria negra” que, como aqui temos escrito, é a massa que preenche o espaço intergaláctico e é designada assim por não emitir radiação, não se podendo detectar directamente.

Estas interacções fazem com que grandes galáxias se movam lentamente em espiral em direcção ao centro do grupo onde estão localizadas. Uma vez lá, podem fundir-se formando uma única galáxia central gigante, que progressivamente vai "engolindo" as suas vizinhas.
Quando não existem mais galáxias a juntarem-se ao grupo, a galáxia central gigante não terá mais companheiras para "capturar", e o resultado é um objecto designado por "grupo fóssil". Assim, quase todas as estrelas que outrora pertenciam a galáxias diferentes, estão agora contidas numa galáxia gigante.

Valores alucinantes sobre o grupo fóssil investigado e que, para mim, estão fora de toda a compreensão:

- denominado de RX J1416.4+2315, é dominado por uma única galáxia elíptica localizada a 1,5 mil milhões de anos-luz de distância. A sua luminosidade é 500 mil milhões de vezes superior à do Sol. As observações efectuadas revelaram que o grupo se encontra no interior de um halo de gás quente que se estende por mais de 3 milhões de anos-luz, até à temperatura de 50 milhões de graus. Uma temperatura assim tão elevada, (cerca do dobro do valor suposto), é normalmente característica de enxames de galáxias.



1 kpc = 1000 parsecs = 3259 anos luz (se levarmos em consideração que a velocidade de propagação desta é como sabemos de 300.000 kms/segundo …)

Outra característica interessante deste sistema é a sua grande massa que atinge mais de 300 biliões de massas solares. Apenas 2% desta massa é constituída por estrelas e 15% encontra-se sob a forma de gás quente. A “matéria negra” é a que mais contribui para a massa do sistema e a que o liga gravitacionalmente.

De acordo com cálculos efectuados, um enxame fóssil com tanta massa como o RX J1416.4+2315 “não teria tido tempo para se formar durante toda a idade do Universo”.
A solução para a formação deste tipo de grupos fósseis teria sido um processo a que os físicos chamam de "fricção dinâmica". Neste processo, as galáxias "caem" em direcção ao centro do enxame de uma forma assimétrica, perdendo a sua “energia orbital” para a “matéria negra” circundante e, consequentemente, “a formação do enxame pode levar muito menos tempo”, do que se orbitassem o referido centro.

(adaptado do último número do ASTRONOVAS – OAL)

Etiquetas:

7 Comentários:

Às 27 maio, 2006 12:59 , Blogger Peter disse...

Desculpem lá os que não apreciam estes temas, mas há alguns leitores que se interessam. É para eles e para mim, que tenho gosto por estes assuntos, que de vez em quando me atrevo a publicar um artigo e, acreditem, é um pouco complicado colocá-lo "comestível".

Está aí um dia de praia maravilhoso. Aproveitem-no bem.

 
Às 27 maio, 2006 14:32 , Blogger Papoila disse...

Acredito pois, e assim cosmetível, é do mais interessante que tenho lido.
Beijo

 
Às 27 maio, 2006 15:02 , Blogger Peter disse...

"Papoila". é sempre a "procura", o "mito das origens", como lhe chamou a "Nova História", surgida nos anos 20 do século passado, pela pena de Marc Boch.

Procuramos a origem do nosso Universo, que é capaz de não ser o mesmo que o UNIVERSO, eterno e infinito. portanto sem origem e onde a todo o momento poderão estar a "nascer" outros Universos. Acresce que do "nosso" Universo, nós só vemos uma parte: o Universo Visível, que é um cone centrado em nós e cuja base se situa no limite dos nossos instrumentos de observação.

Vai mas é para a praia. Tudo isto é "conversa de xaxa".

 
Às 27 maio, 2006 15:49 , Blogger lazuli disse...

Belo de se ler, principalmente pelo teu trabalho de "construção".

Gosto muito, Peter.

Beijos

 
Às 27 maio, 2006 21:50 , Blogger herético disse...

Ora aqui está um realidade que eu desconhecia! mas não admira, costumo "voar" mais baixinho... rss

Grato pela visit. Abraços

 
Às 28 maio, 2006 00:01 , Blogger Peter disse...

"herético"

"A família (mãe, pai, duas crianças e dois velhos) poderá cozer uns cinquenta pares, serão vinte euros ao fim dia. Lemos, no entanto, que cada par de sapatos, na venda ao público, não terá preço inferior a quarenta euros..."

Sem dúvida que é um assunto mais merecedor da atenção de todos nós.

Uma problemática social que abordas e bem, no teu blog.

 
Às 28 maio, 2006 00:13 , Blogger Peter disse...

Fernanda

O que mais me chamou a atenção e levou a publicar este artigo, foi a explicação para como tanta massa que não teria tido tempo para se formar durante toda a idade do Universo, se formou mesmo.

Desejos de um bom Domingo

Beijos*

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial