domingo, março 26

Ter "classe"

Sem querer personalizar, pois não quero ferir susceptibilidades, nem me pretendo expor a processos judiciais, por citar nominalmente pessoas, apeteceu-me divagar sobre este tema.

Ter "classe", é ser diferente, para melhor, do comum dos mortais. Não tem nada a ver com a capacidade económica, ou com a capacidade intelectual, ou com as funções públicas que exerce, tem a ver com a sua postura e com o seu comportamento perante os outros e terá, muito provavelmente a ver com o meio social onde nasceu, cresceu e foi educado, dirão. Talvez tenha, talvez tenha grande influência, mas não é condição "sine qua non", porquanto há excepções: grandes personalidades que se afirmaram e impuseram à admiração e respeito de todos, pese embora a sua origem modesta.

Em determinada altura da minha vida e devido ao cargo que desempenhava, despachava directamente com alguém que exercia importantes funções.

Foi o desmoronar dos mitos. Sempre fora criado na convicção de que quem exercia elevados poderes directivos ou de chefia, deveria ser, pelo menos por inerência, forçosamente o melhor, a pessoa mais indicada para o exercício do cargo.
Puro engano ...

Comparo a “classe”, com o “carisma”. Não sei se estou certo, ou errado, vocês o dirão. Mas, quanto a mim, a “classe” manifesta-se no meio social em que a pessoa se move. Esta “sobressai” entre os demais e, por isso, torna-se o centro das atracções.
O “carisma” estará relacionado com uma forte personalidade, susceptível de atrair e arrastar multidões, na prossecução de determinados objectivos políticos. Na maior parte dos casos, esses objectivos políticos têm a ver com a implementação de regimes totalitários, ou, pelo menos, de regimes de fraca componente democrática.

9 Comentários:

Às 26 março, 2006 19:34 , Blogger Su disse...

qd dizes que ter classe é ser diferente e é independente do economico/social concordo, é aquilo a que eu chamaria ter charme, é inerente à pessoa tornando-a diferente e apetecícel no bom sentido
o carisma foi relacionado só em termos politicos , mas bem que pode ser em termos religiosos
enfim tudo para dizer q concordo ehehehe

jocas maradas

 
Às 26 março, 2006 20:07 , Blogger Su disse...

opsss acho q classe é uma coisa, carisma é outra, mto mais intenso...
estou lenta hoje....deve ser da mudança da hora:)))

jocas maradas

 
Às 26 março, 2006 21:55 , Blogger amita disse...

Um bom texto e como tu também diferencio "carisma" e "classe". Juntar os dois seria ouro sobre azul. Continuação de bom Domingo e um bjinho para vocês, meus amigos.

 
Às 26 março, 2006 22:17 , Blogger Heloisa B.P disse...

Acho que a Sua "analise", meu Caro Peter, tem toda a "logica" e... concordo com os seus "Argumentos"!!!!!

Passo,e, muito modestamente, deixo o meu Abraco, que so' se "DESTACA", porque vai "carregadinho" de Amizade e Saudade deste *CANTINHO*_"IMODESTO" E...COM *MUITO CARISMA*!!!!!!!!
Beijinho!
Heloisa.
************

 
Às 27 março, 2006 00:18 , Blogger Peter disse...

"su", penso que ter "classe" é mais do que ter "charme", sendo este, um dos componentes daquela.

Sim, O "carisma" é um componente essencial para o sucesso político e também para o religioso, sobretudo no que diz respeito à angariação de prosélitos para seitas e outro tipo de religiões, digamos mais assentes, talvez, na exploração económica da "crendice" dos indivíduos, que procuram algo de novo para a resolução dos seus problemas.

 
Às 27 março, 2006 09:40 , Blogger MARTA disse...

Tens toda a razão Peter - ter classe é qualquer coisa interior que a pessoa tem e às vezes, nem sequer dá conta.
Quanto a mitos,eu conheço casos semelhante.
Aplica-se a quase tudo na vida, mesmo não sendo na política e às vezes, é uma grande desilusão.
É a minha opinião.
Tem um bom dia.
Um abraço
Marta

 
Às 27 março, 2006 10:22 , Blogger BlueShell disse...

mas é assim mesmo: não é pelo dinheiro que se tem, ou pelos cargos que se desempenham que se tem ou não classe! Eu vou pela via da Educação, do meio em que i indivíduo desde cedo se movimenta! talvez também não seja..."por aí"...mas é um começo!

Conheço pessoas com muita classe e sim, de origem modesta! É um saber estar, uma postura perante as coisas...que se destaca pela positiva!

Gostei deste post 8 como geralmente gosto...hehehhe? )
Queres um beijito?
***BShell

 
Às 03 abril, 2006 09:48 , Blogger Menina_marota disse...

Adorei o texto!
Tem classe!

Um abraço ;)

 
Às 03 abril, 2006 10:00 , Blogger Poesia Portuguesa disse...

Teria muita coisa a dizer sobre este texto, mas resumo a isto: Tem muita Classe!

E, sobre as desilusões que se tem, sobre pessoas que deveriam saber ocupar o seu lugar, ocorre-me as palavras dum Poeta que muito admiro:

"Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe
de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos
nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver."

(Poema de Alberto Caeiro)

Um abraço e grata pela partilha.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial